A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Perizes
Rosário
Recurso
...

EFSLT - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. São Luiz-Teresina (1919-1975)
RFFSA (1975-1997)
ROSÁRIO
Município de Rosário, MA
Linha tronco - km 70,210 (1960)   MA-3679
Altitude: 14 m   Inauguração: 01.06.1919
Uso atual: abandonada (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. São Luiz-Teresina foi aberta em seu primeiro trecho em 1895, ligando Caxias a Cajazeiras (Flores). Em 1919 foi aberto outro trecho, São Luiz-Caximbos, prolongado em 1920 até Caxias. Somente em 1938 os trilhos chegaram a Teresina, com a abertura da ponte sobre o rio Parnaíba. Trens de passageiros rodaram até o ano de 1991 pela linha. Cargueiros trafegam por ela até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Rosário foi inaugurada em 1919. Deve ter sido uma inauguração oficial: em 1915, já circulavam trens entre Rosário e Caxias, como se pode ver na revista Brazil Ferrocarril em sua edição de 15/10/1915. Por dois anos, até 1921, a estação foi a de início da linha, enquanto se construída o trecho para São Luís. Da estação saía um pequeno ramal para a localidade de Vale Quem Tem. Era uma fazenda de gado, ativa ainda em 1959 e que funcionava desde 1944, segundo o IBGE, em sua Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XV, de 1959. O ramal que leva à fazenda, no entanto, já era assinalado no mapa publicado em 1935 e que consta acima, à esquerda, em tamanho pequeno: para ver o ramal, basta clicar sobre o mapa. A localidade pode ser vista no mapa acima, publicado em 1957 (embora sem a indicação de um ramal), à margem esquerda do rio Itapecuru, ao sul da sede do município de Rosário. Já as oficinas da EFSLT funcionavam a 1800 metros da estação, alcançadas por outro ramal ou desvio, no bairro do Carmo. Os traços arquitetônicos são identificados como de inspiração inglesa em suas linhas retas. Durante 12 anos a estação funcionou como terminal e ponto inicial de linha, até que a Ponte Benedito Leite fosse construída no Estreito do Mosquito, ligando São Luís ao continente maranhense. Daí passou a ser uma estação intermediária. O complexo é formado por estação, armazéns, vila residencial de operários, grupo escolar, oficina e área para estacionamento e manobra de trens. A estação possui dois pavimentos. Em 2013, a antiga estação estava abandonada. Um restauro iria começar, a estação foi cercada com um tapume, mas em 2016 continuava abandonada.

ACIMA: Depósito de carros em Rosário. Foto possivelmente do início do século XX. Havia ali também uma rotunda, que não é mostrada na forografia (Autor desconhecido). ABAIXO: Município de Rosário nos anos 1950. Para ver o município inteiro, CLIQUE SOBRE A FOTO (IBGE: Enciclopedia dos Municípios Brasileiros, vol. III, 1957).

(Fontes: Maurício Petinatto Lúcio; IPHAN; Brazil Ferrocarril, 1915; Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, 1957-9; Guias Levi, 1932-80; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Rosário em 1915. Um trem de primeira classe está em sua plataforma. Foto da revista Brazil Ferrocarril de 15/10/1915

Oficinas de Rosário em 1915, ponta de um ramal de 1800 metros. Foto da revista Brazil Ferrocarril de 15/10/1915

A estação em 1956. Foto Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XV, IBGE, 1959

As oficinas em 1956. Foto Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XV, IBGE, 1959

A estação abandonada em 04/2009. Foto Maurício Petinatto Lúcio

A estação abandonada em 04/2009. Foto Maurício Petinatto Lúcio

A estação em 2016. Foto IPHAN
 
     
Atualização: 31.03.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.