A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Tronco
Carambeí
Boqueirão
...

IBGE - 1960
...
Mapa da linha
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1900-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
CARAMBEÍ
Município de Carambeí, PR
linha Itararé-Uruguai - km 218,800 (1936)   PR-0463
Altitude: 1.117 m   Inauguração: 01.01.1900
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1900? (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Itararé-Uruguai, a linha-tronco da RVPSC, teve a sua construção iniciada em 1896 e o seu primeiro trecho aberto em 1900, entre Piraí do Sul e Rebouças, entroncando-se em Ponta Grossa com a E. F. Paraná. Em 1909 já se entroncava em Itararé, seu quilômetro zero, em São Paulo, com o ramal de Itararé, da Sorocabana. Ao sul, atingiu União da Vitória em 1905 e Marcelino Ramos, no Rio Grande do Sul, divisa com Santa Catarina, em 1910. Trens de passageiros, inclusive o famoso Trem Internacional São Paulo-Montevideo, este entre 1943 e 1954, passaram anos por sua linha. Os últimos trens de passageiros, já trens mistos, passaram na região de Ponta Grossa em 1983. Em 1994, o trecho Itararé-Jaguariaíva foi erradicado. Em 1995, o trecho Engenheiro Gutierrez-Porto União também o foi. O trecho Porto União-Marcelino Ramos somente é utilizado hoje eventualmente por trens turísticos de periodicidade irregular e trens de capina da ALL. O trecho Jaguariaíva-Eng. Gutierrez ainda tem movimento de cargueiros da ALL.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Carambeí já existia em 1911, quando a Brazil Railway Company ofereceu as terras à sua volta para o estabelecimento de colônias.

Holandeses instalados há anos na colônia Gonçalves Júnior, em Irati, estação mais ao sul do Estado, se interessaram e migraram para Carambeí. Os Verschoor e os Vriesman e outras famílias holandesas mudam-se para lá no final desse ano. A vida foi difícil no início.

"Em 1912, não havia ali uma loja, nem padeiro ou açougueiro, nem um médico por perto. Não havia escola, nem igreja. A colônia estava completamente isolada, não havia jornais" (Dirksje Bezemer, imigrante holandesa). Com os anos, chegaram mais imigrantes, inclusive alemães, e a colônia cresceu. Uma cooperativa foi fundada, e se tornou a Batavo. Duas estações eram utilizadas para o trem: a de Carambeí e a de Boqueirão, mais ao sul.

A estação foi demolida há muitos anos.

Em 2015, já havia sido erigida uma réplica da estação, no parque histórico da cidade, ou seja, fora e longe do local original (ver foto ao pé da página).


ACIMA: Mapa do loteamento de colônias feito pela Brazil Railway Co. nos anos 1910 em Carambeí - CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VÊ-LA MAIOR - A estação está dentro do lote 3 do loteamento, assinalada com um pequeno losango preto (Brazil Rw. Co., anos 1910).

1927
AO LADO:
Acidente proximo a Carambeí (O Estado de S. Paulo, 17/11/1927).

 

TRENS - De acordo com os guias de horários e fontes diversas, trens de passageiros pararam nesta estação de 1900 a 1979. Veja aqui horários em 1948 (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Dirksje Bezemer; Hendrik Adrianus Kooy: Carambeí 75 anos, 1911-1986; RVPSC: Relatórios anuais, 1920-60; RVPSC: Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; IBGE, 1960)
     

Estação de Carambeí, anos 1980. Hendrik Adrianus Kooy: Carambeí 75 anos, 1911-1986

Estação reconstruída, que não está no local original ; foto de 2015. Autor desconhecido
     
Atualização: 29.05.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.