A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Tronco
Carambeí
Boqueirão
...

IBGE - 1960
...
Mapa da linha
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1900-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
CARAMBEÍ
Município de Carambeí, PR
linha Itararé-Uruguai - km 218,800 (1936)   PR-0463
Altitude: 1.117 m   Inauguração: 01.01.1900
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1900? (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Itararé-Uruguai, a linha-tronco da RVPSC, teve a sua construção iniciada em 1896 e o seu primeiro trecho aberto em 1900, entre Piraí do Sul e Rebouças, entroncando-se em Ponta Grossa com a E. F. Paraná. Em 1909 já se entroncava em Itararé, seu quilômetro zero, em São Paulo, com o ramal de Itararé, da Sorocabana. Ao sul, atingiu União da Vitória em 1905 e Marcelino Ramos, no Rio Grande do Sul, divisa com Santa Catarina, em 1910. Trens de passageiros, inclusive o famoso Trem Internacional São Paulo-Montevideo, este entre 1943 e 1954, passaram anos por sua linha. Os últimos trens de passageiros, já trens mistos, passaram na região de Ponta Grossa em 1983. Em 1994, o trecho Itararé-Jaguariaíva foi erradicado. Em 1995, o trecho Engenheiro Gutierrez-Porto União também o foi. O trecho Porto União-Marcelino Ramos somente é utilizado hoje eventualmente por trens turísticos de periodicidade irregular e trens de capina da ALL. O trecho Jaguariaíva-Eng. Gutierrez ainda tem movimento de cargueiros da ALL.
 
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: A estação de Carambeí já existia em 1911, quando a Brazil Railway Company ofereceu as terras à sua volta para o estabelecimento de colônias. Holandeses instalados há anos na colônia Gonçalves Júnior, em Irati, estação mais ao sul do Estado, se interessaram e migraram para Carambeí. Os Verschoor e os Vriesman e outras famílias holandesas mudam-se para lá no

ACIMA: Mapa do loteamento de colônias feito pela Brazil Railway Co. nos anos 1910 em Carambeí - CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VÊ-LA MAIOR - A estação está dentro do lote 3 do loteamento, assinalada com um pequeno losango preto (Brazil Rw. Co., anos 1910).

final desse ano. A vida foi difícil no início. "Em 1912, não havia ali uma loja, nem padeiro ou açougueiro, nem um médico por perto. Não havia escola, nem igreja. A colônia estava completamente isolada, não

TRENS - De acordo com os guias de horários e fontes diversas, trens de passageiros pararam nesta estação de 1900 a 1979. Veja aqui horários em 1948 (Guias Levi).
havia jornais" (Dirksje Bezemer, imigrante holandesa). Com os anos, chegaram mais imigrantes, inclusive alemães, e a colônia cresceu. Uma cooperativa foi fundada, e se tornou a Batavo. Duas estações eram utilizadas para o trem: a de Carambeí e a de Boqueirão, mais ao sul. A estação foi demolida há muitos anos. Em 2015, já havia sido erigida uma réplica da estação, no parque histórico da cidade, ou seja, não no local original (ver foto ao pé da página).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Dirksje Bezemer; Hendrik Adrianus Kooy: Carambeí 75 anos, 1911-1986; RVPSC: Relatórios anuais, 1920-60; RVPSC: Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; IBGE, 1960)
     

Estação de Carambeí, anos 1980. Hendrik Adrianus Kooy: Carambeí 75 anos, 1911-1986

Estação reconstruída; foto de 2015. Autor desconhecido
     
Atualização: 30.07.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.