A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Azevedo Marques
Viradouro
Terra Roxa
...

ramal de Terra Roxa-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
E. F. São Paulo-Goiaz (1913-1927)
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1927-1966)
VIRADOURO
Município de Viradouro, SP
Ramal de Terra Roxa - km 18,510   SP-2963
Altitude: 529,893 m   Inauguração: 1913
Uso atual: escola (2017)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A C. E. F. São Paulo-Goiaz iniciou a operação em 1911, com o trecho Passagem-Pitangueiras, prolongado até Ibitiúva em 1912 e até Viradouro em 1913. A ligação desta linha com a outra da Cia., a Bebdouro-Monte Azul, só foi concretizada em 1916, construída pela massa falida da Cia., extinta em 1914. A Cia. Ferroviária São Paulo-Goiaz assumiu a linha e o trecho de Viradouro acabou sendo um ramal que partia de Ibitiúva, depois da união das linhas. Em 1918, o ramal foi prolongado até Terra Roxa, com o nome de ramal de Jaborandy, para onde a linha deveria seguir. Tal prolongamento nunca se realizou. Em 10/01/1927, a Paulista adquiriu da CFSPG o trecho Passagem-Bebedouro e o ramal, que passou a se chamar ramal de Terra Roxa (ou de Viradouro e Terra Roxa). Sempre com bitola métrica, o ramal somente foi extinto em 01/09/1966 pela Paulista, já estatal. Os trilhos foram retirados logo depois.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi aberta em 1913 pela São Paulo-Goiaz original. Era na época ponta de linha do trecho Passagem-Viradou-ro, que não tinha ainda conexão com o trecho de Bebedouro a Monte Azul.

Com a construção dessa linha de união em 1916, Viradouro passou a ser ponta do chamado ramal de Jaborandy, até 1918, quando ele foi prolongado até Terra Roxa.

Em 1927, a linha foi comprada pela Paulista e transformada no ramal de Terra Roxa ou ramal de Viradouro e Terra Roxa.

"Passei de "Maria Fumaça" aqui há uns 50 anos atrás, vindo de Ibitiúva indo para Terra Roxa, onde morava um tio que cuidava do carro-correio do trem. Para chegar a Ibitiúva, pegava um ônibus em Ribeirão Preto que nos deixava na Estação de Barrinha, lá embarcávamos no trem da Paulista com locomotiva díesel que vinha da Luz com ponto final em Colômbia e descíamos em Ibitiúva fazendo a baldeação para Terra Roxa. O tempo total da viagem era de aproximadamente umas 4 horas, mas valia a pena, como eu gostava" (Silvio Rizzo, 7/4/2017).

A estação foi desativada junto com o ramal, em 01/09/1966.

Depois de servir como Conselho Tutelar Municipal, a ex-estação foi reformada e em 2017 era utilizada como escola.



ACIMA: A estação de Viradouro, ainda em funcionamento, provavelmente nos anos 1950. Notar os vagões da CP (Acervo Roger Gibran Viola). ABAIXO: Vista aérea do pátio em 2008: a estação aparece em primeiro plano, com as telhas de barro (Foto Roger Gibran Viola).


ACIMA: Anuncio da supressão do ramal de Terra Roxa para o dia 1/9/1966 (Folha de S. Paulo, 12/8/1966).

AO LADO: Quatro anos depois da desativação do ramal, Viradouro ainda não tinha uma estrada de rodagem asfaltada, conforme prometido em 1966 (O Estado de S. Paulo, 17/5/1970).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1913 a 1966. Ao lado, a linha do ramal em Terra Roxa, foto sem data. Veja aqui horários e fotos do ramal.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Silvio Rizzo; Roger Gibran Viola; Cia. Paulista: relatórios anuais, 1925-69; O Estado de S. Paulo, 1970; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A ex-estação de Viradouro em 29/12/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A ex-estação de Viradouro em 29/12/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

O prédio por volta de 2004. Foto Roger Gibran Viola

O prédio por volta de 2004. Foto Roger Gibran Viola

O prédio por volta de 2004. Foto Roger Gibran Viola

O prédio reformado, em 2008. Foto Roger Gibran Viola

O prédio reformado, em 2008. Foto Roger Gibran Viola

O prédio como escola, em 7/4/2017. Foto Silvio Rizzo
 
     
Atualização: 12.04.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.