A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Cristal
Vila Nova
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 1993
...
 
 
E. F. do Riacho (1926-1930)
VILA NOVA
Município de Porto Alegre, RS
Ramal de Vila Nova - km 4,200 (1926)   RS-4334
Altitude: -   Inauguração: 17.10.1926
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1926 (já demolido)
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. do Riacho foi aberta em 1899 para o transporte de cubos entre o bairro do Riacho e do Asseio. Estes cubos eram feitos a partir de matéria excrementosa que deveria ser prensada e despejada no trapiche da Ponta do Mello. A partir de 1900, a ferrovia passou a transportar também passageiros, bagagens e mercadorias. A tração era animal, passando para trens a vapor aparentemente nos anos 1910. Em 1912, a linha foi estendida até a praia de Pedra Redonda. Em 1924, levou-se a linha até o cais do porto para transportar pedras para as obras desse cais. Em 1926, foi aberto também um ramal para Vila Nova. Em seguida, em 1927, a linha foi levada até a recém-inaugurada estação de Ildefonso Pinto, que também se ligava com a estação central de Porto Alegre e de onde também saíam trens da VFRGS para o interior do Estado. Os guias de horários ainda acusam trens entre as estações de Riacho e de Pedra Redonda, passando por Tristeza, em 1932, mas já não os acusam em 1938. Attila do Amaral afirma que a linha passou para a administração da VFRGS em 1938 e que nessa época a extensão total de suas linhas era de 13,770 km. Também diz que essa linha foi erradicada somente em 1966.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Vila Nova, cujo nome real era Vicente Monteggia, foi inaugurada em 17/10/1926, como ponto terminal do ramal de Vila Nova da E. F. do Riacho, com 4,200 metros.

Aparentemente, esse ramal funcionou por pouco tempo: o Guia Levi de janeiro de 1930 já não acusava a sua existência, embora mostrasse o trecho Riacho-Tristeza-Pedra Redonda. Transcrevo agora a página do jornal que noticiou o fato:

"No domingo, 17 de outubro, realizou-se a velha aspiração dos laboriosos moradores do próspero arrabalde de Vila Nova, com a inauguração de um ramal férreo, que partindo do Cristal alcança aquele povoado. Às 10 horas partiu do cais do porto o trem inaugural com dois carros repletos de autoridades, convidados e uma banda de música. Chegados ao ponto inicial, pouco além do Cristal, desceram todos os excursionistas e dirigiram-se junto à chave que dá entrada para o ramal de Vila Nova, cuja chave estava amarrada com fitas com as cores do Estado. O Sr. Major Alberto Bins, vice-intendente da Capital, representando o Sr. Dr. Octavio Rocha, digno intendente, cortou as fitas e pronunciou as seguintes palavras:

'Neste momento, em nome do Intendente Municipal, e como Vice-Intendente, cabe-me a honra de abrir a chave do desvio, que liga a estação do Cristal ao arraial de Vila Nova, eu o faço em nome do Intendente Municipal, que com isso, cumpre mais uma promessa dos grandes melhoramentos prometidos, para o embelezamento e para o progresso do município de Porto Alegre'. As última palavras foram recebidas com vivas e palmas. Em seguida pos-se o trem em movimento, em demanda da estação Vicente Monteggia, ponto terminal do ramal, no centro da Vila Nova. A linha que percorre a distância de 4.200 metros, entre plantações, parreiras e chácaras, oferece ao viandante uma visão exata da prodigiosa fertilidade da terra e da inteligente laboriosidade dos habitantes daquela zona. À chegada da comitiva em Vila Nova subiram ao ar inúmeros foguetes, os sinos repicaram e a população dava vivas que eram correspondidas pelos excursionistas. Em seguida foi inaugurada a estação Vicente Monteggia, perante as altas autoridades municipais, convidados e enorme multidão. Houve banquete, churrasco e a mais franca alegria, todos felicitando aos dignos moradores de Vila Nova pelo útil melhoramento que aos esforços do Dr. Octavio Rocha eles deviam. Durante todo o dia e pela noite adentro, grande foi a concorrencia ao belo arrabalde para participar dos festejos e regozijo popular" (O Ferroviário, Porto Alegre, 1/11/1926).

O jornal O Estado de S. Paulo, no entanto, anunciava em 14 de outubro que o ramal e a estação somente seriam abertos em 19 de outubro, uma terça-feira.

ACIMA: Notícia de O Estado de S. Paulo em 14/10/1926.


ACIMA: O momento em que o Sr. Major Alberto Bins, vice-intendente, corta a fita simbolica e entrega ao tráfego o novo ramal férreo (Acervo Paulo N. de Carvalho).

(Fontes: O Ferroviário, Porto Alegre, 1926; O Estado de S. Paulo, 1926; Attila do Amaral: Primordios e Desenvolvimento do Transporte Ferroviário no Rio Grande do Sul, Ministério dos Transportes, 1970; Gazeta do Povo, Porto Alegre, 2008; Guias Levi, 1932-60)
     

 
     
Atualização: 12.08.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.