A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Guaxima
Engenheiro Lisboa
Tancredo França
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1889-1976)
ENGENHEIRO LISBOA
Município de Conquista, MG
Linha do Catalão - km 555,472 (1938)   MG-2519
Altitude: 704 m   Inauguração: 23.04.1889
Uso atual: depósito (2013)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha do Catalão foi construída entre 1888 e 1889 até Uberaba, tendo chegado em 1895 a Uberabinha (Uberlândia) e 1896 a Araguari. Continuação da linha do Rio Grande a partir da estação de Jaguara, às margens do rio Grande e já em território mineiro, a idéia da Mogiana era alcançar Catalão, em Goiás (daí o nome) e dali seguir para Belém do Pará, coisa que nunca aconteceu. Na verdade, a E. F. de Goiás acabou por construir esse trecho, chegando até Goiânia e Brasília. Em 1915, o ramal de Igarapava foi prolongado para além de Igarapava de forma a alcançar a linha do Catalão um pouco antes de Uberaba, em Rodolfo Paixão. A nova linha provou ser mais econômica do que o trecho da linha do Catalão entre o rio Grande e Uberaba, trecho este que foi abandonado definitivamente em 1976, depois de ser separado da linha do Rio Grande em 1970 por causa da construção da represa de Jaguara. O trecho a partir de Uberaba foi, então, incorporado ao ramal de Igarapava e, em 1979, totalmente retificado a partir de Ribeirão Preto até Araguari. Trens de passageiros percorreram o trecho até 1979 e depois o trecho retificado até 1997, quando foram suprimidos, já pela Fepasa.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Engenheiro Lisboa foi inaugurada em 1889 e seu nome homenageava um engenheiro da Mogiana da época. Ali houve um grande desastre por volta de 1976, quando a linha estava próxima da desativação, e, segundo Vicente Alves Pereira, de Jardinópolis e antigo portador de linha, era um trem misto, com o carro sendo, como de costume, o último da composição, e no descarrilamento que fez a composição rolar morro

abaixo, morreram 28 pessoas. Em 1976, o trecho entre Amoroso Costa e Jaguara foi desativado. A estação em fevereiro de 2004 estava bastante descaracterizada, servindo de depósito numa das fazendas da família França. "A estação está localizada em um local

À ESQUERDA: O Engenheiro Joaquim Miguel Ribeiro Lisboa (1809-1881) trabalhou na E. F. Grão Pará, depois Leopoldina, e na Cia. Mogiana de Estradas de Ferro. Ele teria sido um dos projetistas das estações de Petrópolis (da Grão-Pará) e de Poços de Caldas, da Mogiana, não por coincidência bastante parecidas, embora de ferrovias diferentes - e ambas entregues 2 e 5 anos após sua morte.
bonito e aprazível, pois fica defronte a um morro. Como no local da estação possui água em abundância os antigos proprietários utilizavam da mesma para movimentar maquina de beneficiar arroz, engenho de serra e, um engenho de cana movimentado por uma enorme roda d'água de ferro ainda existente no local, alambique para produção de cachaça e terreiro de café. Atualmente próximo à estação encontra-se duas belas sedes de fazendas da família França" (Domingos Tiveron Filho, 04/2005). (Fontes: Leonardo Figueiredo; Fernando Picarelli; Domingos Tiveron Filho; Gilmar de Oliveira; Vicente Alves Pereira; Gutierrez L. Coelho; Mogiana: relatórios anuais, 1875-1969; Cia. Mogiana: listagem oficial de estações, 1937)
     

A estação em 02/2004. Foto Fernando Picarelli

A estação em 02/2005. Foto Domingos Tiveron Filho

A estação em 02/2005. Foto Domingos Tiveron Filho

A caixa d'água, de 1920, em 02/2005. Foto Domingos Tiveron Filho

A estação em maio de 2013. Foto Leonardo Figueiredo
 
     
Atualização: 30.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.