A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Juriti
Rechan
Angatuba
...

ramal de Itararé-1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
E. F. Sorocabana (1907-1971)
FEPASA (1971-1998)
RECHAN (antiga HERVAL)
Município de Itapetininga, SP
Ramal de Itararé - km 236,034 (1931)   SP-2247
Altitude: 590 m   Inauguração: 16.10.1907
Uso atual: estação rodoviária e bar (2013)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 1910
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Itararé começou a ser construído em 1888, partindo da estação de Boituva, mas somente em 1895 chegou a Itapetininga, com extensão de 65 km. Somente em 1905 as obras foram retomadas, e em abril de 1909, a estrada chegou finalmente a Itararé. Sempre crescendo em importância por causa de sua ligação com o sul, o ramal passou a sair da estação nova de Santo Antonio - hoje Iperó - em 1928, aproveitando as obras de retificação e duplicação da linha-tronco, diminuindo o trecho em 23 km. Em 1951, a linha foi eletrificada até Morro do Alto. Em 1960, até Itapetininga e não passou daí. Em 31/12/1978, o tráfego de passageiros no ramal foi extinto. Em 1973 foi construído, de Itapeva, um ramal para Apiaí, e desse, outro para Pinhalzinho, que encontrava a nova linha que vinha da região de Curitiba. O trecho a partir de Itapeva acabou desativado depois que o trecho paranaense até Jaguariaíva foi suprimido, nos anos 1990. Entretanto, em 22/12/1997, o trem de passageiros, voltou a funcionar, desta vez entre Sorocaba e Apiaí. O trem, com algumas interrupções, funcionou até fevereiro de 2001. O trecho entre Itapeva e Itararé teve os trilhos arrancados em 2001. Hoje, apenas as estações de Tatuí, Itapetininga e Buri ainda funcionam para carga de mercadorias, sob a administração da ALL.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi inaugurada em 1907, com o nome de Herval. Em 1910, mudou para o nome atual, Rechan (ou Rechã) - em guarani, "lugar baixo com muita erva", segundo moradores do local. O prédio que ainda está lá hoje parece ser o original. Como a estação de Engenheiro Hermillo, recebeu também em 1909 um embarcadouro para porcos, embarcados em grande quantidade nessa estação. Somente em 1975, quando os trens do ramal de Itararé ainda ali paravam, a vila ganhou eletricidade - pasmem. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo de 4/1/1975, nesse dia a vila tinha "noventa casas, cinco armazéns, uma farmácia, um telefone, dois açougues, sete bares, duas barbearias, um bazar, uma padaria, duas igrejas católicas, dois tempos evangélicos, uma estação ferroviária da FEPASA, um campo de pouso homologado pelo DAC, um grupo escolar com 202 alunos e onze escolas isoladas, totalizando 2021 habitantes, dos quais 1702 eleitores". Além disso, o maior empregador era a Nitro-Química, que "produzia carvão" para outras empresas da Votorantim e empregava 1086 operários. Com a extinção dos trens de passageiros do ramal, em 31/12/1978, a estação continuou aberta para cargas até 1991, quando foi fechada. Aí virou terminal rodoviário com bar e área de lazer. Em 1997, foi restaurada e passou a receber o trem de passageiros Sorocaba-Apiaí, no final desse ano. Rechan é um bairro afastado de Itapetininga, e, embora esse trem somente passasse duas vezes por dia - uma vez à noite, por volta das 21 horas, e outra vez às 9 da manhã - a estação estava sempre cheia de pessoas para ver o trem chegar. Como há cem anos atrás. Em fins de fevereiro de 2001, esse trem foi desativado de vez, mas ainda como terminal rodoviário. O vilarejo perdeu a alegria. A cerca de um quilômetro da estação, a fábrica de sucos Citrovita não é suficiente para manter o movimento de outrora. No armazém, uma escola de capoeira. Em 2008, a função de rodoviária e o bar persistiam. A aparência já era melhor, foi pintada. Em 2013, percebe-se que nem Rechan escapa da violência urbana. As portas e janelas da estação estão com grades. O Correio funciona ali também. O pátio, sem nenhum desvio mais, é um campo de futebol de várzea.

ACIMA: O drama da vila de Rechan em 1948, com seus trens saindo para a sede do município - Itapetininga - somenta a altas horas da noite (Folha da Manhã, 19/12/1948). ABAIXO: A estação de Rechan (à esquerda, à direita era o pequeno armazém) já não tinha mais desvios em 1998 (Foto Carlos R. Almeida, 16/4/1998).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Carlos R. Almeida; Decio Marques; Adriano Martins; Folha da Manhã, 1948; E. F. Sorocabana: relatórios oficiais, 1900-69; IBGE, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Rechan em 13/05/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

Estação de Rechan em 13/05/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

O armazém da estação, em 08/2002. Foto Adriano Martins

Passagem de nível junto à estação em Rechan, em 08/2002. Foto Adriano Martins

A estação de Rechan, pichada e abandonada, em 08/2002. Foto Adriano Martins

Estação, à esquerda, e o armazém, à direita, em 2004. Foto Decio Marques

O pátio (Estação e armazém) visto da entrada da vila em 9/2/2013. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 9/2/2013. Foto Ralph M. Giesbrecht
 
     
Atualização: 15.06.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.