A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Jackson Figueiredo
Arapoti
Calógeras
...

IBGE - 1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2006
...
 
C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1915-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
ARAPOTI (antiga CACHOEIRINHA)
Município de Arapoti, PR
Ramal do Paranapanema - km 28,000 (1935)   PR-0773
Altitude: 870 m   Inauguração: 18.07.1915
Uso atual: Casa da Cultura (2006)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha do Paranapanema, construída para evitar o "perigo paulista", ou seja, a exportação de mercadorias do Norte Velho do Paraná via E. F. Sorocabana pelo porto de Santos, teve o primeiro trecho inaugurado em 1915, ligando Jaguariaíva, na Itararé-Uruguai, a São José, atual Calógeras. Seu prolongamento acabou se arrastando até 1937, quando alcançou a já existente E. F. São Paulo-Paraná e por ela alcançou por tráfego mútuo a cidade de Ourinhos, em São Paulo. Depois da abertura da linha Apucaranas-Uvaranas, em 1975, o ramal entrou em decadência por ter uma linha obsoleta e cheia de curvas. O último trem de passageiros (Trem do Norte, mais tarde "Trem da Miséria", rodou em junho de 1979. Em 2001, o tráfego de cargueiros foi suspenso pela ALL e hoje apenas esporádicos autos de linha passam pela linha, praticamente abandonada em toda a sua extensão.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Arapoti, de madeira, foi inaugurada em 1915 com o nome de Cachoeirinha.

estava totalmente abandonada em 1999; no final de 2000 já havia sido restaurada.

Nos anos 1950 (veja mapa no alto à esquerda) saía daqui um ramal para a fábrica de papel e celulose de Arapoti. A estação abrigava a Casa da Cultura do município e existiam em frente a ela três carros da RFFSA abandonados.

Em 2002, havia também pedaços de ferro, de trilhos retirados, todos empilhados. Mais afastado da cidade, um pé de milho crescia no meio da ferrovia. A praça em frente à estação estava repleta de objetos da ferrovia, como ferramentas e tróleys de manutenção, entre outros.

Em outubro de 2006, a situação era diferente: a linha, apesar de não estar sendo usada, estava em estado bastante razoável e limpa, pelo menos entre Jaguariaíva e Arapoti. A ex-estação continuava bem cuidada em 2006, mas em junho de 2013 estava fechada e já meio abandonada e pichada. A casa da Cultura mudou-se de lá. Os carros, no entanto, ali permaneciam, cada vez mais enferrujados. Em 2016, um incêndio destruiu os carros (ver abaixo).

ACIMA: Trem na estação de Arapoti, provavelmente anos 1930 (Foto ou acervo Cineu Zanetti).

ACIMA: Três carros de aço da antiga RFFSA abandonados já há mais de dez anos no pátio de Arapoti (Foto Daniel Gentili em 5/6/2013). ABAIXO: Incêndio nos carros em 2016 (cessão Daniel Fernando).
(Fontes: Ralph Mennucci Giesbrecht, pesquisa local; Cineu Zanetti; Daniel Fernando; Daniel Gentili; Douglas Razzaboni; Rodrigo Cunha; ABPF-Paraná; A Gazeta do Povo, Curitiba, 17/02/02; RVPSC: Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1960)
     

A estação de Cachoeirinha, em foto sem data. Foto do acervo da ABPF-Paraná

A estação abandonada, em maio de 1999. Foto Rodrigo Cunha

A estação restaurada, em novembro de 2000. Foto Rodrigo Cunha

A estação no início de 2002, com um vagão na frente. Foto do jornal Gazeta do Povo em 17/02/02

A estação em 01/2003. Foto Douglas Razzaboni

A estação em 07/10/2006. Foto Ralph Mennucci Giesbrecht

A estação em 5/6/2013. Foto Daniel Gentili
   
     
Atualização: 17.04.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.