A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mirante
Presidente Alves
Quilômetro 75
...

Tronco NOB - 1935

IBGE-1973
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1906-1975)
RFFSA (1975-1996)
PRESIDENTE ALVES
Municípios de Bauru (1906-1914);
Avaí (1914-1927);
Presidente Alves (1927-), SP
Linha-tronco - km 58,607 (1949)   SP-2742
Altitude: 561 m   Inauguração: 27.09.1906
Uso atual: "estação cultural"   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da Refesa. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a Refesa deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Presidente Alves, nome dado em homenagem ao Presidente da República Rodrigues Alves, deu origem ao atual município e foi inaugurada em 1906. "Como a esplanada da estação ficava relativamente longe do córrego, também chamado de Presidente Alves, o loteamento das ruas da futura cidade se

ACIMA: Vila ferroviária de Presidente Alves, provavelmente anos 1950 (Cartão postal).
deu atrás e na frente da estação, o que fez com que esta ficasse situada no centro do loteamento
" (Nilson Ghirardello, "À beira da linha", Unesp, 2002). "No km 71, a estação de Presidente Alves, com um começo de povoação" (Breve Histórico sobre a E. F. Noroeste do Brasil, Sylvio Saint Martin, junho de 1913). Percebe-se
ACIMA: O botequim da estação de Presidente Alves afirmava que servia o melhor café da zona (Ouro Verde, janeiro-fevereiro 1936). ABAIXO: Funcionários da Noroeste na estação de Presidente Alves, ainda em plena atividade, posando na plataforma em 1975 (O Avaiense, edição de junho de 2008).

que a quilometragem da ferrovia era diferente, e em 1949, a estação, que ficava no km 71 em 1913, já era km 58... treze quilômetros de curvas reconstruído. Depois de abandonada por vários anos foi reformada em 2006 e é uma espécie de "estação cultural", com diversos artigos de artesanato expostos em seu interior.
(Fontes: Daniel Gentili; André Luiz Ramos; José H. Belorio; Nelson Correa; Wanderley Duck; Jordania Benedicto; O Avaiense, 2008; oURO vERDE, 1936; Nilson Ghirardello: À beira da linha, 2002; Sylvio Saint Martin: Breve Histórico sobre a E. F. Noroeste do Brasil, junho de 1913; IBGE, 1973; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Presidente Alves em 1915. Foto cedida por José H. Bellorio

A estação em 1919. Foto cedida por José H. Bellorio

A estação ativa em 10/1979. Foto José H. Bellorio

A estação em 1979. Foto José H. Bellorio

A estação nos "bons tempos". Foto sem data, de Wanderley Duck

A estação em 07/1986. Foto José H. Bellorio

A estação em 02/2001. Foto José H. Bellorio

A estação em 02/2001. Foto José H. Bellorio

A estação em 12/2005. Foto Nelson Correa

Plataforma da estação restaurada, em 2006. Foto Jordania Benedicto

A plataforma da estação em 14/4/2009. Foto Daniel Gentili

A fachada da estação em 14/4/2009. Foto Daniel Gentili
     
Atualização: 11.05.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.