A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Santa Fé do Sul
Presidente Vargas
...

Tronco EFA-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Araraquara (1952-1969)
PRESIDENTE VARGAS
Município de Rubinéia, SP
Linha-tronco - km 431,129 (1960)   SP-0381
Altitude: 313 m   Inauguração: 18.10.1952
Uso atual: submersa   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já destruído)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 60. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Presidente Vargas foi inaugurada em 1952, na cidade de Rubinéia.

A estação era, efetivamente, chamada de Rubinéia pelo povo, e era o fim da linha da E. F. Araraquara.

A partir dali a EFA aguardaria a construção da ponte ferroviária sobre o Paraná, para chegar talvez a Cuiabá, no Mato Grosso. A ponte acabou finalmente sendo construída somente nos anos 1990, e ligou os trilhos da antiga Araraquarense aos da Ferronorte, construída por Olacyr de Morais. A ponte, entretanto, passou por outro ponto.

A estação e a cidade original acabaram inundados pela barragem, em 1973. Segundo outras informações, já em 1969 a estação deixara de atender aos trens, sendo o ponto terminal da E. F. Araraquara transferido para a estação de Santa Fé do Sul. Sobraram, debaixo d'água,
somente os pilares da estaçãozinha. Existe ali perto hoje a cidade de "Nova" Rubinéia. Os trilhos que vão para a ponte da Ferronorte passam por outro lugar. "Não encontrei coordenadas confiáveis de onde encontraria a estação de Presidente Vargas. Foi inundada em 1973, mas uma vez uma pessoa de lá me disse que na seca quando o nível da barragem desce é possível ver suas ruínas" (Rodrigo Cabredo, 2001).
ACIMA: A cidade de Rubineia original e que foi sumergida sob as águas da barragem nos anos 1970 (Autor desconhecido - data: provavelmente anos 1960).



À ESQUERDA: Apenas sete meses após a inauguração das estações do trecho Jales a Presidente Vargas, o trem P1 da EFA já passava a seguir diretamente para a estação terminal sem baldeação em Jales, até 1952 o ponto final da linha (Folha da Manhã, 1/5/1953).

























À DIREITA: Em 1962, novas composições com nove dos novos carros da EFA (prateados e aom a inscrição lateral "ARARAQUARA" passaram a fazer o trecho da linha-tronco até Presidente Vargas (Folha da Manhã, 1/5/1953).

(Fontes: Rafael Corrêa; Rodrigo Cabredo; Walter Langbeck; Folha da Manhã, 1953; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A plataforma da estação, em 1987, aparecendo das águas da represa. Foto Walter Langbeck

A plataforma, no mesmo dia de 1987, com árvores mortas em volta. Foto Walter Langbeck
 
     
     
Atualização: 30.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.