A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Braga
Nova Cruz
Montanhas
...

Linha Norte - 1950
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Natal a Nova Cruz (1883-1902)
Great Western do Brasil (1902-1939)
E. F. Sampaio Correa (1939-1957)
Rede Ferroviária do Nordeste (1957-1975)
RFFSA (1975-1997)
NOVA CRUZ
Município de Nova Cruz, RN (Veja a cidade)
Linha Norte - km 301 (1960)   RN-3215
Altitude: 123 m   Inauguração: 10.04.1883
Uso atual: Casa da Cultura (2010)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1883
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que originalmente unia a estação de Brum, no Recife, a Pureza, próximo à divisa entre Pernambuco e Paraíba, foi aberta de 1881 a 1883 pela Great Western do Brasil, empresa inglesa que tinha a posse e a concessão da E. F. Recife ao Limoeiro. Esta linha avançou até Pilar, na antiga E. F. Conde D'Eu, incorporada à GW em 1901, onde sua linha, aberta em 1883, entre outros ramais, avançava até Nova Cruz, já no Rio Grande do Norte e da E. F. Natal a Nova Cruz, que também passou à GW, na mesma época. Para ligar estas duas últimas, a GW construiu em 1904 um trecho de 45 km, formando então o que veio a ser chamado de Linha Norte. Quando ocorreu a venda da GW para a Rede Ferroviária do Nordeste, no entanto, o trecho do RN já não mais pertencia à GW, mas foi incorporado à RFN, e em 1957 tudo isso foi uma das formadoras da RFFSA. A linha está ativa até hoje sob o controle da CFN, que obteve a concessão da malha Nordeste em 1996, mas trens de passageiros não circulam mais por essa linha desde os anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Nova Cruz foi inaugurada em 1883. Era o entroncamento das linhas da E. F. Natal a Nova Cruz com a E. F. Conde D´Eu. Com o tempo (1901) tudo isso passou a ser administrado pela Great Western do Brasil. Em 1939 houve a separação da linha potiguar, que passou a ser administrada pela E. F. Central do RN, da GWB. Em 1950, com a formação da Rede Ferroviária do Nordeste no liugar da GWB, e sua absorção pela

ACIMA: Pelo jeito, no tempo da E. F. Natal a Nova Cruz ainda sem ser da Great Western, a safra era primordial para uma ferrovia e local pobres. Daí colocarem para atender passageiros nesse período trns mistos. Seriam eles adicionais aos trens comuns de passageiros ou estes haviam sido suspensos para favorescer o trpafego durante a safra? (Jornal Rio Gtande do Norte, 2/9/1891).
RFFSA como uma das subsidiárias, a RFN passou a controlar tudo de novo - embora o nome da EFCRN - agora E. F. Sampaio Correia - tivesse sido mantido por alguns anos. A cidade que hoje tem 40 mil habitantes e é uma das 10 maiores do Estado. A antiga estação, já desativada, não está mais abandonada. Adquirida pela Prefeitura Municipal, foi doada ao Governo do Estado do Rio Grande do Norte, que a transformou na Casa da Cultura Lauro Arruda Câmara. Ela foi totalmente recuperada por técnicos da Fundação José Augusto, com orientação do Patrimonio Histórico, preservando-se suas linhas arquitetônicas. É um monumento da história do transporte ferroviário de passageiros do nordeste, infelizmente desativado. Nova Cruz, por muitos anos, foi o elo de ligação entre Natal e o Recife.
(Fontes: Leonardo Arruda Câmara; Ilvaíta Maria Costa; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, 1959)
     

A estação de Nova Cruz, sem data. Autor desconhecido

A estação nos anos 1950. Foto da Enciclopédia dos Municípios
Brasileiros, 1959

A estação de Nova Cruz, em 2002. Autor desconhecido

A estação de Nova Cruz, em 2002. Autor desconhecido

A estação em 09/2006. Foto Ilvaíta Maria Costa, da Casa da Cultura de Nova Cruz
     
Atualização: 05.11.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.