A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Monte Verde
Severínia
Alvora
...

ram. Nova Granada-1950

IGG-SP-1945
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2000
...
 
 
Cia. Ferroviária São Paulo-Goiaz (1918-1950)
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1950-1969)
SEVERÍNIA (antiga LUIZ BARRETO)
Município de Severínia, SP
Ramal de Nova Granada - km 55,005   SP-2842
Altitude: 584 m   Inauguração: 10.1918
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Companhia Estrada de Ferro São Paulo-Goiaz começou a operar em 1910 ou 1911, dependendo da fonte, com a intenção de levar os trilhos até Goiás, partindo da estação de Bebedouro. As linhas também seguiriam dessa estação da Paulista até a estação de Passagem nos anos seguintes. Em 1914, a empresa faliu e em 1916 foi constituída a partir da massa falida, que continuava operando, a Cia. Ferroviária São Paulo-Goiaz. Nessa altura, a linha seguia de Passagem a Villa Olímpia (Olímpia), passando por Bebedouro, com um ramal saindo de Ibitiúva a Terra Roxa. Em 1927, a Paulista comprou todo o trecho entre Passagem e Bebedouro, incluindo o pequeno ramal; a CFSPG passou a operar apenas o trecho Bebedouro-Olímpia, que em 1931 foi esticado até Nova Granada. A ferrovia, de bitola métrica, que deveria cruzar a fronteira próximo a Icem, na Cachoeira do Marimbondo, nunca passou de Nova Granada nem chegou a Goiás. Em 1950, a Cia. Paulista a adquiriu e a transformou no ramal de Nova Granada. Este, depois de receber pesados investimentos durante os dez anos seguintes, acabou por ter o trecho final (Olímpia-Nova Granada) suprimido pela Paulista já estatal, em 1966, e em 2/1/1969, todo a linha restante também foi extinta. Os trilhos e as propriedades foram arrancados e vendidas pouco tempo depois. Dela pouca coisa restou, tendo a grande maioria das estações sido demolida.
 
A ESTAÇÃO: "A cidade de Severínia foi fundada por José Severino de Almeida e seus filhos, proprietários da fazenda Bagagem, de plantação de café e criação de gado. Em 1913 (nota do autor: em outras fontes consta como 1911), a E. F. São Paulo-Goiaz inaugurou a estação de Monte Verde e, 9 km além, fazia apenas uma parada em terras da fazenda Bagagem. Em vista de necessitarem de uma estação no local da referida parada, os fazendeiros da circunvizinhaça formaram uma comissão para pleitear aquele benefício junto à ferrovia. José Severino de Almeida doou 50 alqueires de suas terras para a formação do patrimônio de São José de Severínia, em 19 de fevereiro de 1914, e a estação foi construída às expensas dos fazendeiros da região. Julgaram os doadores que à estação seria dado o nome de Severínia, e foi com espanto geral que, no dia da sua inauguração, viram figurar na respectiva placa o nome de Luiz Barreto, em homenagem ao famoso médico e não ao velho sertanejo José Severino. Houve reclamação da política dominante, nada conseguindo porém. Somente em 1921 a estação recebeu o nome de Severínia, quando o patrimônio foi elevado a distrito de paz com essa denominação. O distrito voltou a chamar-se Luiz Barreto em dezembro de 1931, mas novamente renomeado como Severínia em dezembro de 1938" (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XXX, IBGE, 1958). A partir de 1950, com a aquisição da ferrovia pela Companhia Paulista, passou a fazer parte do ramal de Nova Granada. A estação servia às fazendas do sr. Jeremias Lunnardelli, "rei do café" no Brasil (Orlando Junqueira Franco, São Paulo, 1999). A estação funcionou até sua desativação no início de 1969, e seus trilhos foram retirados logo depois. A estação foi demolida, ao que parece não muito tempo após o fim, e em 2000 o local já estava ocupado por casas, ainda existindo algum terreno vago. O que existe hoje não lembra em nada o que aquilo foi no passado, e somente se sabe sua localização por antigos moradores da cidade. A vila original se tornou sede de município, e a estação ficava onde hoje é um dos limites da área urbana.
(Fontes: Ralph M; Giesbrecht, pesquisa local; Daniel Gentili; Orlando Junqueira Franco; E. F. São Paulo-Goiaz: Relatórios anuais; Cia. Paulista de Estradas de Ferro: Relatórios anuais; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XXX, 1958; Revista SPR: suplemento especial sobre a SPG, 1941)
     

Plataforma da estação de Severínia, em 1941. Foto Revista SPR, suplemento especial sobre a SPG, 1941

Estação de Luiz Barreto, talvez anos 1940. Autor desconhecido
 
     
     
Atualização: 02.07.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.