A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Espinharas
Areia de Baraúnas
Abismo
...

Ramal de C. Grande-1958
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...

 
Rede Ferroviária do Nordeste (1958-1975)
RFFSA (1975-1997)
AREIA DE BARAÚNAS
Município de Areia de Baraúnas, PB
Ramal de Campina Grande - km 342 (1960)   PB-3619
Altitude: 342 m   Inauguração: 1958
Uso atual: em ruínas (2012)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1957
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Campina Grande teve seu primeiro trecho entregue em 2 de outubro de 1907, entre a estação de Itabaiana, na linha da Great Western que ligava Recife a Natal, e a cidade paraibana de Campina Grande. Do outro lado do Estado da Paraíba, entre 1923 e 1926, a Rede de Viação Cearense alcançava a cidade de Souza, partindo de sua linha-tronco que ligava Fortaleza a Crato, no Ceará, a partir da estação de Arrojado. De Souza, a RVC avançou até Pombal (1932) e depois a Patos (1944). O trecho de 164 km entre Patos e Campina Grande somente seria entregue ao tráfego em 1958, e era justamente esta a linha que ligava o Nordete Ocidental ao Oriental, ou seja, o Ceará ao resto do Brasil. Hoje este ramal é um dos mais movimentados, em termos de cargueiros, do Nordeste, ligando Recife a Fortaleza e dali a São Luiz do Maranhão. O tráfego de passageiros no ramal foi desativado nos anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Areia de Baraúnas foi inaugurada em 1958 na linha aberta nesse ano ligando Patos a Campina Grande. A companhia responsável pela sua construção foi a Camillo Collier Ltda, que foi uma das responsáveis pela construção de estações, pontes, aterros, bueiros, entre outros.

Areia de Baraúnas
na época da construção da estação era um distrito de Patos, depois passou para o município de Passagem e em 29 de Abril de 1994, conseguiu a sua emancipação política. Pertence à região do Sertão Paraibano e à microrregião de Patos e ao município de mesmo nome.

A estação segue a linha das demais construídas no ramal, em estilo Art D'ecó, sob base de pedras e construída a partir de concreto armado, e linhas arquitetônicas retangulares.

A estação de Areia de Baraúnas foi desativada oficialmente em 1997 pela RFFSA, embora ainda hoje trafegue trens de carga pelo ramal, quase que diariamente. Em 2012, a ex-estação estava em ruínas.

(Fontes: Jonatas Rodrigues; Diário da Borborema, 1958; Google Maps; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Desenho da estação em 1958. Autor Jonatas Rodrigues

A estação em 1957, sendo preparada para a sua inauguração. Diário da Borborema, 1/1958

A estação em ruínas em 2012. Google Maps
     
     
Atualização: 26.08.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.