A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Votuporanga
Valentim Gentil
Meridiano
...

Tronco EFA-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Araraquara (1949-1971)
FEPASA (1971-1998)
VALENTIM GENTIL
(antiga JACILÂNDIA)

Município de Valentim Gentil, SP
Linha-tronco - km 315,231 (1960)   SP-2953
Altitude: 504 m   Inauguração: 17.12.1949
Uso atual: estação rodoviária (2005)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 1950
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 60. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Valentim Gentil foi inaugurada como Jacilândia no final de 1949. Em 1950, a EFA transferiu a construção ali existente para Estrela D'Oeste, mais à frente, e construiu um prédio provisório de madeira para Valentim Gentil, já com o nome atual (relatório EFA - 1950). Em 1986, o prédio definitivo, dos anos 1950, já havia sido transformada pela Prefeitura Municipal em estação rodo-ferroviária, e atualmente (09/2001) é apenas a rodoviária, depois do fim dos trens de passageiros no trecho em 1997. "Em Valentim Gentil, a estação é atualmente mais uma

ACIMA: Pátio de Valentim Gentil, ainda com os desvios. Estação em primeiro plano, armazem ao fundo (Foto Alberto del Bianco em 1982). ABAIXO: (esquerda) Armazém de Valentim Gentil em 02/2009. (direita) Placa indicativa da estação em 02/2009 (Fotos Rafael Corrêa).

lanchonete e ponto de encontro de amigos do que propriamente rodoviária. O guichê da rodoviária ocupa uma pequena saleta (1/4) da estação, uma parte é constituída pelos sanitários (1/4) e a maior parte (2/4) funciona como uma lanchonete que coloca mesinhas e uma mesa de bilhar na plataforma. Na noite do sábado ia ocorrer um bingo, que parece ser frequente. O armazém também ainda existe e é ocupado por dois particulares que dividem o prédio e o utilizam ambos como oficinas de marcenaria
" (Edinilson Marques, 15/10/2005).
(Fontes: Alberto Del Bianco; Rafael Correa; Silvio Rizzo; Rodrigo Cabredo; Edinilson Marques; Hermes Y. Hinuy; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; EFA: Relatórios anuais, 1940-69; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação na inauguração do segundo prédio, em madeira, em 1950. Autor desconhecido

A estação - a terceira e atual - em 1982. Foto Alberto Del Bianco

A estação em 26/09/2001. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 26/09/2001. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 24/04/2003. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação em 15/10/2005. Foto Edinilson Marques

A estação em 02/2009. Foto Rafael Correa

A estação em 02/2009. Foto Rafael Correa

A estação em 2010. Foto Edinilson Marques

A estação em 11/2014. Foto Silvio Rizzo
   
     
Atualização: 23.11.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.