A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Simonsen
Votuporanga
Valentim Gentil
...

Tronco EFA-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Araraquara (1944-1971)
FEPASA (1971-1998)
VOTUPORANGA
Município de Votuporanga, SP
Linha-tronco - km 302,811 (1960)   SP-2979
Altitude: 504 m   Inauguração: 10.12.1944
Uso atual: desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 1960. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: Depois de estudos que tinham como opção a passagem da linha da E. F. Araraquara por Neves Paulista e Monte Aprazível, mais ao sul, ou por Tanabi e Alvares Florence, mais ao norte, a ferrovia acabou passando pelo meio dos dois espigões, atingindo Votuporanga em 1944.

A estação foi inaugurada em dezembro de 1944, segundo o relatório da EFA, ou em 5/5/1945, segundo José Carlos Rossato.

A cidade, que já tinha mais de cinco anos nessa época, foi beneficiada pois a
linha ali ficou parada por quatro anos, quando em 1949 foi aberta a estação seguinte (Valentim Gentil).

Com isso, vinha muita gente e também carga de toda a região para ali pousar e embarcar, o que facilitou um rápido crescimento da cidade. Teria sido esse prédio, aberto na inauguração da estação, o atual? Ou seria, mas ainda sem estar completado? O fato é que, em 18 de janeiro de 1946, em reportagem da Folha da Manhã, escrevia-se que a plataforma de embarque aparentemente não tinha cobertura: "Faz-se sentir a necessidade da construção de um abrigo na estação ferroviária local, para proteger, nos dias chuvosos, os passageiros que permanecem à espera da partida dos trens".

Em abril de 1958, a linha de bitola larga atingiu a cidade, tornando a viagem para São Paulo menos demorada. Nessa época, era feita a troca de composições na estação, pois a bitola métrica ainda permaneceria além de Votuporanga por alguns anos.

A estação fica longe do centro da cidade, e hoje em dia a praça à sua frente serve para manobras de auto-escola. Desativado como estação, o prédio está todo fechado e servindo à Prefeitura. Do outro lado da linha existe uma antiga e bela vila ferroviária.

VOTUPORANGA EM 1945 - "Fundada em 1938, em 1943 a cidade ainda não contava uma centena de casas. Hoje, tem tantas e tal é o surto de construção, que poucos moradores do local podem saber quantos são. Dizem-se igualmente bem informados os que afirmam existirem 800 e os que pensam serem 1000. Afirma-se que se tem construído uma casa por dia. Isso, no entanto, não basta às solicitações dos adventícios, que todas as noites aí despeja em quantidade do trem da Araraquarense. Assim nos retratou um habitante da cidade os fatores de tão rápido crescimento: ponto final de estrada de ferro, pequenas propriedades agrícolas, obra livre do povo, aí sem cacique. Sem cacique? Sim. O equilíbrio ideal da anarquia? Quase. E as propriedades agrícolas? Na maioria, de 1 a 50 alqueires. Terras boas? Terras novas, podendo produzir apenas umas 220 arrobas de algodão por alqueire. Há cereais, algum gado, este mais longe, onde começam os latifúndios. E café? Um pouco; a era do café está passando. São duas horas da tarde de uma segunda-feira e a rua principal de Votuporanga nos dá a impressão de que varamos a tela de um cinema e somos agora, nós também personagens de uma fita de "far-west" (...)".

AO LADO: De Folha da Manhã, 29/7/1945.

ACIMA: (esquerda) Casa ferroviária; (direita) Antigo almoxarifado. ABAIXO: (esquerda) Caixa d´água de concreto, bem típica da EFA; (direita) Armazém do pátio (Fotos Rafael Correa, fevereiro de 2009).


ACIMA: A estação, anos 1950 - CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VÊ-LA MAIOR (Autor desconhecido).

ACIMA: Plataforma da estação em 2015. Ao fundo, o armazém. ABAIXO: Plataforma da estação em 2015. Ao findo, a estação (Fotos Silvio Rizzo).

(Fontes: Silvio Rizzo; Alberto Del Bianco; Rafael Correa; Rodrigo Cabredo; Folha da Manhã, 1945 e 1946; Relatórios oficiais da EFA, 1940-69; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Adriano Lima: Votuporanga Através dos Tempos, 1955; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Votuporanga em 1955. Foto cedida por Adriano Lima, extraída do livro Votuporanga Através dos Tempos, de 1955.

Carro de passageiros de aço-carbono, hoje raríssimo, da antiga Paulista, no pátio da estação (09/2001). Foto Rodrigo Cabredo

Plataforma da estação de Votuporanga em 09/2001. Foto Rodrigo Cabredo

Fachada da estação em 09/2001. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 2009. Foto Rafael Corrêa

A estação em 2009. Foto Rafael Corrêa
     
     
Atualização: 19.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.