A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Conchal
Pádua Salles
...

Ramal de P. Salles - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2005
...
 
Cia. Carril Funilense (1912-1921)
E. F. Sorocabana (1921-1960)
PADUA SALLES
Município de Conchal, SP
Ramal de Pádua Salles - km 276,729 (1934)   SP-2647
Altitude: 582 m   Inauguração: 20.11.1912
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1913? (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Cia. Carril Funilense foi inaugurada em 18/09/1899 pela Cia. Agrícola Funilense, de Funil (hoje Cosmópolis), com bitola de 60 cm, saindo do centro de Campinas e chegando até a atual Cosmópolis, na época chamada de Barão Geraldo de Rezende. Em 1904, por parte de um empréstimo não honrado, o Governo do Estado ficou com a ferrovia. Em 1906, a bitola foi ampliada para a métrica; em 1913, a ferrovia já chegava ao seu ponto máximo, em Pádua Salles, margem do rio Mogi-Guaçu. Em 01/09/1921, a Sorocabana incorporou a linha, que em 1924 passou a sair da nova estação da EFS em Campinas, e com o nome de Ramal de Pádua Salles, com 93 quilômetros. A linha foi fechada no início de 1960, tendo os trilhos arrancados pouco tempo depois. Hoje são bem poucos os resquícios da velha Funilense.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Padua Salles, ponto extremo da Funilense nas margens do rio Mogi-Guaçu, foi aberta em 1912, no núcleo colonial Visconde de Indaiatuba.

Foi ela que deu o nome ao ramal, depois da incorporação da Funilense pela Sorocabana, em 1921.

A estação foi fechada com a linha em 1960. Segundo Luciano Becalete, em 17/9/2011, "na época causou muita revolta ao povo da região, principalmente ao pessoal da Fazenda Sete Lagas (na época Sítio Brasil), Família Van Parys, que foram os primeiros esportadores de laranja no Brasil, hoje uma das maiores fazendas deste cultivo no mundo". "

Em Padua Salles há um prédio que parece ser algum resquício de ferrovia, mas não
entrei porque fica numa propriedade particular. Como lhe disse, fui seguindo o leito da antiga linha e fui cair nesse prédio. O outro é uma peixaria. Ninguém conseguiu dar maiores informações. Ouvi dizer que arrancaram os trilhos nos anos 1960, e que parece que não fez falta alguma. Não sei o que transportavam ali, não tem nada! Não achei nem vestígios de porto, caso parecido com Canoas, da Mogiana" (Rodrigo Cabredo, 1998).

O povo HOJE nem se
recorda que havia trem. Na foto ao pé da página, aparece, apoiado na locomotiva, o chefe da estação, que morava nela com a familia.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Pintura do pernoite e casa do portador


ACIMA: Padua Salles, secretário da Agricultura em 1909

















À DIREITA: Em 27 de janeiro de 1960, a linha iria começar a ser retirada a partir de Padua Salles, quando o povo se revoltou. Uma semana depois, o trem foi restabelecido e somente acabou no final desse ano (O Estado de S. Paulo, 28/1/1960).

ACIMA: A estação de Padua Salles. Seria no dia da inauguração? (Autor desconhecido).




AO LADO: Inauguração da estação em 1913 (O Estado de S. Paulo, 20/11/1913).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Daniel Gentili; Luciano Becalete; Alberto Del Bianco; Rodrigo Cabredo; O Estado de S. Paulo, 1913 e 1960; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1922-61; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Pádua Salles e a locomotiva, anos 1930/40. Acervo Alberto Del Bianco
   
     
     
Atualização: 26.01.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.