A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Cerquilho
Tietê
...

IGG-1928
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2005
...

 
E. F. Sorocabana (1883-1892)
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1892-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1962)
TIETÊ
Município de Tietê, SP
Ramal de Tietê - km 173,203 (1931)   SP-2924
Altitude: 492 m   Inauguração: 01.01.1883
Uso atual: albergue   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Tietê foi aberto em 01/01/1883, a partir de Cerquilho. Só tinha uma estação, e durante alguns anos, até a construção das estações seguintes da linha-tronco serem entregues (Juru-Mirim e Laranjal, em junho de 1886), Tietê foi a ponta de linha do tronco da Sorocabana. A partir daí, tornou-se o ramal mais curto - 9 km - da Sorocabana. O ramal foi finalmente desativado em 31 de dezembro de 1960. O arrancamento dos trilhos foi autorizado por carta de 09/01/1962, e a partir daí desapareceram os vestígios do curto ramal.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Tietê foi inaugurada em 1883. Dois anos depois, o jornal de São Paulo, Diário Popular, de 20 de janeiro de

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Reforma e pintura da estação

1885, falava sobre a cidade, "distante de Sorocaba três horas de viagem de caminho de ferro" e que no "cemitério velho (...) encontramos (...) os restos do infeliz Dr. Andrade, morto desastradamente na via férrea" (...) (Benedicto P. Almeida, Cronologia Tieteense, 1980). Durante alguns anos, até a construção das estações seguintes da linha-tronco serem entregues (Juru-Mirim e Laranjal, em junho de 1886), Tietê foi a ponta de linha do tronco da Sorocabana. A partir daí, tornou-se a estação terminal do ramal mais curto (9 quilômetros) da ferrovia. "Efetuou-se domingo passado, 19 de maio, como fora anunciado, a inauguração da Igreja de São José, recentemente edificada na povoação de Cerquilho. Sábado e domingo esteve em festas aquele local, para onde afluiu grande massa de povo desta cidade. Domingo, além dos trens do horário, partiu desta cidade (Tietê), às 3 horas da tarde, um trem especial, levando muitas famílias e cavalheiros que ali foram assistir às festas. Às 7 horas da noite voltou o especial que foi pequeno para acomodar todo o povo, havendo, por isso, necessidade de pedir à diretoria da Sorocabana mais um trem para conduzir os que ali tinham ficado. Era tal a aglomeração de povo que, logo Às 5 horas da tarde, duas horas antes de partir o trem, já se achavam completamente cheios os vagões (...)" (O Tietê, 26 de maio de 1907). Nessa época, Cerquilho era um bairro de Tietê, formado em volta da estação. No ano de 1917, um incêndio no armazém ao lado da estação. às 19 horas, foi anunciado por um silvo prolongado de uma locomotiva a vapor e logo em seguida pelo badalo do sino da Igreja Matriz, ruídos que, na época, avisavam a população de que algo havia acontecido. 110 fardos de algodão que estavam no armazém se incendiaram com fagulhas da locomotiva e se transformaram num violento incêndio. Um ano mais tarde, em 2 de agosto, a imprensa local afirmava que, a partir daquela data, haveria dois trens noturnos por semana no ramal, saindo de Cerquilho: um às segundas-feiras e outro às sextas-feiras, saindo de Cerquilho por volta de meia-noite. Quanto tempo terão durado estes noturnos? Em 1928, foi instalado um girador de locomotivas na estação, ao mesmo tempo em que se contruía um triângulo em Cerquilho, saída do ramal, para "se evitar a inconveniência da vinda do trem dali para cá em afastamento (ou seja: de ré), com riscos de desastres aos passageiros (...) uma necessidade de há muito justamente reclamada" (Benedicto P. Almeida, Cronologia Tieteense, 1980). Em janeiro de 1945, durante a construção das variantes que deveriam ser feitas no tronco da Sorocabana para a continuação da eletrificação da linha - no trecho entre São Paulo e Santo Antonio (hoje Iperó), já estava funcionando desde novembro de 1944 - esteve na cidade o Sr. Orozimbo Soares, engenheiro da ferrovia, que teria anunciado a construção de uma nova estação para a cidade, que substituiria a velha, em local diferente, "na rua Esportiva, no trecho entre as ruas Antonio Neri e 12 de Outubro". Tal estação jamais foi construída, mantendo-se o ramal e a estação antiga como eram. As variantes, no entanto, continuaram sendo feitas. De qualquer forma, a velha estação e o ramal foram desativados em 31 de dezembro de 1960, com a máquina a vapor de número 427 puxando a última composição. O prédio da estação ainda existe em 2011) e funciona como albergue da Prefeitura. "Somente posso lhe dizer que o último chefe de estação de Tietê foi Cicero Pupatto, meu primo recentemente falecido naquela cidade e lá sepultado" (Renê Alves de Almeida, 06/2006).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Rafael Asquini; Renê Alves de Almeida; Benedicto P. Almeida: Cronologia Tieteense, 1980; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1875-1964; IGG, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, já desativada. Foto Alberto Del Bianco, sem data

A estação em 2000. Foto Lourenço Paz

A estação em 2000. Foto Lourenço Paz

A estação em 3/8/2011. Foto Rafael Asquini

A estação em 3/8/2011. Foto Rafael Asquini
 
     
Atualização: 19.05.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.