A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações de Minas Gerais
...
RMV - Linha do Sapucaí
...
Ribeiro
Cristina
Anil
...

Ramal de Sapucaí - 1931
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
V. F. Sapucaí (1891-1910)
Rede Sul-Mineira (1910-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1986)
CRISTINA
Município de Cristina, MG
Ramal de Sapucaí - km 127,423 (1960)   MG-2782
Altitude: 992 m a Inauguração: 15.03.1891
Uso atual: estação rodoviária (2020)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: possivelmente 1891
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Viação Férrea do Sapucaí, aberta como E. F. do Sapucaí em 1887, inaugurou o primeiro trecho de linha até Itajubá em 1891, partindo de Soledade, na E. F. Minas e Rio. Em 1897 chegou a Sapucaí, na divisa com São Paulo, tendo cedido o trecho que chegava a Itapira à Mogiana bem antes disso. Incorporada pela Rede Sul-Mineira em 1910, daí à RMV em 1931, VFCO em 1965 e finalmente à RFFSA em 1975, os trens de passageiros deixaram de circular no final dos anos 1970 e os trilhos foram retirados a partir de 1986.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Cristina foi inaugurada em 1891 (cf. Relatorio da Cia. Viação Ferrea do Sapucahy em 25/5/1891, p. 23). Também de acordo com este relatório, a estação era já "a definitiva", concluída em 15/4/1891. Se houve outra estação mais nova, que esta primeira, não sei dizer.

"Cristina é uma cidade que me surpreendeu pelo grande valor que sua população dá à ferrovia, não deixando que ela seja esquecida, até a página do site que conta a história da cidade, mais da metade é dedicada à E. F. Sapucaí. Recentemente eles adquiriram junto à RFFSA a locomotiva 423, que fica hoje exposta em frente ao museu do trem da cidade, que reúne muita coisa da ferrovia, além de outros objetos referentes à cidade. A estação foi toda restaurada e abriga a rodoviária; a caixa d´água, que fica bem próxima a ela e data do século XIX, foi restaurada com a colaboração da população que não queria que o passado ferroviário da cidade acabasse quando a estrada de ferro foi erradicada" (Marco Giffoni, Guaratinguetá, SP).

Em 2007 a ex-estação passou por reforma geral.

1890
AO LADO:
Teste de locomotivas no trecho até Cristina (O Estado de S. Paulo, 25/4/1890).

ACIMA: Acidente ocorrido na extinta linha da RMV entre Soledade de Minas e Sapucaí na década de 1970: Duas G-12 tombaram no trecho entre Carmo de Minas e Cristina, na Serra do Pedrão. Os maquinistas ainda tiveram tempo de saltar das locos e se salvaram (Foto Mauro Couto, ex-maquinista da RFFSA - SR2).

ACIMA: Estação, caixa d'água e área do antigo pátio ferroviário, em junho de 2010 (Foto Adriano Martins).

(Fontes: Carlos Roberto de Almeida; Basilio Video; Fernando Villamarim; Hugo Caramuru; Mauro Couto; Adriano Martins; Marco Giffoni; Jonathan Sobral; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-79)
     

A estação no final dos anos 1960, ainda com trilhos. Foto Hugo Caramuru

A estação ainda com trilhos, provavelmente anos 1980. Basilio Video

A estação em 1993. Foto Carlos Roberto de Almeida

Locomotiva 423 exposta em frente à estação de Cristina, em 2001. Foto Marco Giffoni

Estação de Cristina, em 2001. Foto Marco Giffoni

Museu de Cristina, em 2001. Foto Marco Giffoni

A estação de Cristina, em 2007. Foto Jonathan Sobral

A estação de Cristina, em 2007. Foto Jonathan Sobral

A estação em 7/2011. Foto Fernando Villamarim
     
Atualização: 22.03.2021
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.