A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Cidade Universitária
Pinheiros-nova
Hebraica-Rebouças
...

ramal de Jurubatuba-1980
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2017
...
 
FEPASA (1981-1994)
CPTM (1994-)
PINHEIROS-NOVA
Município de São Paulo, SP
Ramal de Jurubatuba-km 6,360 (1981)   SP-2692
Altitude: -   Inauguração: 04.04.1981
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1979
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Jurubatuba foi construído entre 1952 e 1957 para encurtar a distância entre a Capital e Santos pela Sorocabana. Partindo da estação de Imperatriz Leopoldina, no tronco, a linha seguia até Evangelista de Souza, na Mairinque-Santos, no alto da serra, para dali descer para o porto. Transportando passageiros e cargas desde a abertura da linha em 1957, o ramal acabou por se tornar uma das linhas de subúrbio da Capital. Por volta de 1980 foi feita a duplicação da linha e a colocação da bitola mista, o que levou à demolição, por causa do óbvio alargamento do leito para comportar duas linhas, de todas as estações originais que estavam no trecho entre Universidade e Jurubatuba, com a exceção desta última. Uma nova linha com novas estações foi entregue, agora com trens partindo de Osasco e não mais de Julio Prestes, mas somente em 2000 é que ficaram prontas todas as estações previstas para todo o trecho que hoje é atendido pelos TUES metropolitanos da CPTM. Até dezembro de 2001 o transporte de passageiros se resumia ao trecho entre Presidente Altino, no tronco, e Varginha, na entrada da área de mananciais. Nesse mês, o transporte foi suprimido para além de Jurubatuba, mas em 2008 a linha foi reformada e agora chega até a estação terminal de Grajaú-nova. A linha hoje está totalmente desativada para cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: Terminada de construir pela Fepasa em 1979, a estação foi inaugurada oficialmente somente em 1981.

Embora em 19/10/79, a estação de Pinheiros-nova estivesse em fase de conclusão para tráfego precário dos subúrbios na época durante a reforma da linha (Revista Ferrovia, no. 69, 1979), ela foi aberta oficialmente somente em 1981, a cerca de trezentos metros antes da estação original do mesmo nome, na época já demolida, para atender os subúrbios modernizados pela então Fepasa.

Em abril de 1980, uma reportagam sobre os trens de subúrbio em São Paulo publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo dizia claramente que o tráfego de trens de subúrbio no ramal estava suspenso e previsto para ser retomado somente em março de 1981. A estação estava, então, mantida fechada com tábuas que impediam a entrada. Aos poucos o tráfego foi sendo retomado, e, de 1986, os trens existentes na época (os chamados franceses), ligavam a estação diretamente à recém-inaugurada estação do Largo Treze, atual Santo Amaro.

As estações intermediárias somente vieram em 1998.

A estação de Pinheiros-nova serve hoje à CPTM.

Em fins de 2011, foi aberta a estação da linha 4 do metrô, adjunta à da CPTM. Na prática, exteriormente a área da estação - que fica no canteiro central da avenida Marginal do Pinheiros, ou avenida das Nações Unidas - foi aumentada, tanto aí quanto nas passarelas, onde agora há duas, e na área da entrada (à direita da avenida) onde também agora existem duas.

(Ver também PINHEIROS)

ACIMA: Desastre entre trem de subúrbio da FEPASA e cargueiro - a linha ainda tinha cargueiros - em 1984 na estação de Pinheiros. CLIQUIE SOBRE A IMAGEM PARA VER A SEGUNDA PARTE DA REPORTAGEM (O Estado de S. Paulo, 9/12/1984).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Carlos R. Almeida; Ricardo Koracsony; William Gimenez; O Estado de S. Paulo, 1984; Revista Ferrovia, 1979; O Estado de S. Paulo, 1980; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Pinheiros, anos 1990. Foto cedida por William Gimenez

Plataforma da estação, em 08/2002. Foto Ricardo Koracsony

Plataforma da estação, em 08/2002. Foto Ricardo Koracsony

Foto Carlos R. Almeida
Ao lado esquerdo: a estação em 18/3/2012. Aqui, em foto tomada da plataforma, é mostrada a passarela do metrô e ao fundo o prédio da bilheteria, também do metrô.  
     
Atualização: 19.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.