A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Carlos de Campos
Penha
...

ram. S. Paulo EFCB-1950
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 2011
...
 
E. F. do Norte (1886-1896)
E. F. Central do Brasil (1896-1915)
PENHA
Município de São Paulo, SP
Ramal da Penha - km 1,280   SP-0710
Altitude: -   Inauguração: 29.08.1886
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1887-88
 
 
HISTORICO DA LINHA: Este curto ramal, com 1240 metros de extensão, foi aberto em 1886 e teria durado até os anos 1950 ligando a estação de Guaiaúna, depois Carlos de Campos, à estação da Penha, para atender os romeiros que se dirigiam à igreja do bairro da Penha, em São Paulo. Dele hoje nada restou. Os trens de passageiros rodaram por ele de 1886 até 1915.
 

A ESTAÇÃO: A estação da Penha foi inaugurada com o ramal da Penha, em 29 de agosto 1886 (veja caixas abaixo, de 1886). Este ramal saía de um ponto a 7,7 km da estação do Norte (Roosevelt), exatamente no local onde, em 1894, portanto oito anos mais tarde, seria construída a estação de Guaiaúna - mais tarde renomeada como Carlos de Campos - e acompanhava as atuais ruas Irapucara e General Sócrates, terminando na esquina desta rua com a rua Coronel Rodovalho, onde ficava situada a estação, hoje já demolida.

Eu tenho muitas dúvidas sobre a chamada "estação da Penha" nessa época. De 1875 a 1886 existiu uma estação da Penha na linha principal? Pois são v[arias as citações que falam de viagens de trens especiais da estação do Norte e a estação da Penha durante as festas santas da Igreja da Penha. Mas o ramal foi efetivamente aberto em 1886 com uma estação de nome Penha no final do ramal. Então inicialmente os passageiros desciam do trem e andavam mais de 1200 metros até a igreja, descendo na suposta estação da Penha que existia na linha principal?

É sabido com base em documentação da época que, a cerca de 300 metros à frente da saída do ramal, existia uma paradinha, cujo nome seria Parada Amândio, ou Parada Armando, que era um barraco de madeira que, com a abertura do ramal, foi removida de onde estava e recolocada no final do ramal da Penha, dando origem à estação da Penha. Esta parada, porém, era chamada de Penha, mesmo, pelo guia de horários de 1887 que mostrava os trens São Paulo-Cachoeira. Seria essa a Parada Amândio ou o trem entraria pelo ramal e sairia, voltando à linha?

Aberto o tráfego com 6 trens de subúrbio entre as estações do Norte e da Penha em agosto de 1886, em dezembro
foi interrompido o tráfego - a ponte sobre o córrego que ele cruzava logo após sair da linha da, na época, E. F. do Norte, caiu.

Supõe-se que, com o alargamento de bitola do ramal de São Paulo, que foi terminado em 1908, o ramal da Penha também tenha tido a bitola alargada, pois não há indicação nos horários posteriores a 1908 de baldeação em Guaiaúna. Mas também não encontrei nada que comprovasse ou desmentisse este fato. Logo reconstruída, seguiram os trens rodando até outubro de 1915.

Alguns afirmam também que após o seu final continuavam a existir trens especiais nos dias de romaria para a igreja da Penha, próxima à estação. Note que no mapa ao pé desta página a atual rua Guaiaúna se chamava rua Lins de Vasconcelos, e a rua General Sócrates, rua da Estação. A curva do ramal é hoje a rua
Irapucara
.

Também a estação Agente Cícero, aberta em 1951 e fechada nos anos 1970 e e que ficava na variante de Poá, era chamada de estação Penha da Variante pelos usuários, mas nada tinha a ver com a estação do ramalzinho. Parece que a designação era para diferenciar uma da outra, visto que elas parecem ter coexistido por algum tempo.

Depois de desativado para passageiros, parte do ramal teria sido utilizado até os anos 1950, para transporte e lavagem de vagões de gado.


ACIMA: Em 1884, a E. F. do Norte já tinha um trem que ia para a Penha nos dias de festa. Mas ainda não existiam nem o ramal, nem a estação da Penha. Em qual estação esses trens paravam para que os passageiros pudessem descer e seguir à pé para a igreja da Penha? (A Provincia de S. Paulo, 3/9/1884).

1886
AO LADO: Autorização para a construção do ramal (A Provincia de S. Paulo, 21/3/1886).

1886
AO LADO: Horarios para as viagens do ramal. Início de operações neste dia 29 de agosto (A Provincia de S. Paulo, 29/08/1886).


ACIMA: O ramal da Penha estava autorizado para ser construído em março de 1886 (A Provincia de S. Paulo, 21/3/1886).

1886
AO LADO: Autorização provisoria para funcionamento do ramal (A Provincia de S. Paulo 29/08/1886).

1886
AO LADO: Horarios para as viagens do ramal. Início de operações neste dia 29 de agosto (A Provincia de S. Paulo, 29/08/1886).

1886
AO LADO: Inauguração em 29 de agosto. Horarios em outra reportagem no mesmo dia, mais acima deste dia 29 de agosto (A Provincia de S. Paulo, 29/08/1886).


ACIMA: Autorização agora pelo Ministerio da Agricultura para tráfego provisório no ramal da Penha, em outubro de 1886. Mas o trem já andava desde 29 de agosto (A Provincia de S. Paulo, 3/10/1886).

1888
AO LADO: O ramal já funcionava em maio de 1888 (A Provincia de S. Paulo, 3/5/1888).

AO LADO: Em 1898, a estação valorizava os terrenos e casa à sua volta (O Estado de S. Paulo, 1/1/1898)

1915
AO LADO: Notícia do fim do ramal da Penha em outubro de 1915 (O Estado de S. Paulo, 12/10/1915).

ACIMA: O ramal da Penha, já estava desatiado para passageiros em 1930, mas sua curva inicial ainda tinha trilhos, por causa da movimentação de carros de lavagem de gado. Sua continuação não tinha mais trilhos e se liga ao mapa abaixo pela parte de cima no mapa (Sara Brasil, 1930).

ACIMA: Continuação (para oeste) do mapa mais de cima. Nesse trecho,O leito do ramal da Penha, já estava sem trilhos após a grande curva que pode ser vista no mapa imediatamente acima a este em 1930, (Sara Brasil, 1930).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Paulo Mendes; Wanderley Duck; Robson Souza; A Provincia de S. Paulo, 1886 e 1888; Guia Levi, 1908-09 e 1925)
     

O mapa dos anos 1910 mostra o ramal da Penha, saindo da estação de Guaiaúna, fazendo uma curva de quase 180 graus e chegando na estação da Penha, na esquina com a rua Coronel Rodovalho. Mapa de São Paulo, anos 1910, Biblioteca Municipal de São Paulo

Estação da Penha, sem data. Acervo Memorial Penha de França, extraído do livro SPR - Memórias de uma inglesa, M. Lavander Jr. e P. A. Mendes, 2005

A casa do Ministério da Agricultura...

...e o muro de arrimo feito em pedras. Fotos Robson Souza
   
     
Atualização: 10.02.2021
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.