A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Andradina
Paranápolis
Castilho
...

Tronco NOB - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1937-1975)
RFFSA (1975-1996)
PARANÁPOLIS
Município de Andradina, SP
Variante de Jupiá - km 150,268 (1937)   SP-2061
Linha-tronco - km 431,268 (1949)
Altitude: 393 m
  Inauguração: 10.07.1937
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1937
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com o Paraguai, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Paranápolis foi inaugurada em 1937, na variante de Jupiá, e logo depois passou a ser parte da linha-tronco. "Na década de 1930, o vilarejo possuía uma estação bem mais movimentada que a do município-sede, Andradina. Sou do tempo da maria-fumaça, e essa ferrovia era nosso orgulho", diz o velho comerciante João Belmiro, de Paranápolis, que ainda mantém na frente do que restou da velha estação um empório de secos e

ACIMA: O trem cargueiro - ainda com a pintura da Novoeste, mas já administrado pela ALL - passa pela cidade de Paranápolis em 10/09/2006. Nenhum sinal da estação na foto. Ela ainda estaria de pé? (Foto Cristiano Luisão).
molhados. O prédio do terminal ferroviário desabou há vários anos, mas Belmiro ainda alimenta a esperança de ver o trem voltar a circular com passageiros. "Basta eles olharem novamente para os pobres, porque o bilhete de transporte era quase de graça
" (O Estado de S. Paulo, 03/10/1999). A estação foi realmente demolida e em seu local não existe nada - apenas uma passagem de nível.
(Fontes: Odilio Pereira de Queiroz Neto; Ney ---; Cristiano Luisão; E. F. Noroeste do Brasil: relações oficiais de estações, 1937 e 1949; O Estado de S. Paulo, 1999; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Nesta passagem de níve teria existido a estação. Foto Ney --, em 2010
   
     
     
Atualização: 11.01.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.