A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
(1875-1979)
Cristiano Osório
Posse de Ressaca
Alfa
...

Tronco CM-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2016
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1875-1971)
FEPASA (1971-1979)
POSSE DE RESSACA
(antiga RESSACA)

Município de Santo Antonio de Posse, SP
Linha-tronco original - km 50,841   SP-2235
Altitude: 602 m   Inauguração: 27.08.1875
Uso atual: Unidade de saúde (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da Mogiana teve o primeiro trecho inaugurado em 1875, tendo chegado até o seu ponto final em 1886, na altura da estação de Entroncamento, que somente foi aberta ali em 1900. Inúmeras retificações foram feitas desde então, tornando o leito da linha atual diferente do original em praticamente toda a sua extensão. Em 1926, 1929, 1951, 1960, 1964, 1972, 1973 e 1979 foram feitas as modificações mais significativas, que tiraram velhas estações da linha e colocaram novas versões nos trechos retificados. A partir de 1971 a linha passou a ser parte da Fepasa. No final de 1997, os trens de passageiros deixaram de circular pela linha.
 
A ESTAÇÃO: Uma das estações mais antigas da Mogiana, a estação de Ressaca foi entregue apenas três meses depois da inauguração do trecho original, em 1875.

"Construída no local desse nome no km 19 da segunda secção e terras de Dona Escholastica Joaquina de Barros Veiga" (*RM-26/7/1874).

Fica em Posse da Ressaca, hoje um pequeno bairro de Santo Antônio de Posse, mas que originalmente foi a sede do município.

Era muito utilizada por todas as fazendas da região de Amparo e Serra Negra para embarque das sacas de café da região (que, por sua vez, também embarcavam nas estações dos ramais de Amparo e de Serra Negra).

O proprietário da fazenda Engenho das Palmeiras, de Itapira, trazia a família com o carro de boi desde a fazenda, por um caminho de cerca de uns seis quilômetros para lá embarcarem para Campinas e São Paulo.

Em 1944, por determinação do C.N.G., o nome da estação e da cidade foi alterado para Posse de Ressaca.

A estação, desativada desde a inauguração da variante Guedes-Mato Seco, em 1979, passou a funcionar por algum tempo como um centro de saúde do município. A plataforma perdeu a cobertura, ficando somente a estrutura, que vi em 1998. Em 2005, essa estrutura não mais existia. Em 2016, era ocupada por uma unidade de saúde, logo depois de ter sido reformada.

Os trilhos da variante passam a cerca de 500 metros acima da velha estação.

(Veja também POSSE DE RESSACA-NOVA)

ACIMA: Esquema do pátio de Posse de Ressaca em novembro de 1968 (Clique sobre a figura para ter maiores informações) (Acervo Museu da Companhia Paulista, Jundiaí, SP - Reprodução Caio Bourg). ABAIXO: Trem da Mogiana parado junto à plataforma da estação nos anos 1940 (Acervo Thomas Correa).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Leonardo Patara; Arnaldo V. G. Silva; André Luiz de Oliveira; Thomas Correa; Caio Bourg; Museu da Cia. Paulista, Jundiaí; C. A. Filetti; Mogiana: Relatórios, 1872-1967; Fazenda Engenho das Palmeiras, Itapira, 1998; Mogiana: Álbum, 1910; Conselho Nacional de Geografia, 1945; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Ressaca, c. 1910. Foto do álbum da Mogiana

A estação em 19/11/1970. Antonio João da Silva, na época o chefe da estação, é o senhor de terno e gravata com o quepe nas mãos, bem ao lado da bandeira. Cessão C. A. Filetti

O trem passando por Posse de Ressaca. Quando? Cessão C. A. Filetti

A estação, em 17/01/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

Antigo pátio da estação, em 17/01/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 11/6/2015. Foto André Luiz de Oliveira
À esquerda, a estação em 8/2/2016. Foto Leonardo Patara  
     
Atualização: 20.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.