A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Santa Salete
Pimenta Bueno-nova
Santana da Ponte Pensa
...

Tronco EFA-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Araraquara (1952-1971)
FEPASA (1971-1998)
PIMENTA BUENO-NOVA
Município de Santana da Ponte Pensa
Linha-tronco - km 401,009 (1960)   SP-2682
Altitude: 424 m   Inauguração: 18.10.1952
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 60. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pimenta Bueno-nova foi inaugurada em 1952 e teve sempre um movimento muito pequeno. Chamava-se apenas "Posto X" e depois recebeu o nome de uma estação da mesma linha, desativada na mesma época, e que ficava entre Matão e Dobrada. A estação teria sido construída somente para agradar aos ingleses da enorme fazenda que eles possuíam por ali, segundo Valentim Ferro, ferroviário aposentado da EFA, em 03/2001, e que trabalhou lá por 90 dias. A estação foi demolida antes de 1986. Já um ex-vereador da cidade de Santana da Ponte Pensa conta outra história: "Pimenta Bueno era o nome da estação de embarque de passageiros da cidade de Santana da Ponte Pensa. Ela estava localizada dentro de uma propriedade conhecida como "Fazenda dos Ingleses" e distava três (3) km da cidade, em

virtude de uma lenharia que ali existia. A referida propriedade estava em fase de desmatamento e a Estrada de Ferro Araraquarense preferiu construir a estação naquele local. Não fosse assim, haveria de construir ali,um posto de captação de madeira, para suprir as necessidades das locomotivas, que eram movidas a vapor; as conhecidas 'Maria Fumaça' assim como uma estação de passageiros, proximo à cidade de Santana da Ponte Pensa. Até 1953, Santana da Ponte Pensa era conhecida por Sant'Ana do Sul, nome que o Grupo Escolar levou até o início dos anos 1960. Neste ano, foi elevado à categoria de distrito, quando se tomou conhecimento do verdadeiro nome da cidade. No final dos anos 1950, início dos anos

À ESQUERDA: notícia do jornal Fo
lha da Manhã (atual Folha de S. Paulo) publicada em 17/10/1952 anunciando a abertura das cinco estações entre Jales e a terminal, Presidente Vargas, pela E. F. Araraquara.
1960, houve um movimento de moradores da cidade, visando pressionar a administração da Estrada de Ferro Araraquarense para conseguirem com que o trem de passageiros efetuasse parada nas proximidades da cidade; foram vários contatos. A administração da E. F. A., resolveu atender a justa reinvindicação daquele povo. Após a emancipação a Município, ocorrido em 1964, a Prefeitura em acordo com a referida empresa ferroviária, construiu uma plataforma coberta, para embarque de passageiros, com projeto para que futuramente fosse ali construida uma estação; o que acabou não acontecento em virtude do sucateamento das ferrovias. Sou filho de José Dias, um dos acima mencionados. Meu pai nos trouxe no ano de 1951 para o Brasil. Moramos em Meridiano, SP até 1953, quando fomos para Sant'Ana do Sul, como era chamada na época, tomamos um trem para Pimenta Bueno e de lá, de charrete até a cidade. José Dias foi comerciante e residiu em Santana da Ponte Pensa deste 1953 até o ano de 2001, quando veio a falecer e lá se encontra sepultado" (Antonio Fouto Dias, 04/2007).
(Fontes: Antonio Fouto Dias; Folha da Manhã, 1952; EFA: Relatórios oficiais, 1940-69; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     
     
     
     
Atualização: 02.02.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.