...
Engenheiro Lange
Marumbi
Cadeado
...

IBGE - 1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2002
...
 
E. F. Paraná (1885-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
MARUMBI
Município de Morretes, PR
linha Curitiba-Paranaguá - km 59,643 (1936)   PR-2422
Altitude: 479,597 m   Inauguração: 05.02.1885
Uso atual: parada de trem turístico (2016)   com trilhos
Data de abertura do prédio atual: anos 1940
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Curitiba a Paranaguá, a mais antiga do Estado, foi aberta pela E. F. Paraná de Paranaguá a Morretes em 1883, chegando a Curitiba em fevereiro ded 1885. Durante seus 120 anos de existência ela pouco mudou, apenas dentro de Curitiba e na mudança de um ou outro túnel na serra. É considerada um dos marcos da engenharia ferroviária nacional, projetada por André Rebouças e construída por Teixeira Soares, depois de firmas estrangeiras recusarem a obra devido à dificuldade do trecho da serra, entre Morretes e Roça Nova. É também uma das poucas linhas que continua ter trens de passageiros, embora de forma turística apenas, desde os anos 1990, hoje explorado por uma concessionária privada, a Serra Verde. Em 1942, a E. F. Paraná foi englobada pela R. V. Paraná-Santa Catarina, e esta, em 1975, transformada em uma divisão da RFFSA. Em 1996, o trecho passou a ser operado pela ALL, que obteve a concessão da antiga RVPSC.
 
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: A estação de Marumbi, aberta com a linha em 1885, era inicialmente de madeira e provisória. Depois foi construída a estação que durou até os anos 1940, também de madeira. O local teria se chamado anteriormente Taquaral e em seguida Quilômetro 60. O prédio anterior ao atual era de madeira de imbuia, próximo a pedreira explorada pela firma Moscalewski e fora inaugurado no ano de 1913, à direita da linha para quem ia para Paranaguá.

No ano de 1935, Marumbi passou de parada a estação de terceira classe. Nos anos 1940 foi construída a estação atual, de alvenaria, do outro lado da linha em relação à antiga - hoje está do lado esquerdo da linha, para quem desce a serra. A construção e locação do atual, de alvenaria, prendem-se a um episódio curioso. Ponto de apoio para os escaladores da Serra do Mar, os chamados marumbinistas, ao saberem estes que pretendia o Cel. Durival de Britto levantar um novo edifício na mesma posição do anterior, dirigiram-lhe um requerimento em que solicitaram que fosse feita a construção aludida, em Marumbi, ao lado esquerdo de quem desce a linha, por ser fachada sul, afim de que a respectiva plataforma não ficasse exposta às freqüentes chuvas e ventos e também para que se pudesse apreciar o panorama mais lindo desse trecho e o majestoso conjunto granítico de Marumbi, e que também fosse transferido o bar da estação de Eng. Lange para a de Marumbi, tendo-se em vista o maior número de excursionistas, e consequentemente, maior movimento, além de ser ali o cruzamento dos trens M-1 e P-2 e o carro motriz, fato que se afigura de recíproca vantagem, tanto à ferrovia como aos passageiros. Finalmente, pediram-lhe que fosse agregada na construção um pequeno reservado com fogão e chuveiro, destinado unicamente para descanso, abrigo e mudança de roupa, para o número cada vez mais crescente de excursionistas, ficando a cargo destes o zelo, asseio e ordem dessa dependência, de vez que se comprometem também a não perturbar a tranqüilidade dessa estação. O Cel. Durival de Britto, administrador rigoroso e inflexível, não teve dúvidas e atendeu aos marumbinistas: a estação foi construída do lado esquerdo de quem desce a serra.

As antigas casas de turma eram em 2002 do pessoal do IAP. É onde ficam os responsáveis pelo cuidado do local, segurança, além de locais para guardar mochilas e barracas. É basicamente hoje a única parada do trem turístico na serra, usado para desembarcar e embarcar "mochileiros" que passeiam pela serra. Tanto a estação como as casas estavam em 2016 em razoável estado de conservação, apenas.

ACIMA: Bela foto da estação e do pátio de Marumbi, em junho de 2007 (Foto J. C. Kuester).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; J. C. Kuester; Silvio Rizzo; Victor Colombelli; Daniel Trevisan; Nilson Rodrigues; Raul Carneiro Neto; Dirceu Cavalcanti; RVPSC: relatórios anuais, 1920-59; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; IBGE, 1960)
     

Prédio original da estação de Marumbi, em 1885.

Parada de Marumbi, em 1935. Esta foi a segunda estação. Foto dos relatórios da RVPSC

Janela na parte traseira da nova estação, nos anos 1940. Foto cedida por Dirceu C. Cavalcanti

A estação, em 1953. Foto cedida por Dirceu C. Cavalcanti

Estação de Marumbi, em 1982. Foto Nilson Rodrigues

Casas defronte a estação, em 30/05/2002. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação, em 30/05/2002. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação, em 30/05/2002. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 12/2002. Foto Daniel Trevisan

A estação em 08/2005. Foto Raul Carneiro Neto

A estação em 24/5/2009. Foto Victor Colombelli

A estação em 2/12/2015. Foto Silvio Rizzo
     
Atualização: 05.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.