A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Ouro
Araraquara
Américo Brasiliense
...
Saída para o tronco da
E. F. Araraquara
:
Tutóia
...

Tronco CP-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2015
...
 
Cia. Rio-Clarense (1885-1889)
Rio Claro Railway (1889-1892)
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1892-1971)
FEPASA (1971-1998)
Ferroban/ALL (1998-2013)
ARARAQUARA
Município de Araraquara, SP
Linha-tronco - km 253,767 (1958)   SP-0968
Altitude: 646 m   Inauguração: 18.01.1885
Uso atual: museu ferroviário (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: c.1912
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da Cia. Paulista foi aberta com seu primeiro trecho, Jundiaí-Campinas, em 1872. A partir daí, foi prolongada até Rio Claro, em 1876, e depois continuou com a aquisição da E. F. Rio-Clarense, em 1892. Prosseguiu por sua linha, depois de expandi-la para bitola larga, até São Carlos (1922) e Rincão (1928). Com a compra da seção leste da São Paulo-Goiaz (1927), expandiu a bitola larga por suas linhas, atravessando o rio Mogi-Guaçu até Passagem, e cruzando-o de volta até Bebedouro (1929), chegando finalmente a Colômbia, no rio Grande (1930), onde estacionou. Em 1971, a FEPASA passou a controlar a linha. Trens de passageiros trafegaram pela linha até março de 2001, nos últimos anos apenas no trecho Campinas-Araraquara.
 
A ESTAÇÃO: Inaugurada pela E. F. Rio-Clarense em 1885, a estação de Araraquara sempre foi uma das estações mais importantes da linha-tronco, principalmente porque, de seu pátio, passaram a sair desde 1898 os trilhos da antiga E. F. Araraquara, levando à primeira estação dessa linha, Tutóia.

Em 1932, o chefe da estação era o Sr. Synesio Wiss Barreto.

Em 1952, a plataforma de embarque, que servia também à EFA, foi elevada, pois era muito baixa e diversos acidentes com passageiros haviam sido registrados (Folha da Manhã, 18/7/1952).

Recebeu trens de passageiros até 15 de março de 2001, e foi uma das poucas estações que foram aproveitadas pela Ferroban em 1998.

Entre 1997 e 1999, foi o ponto final da linha eletrificada da antiga Paulista, pois os cabos aéreos entre essa estação e Rincão foram retirados. Em 1999, toda a eletrificação da linha-tronco foi retirada.

A estação esteve fechada, apenas com uma sala atendendo ao atual concessionário da linha, a ALL. Uma série de vagões e locomotivas abandonadas, inclusive uma V-8, jazem aguardando o seu fim em seu imenso e comprido pátio.

Em 2008, estava sendo reformada por dentro, com descaracterização grande de seu hall principal com a colocação de escadas e elevador metálicos e retirada de seu teto de madeiras original. Fora isso, a amurada de madeira original do andar superior do hall foi cortada para o complemento da escada matálica. A população e a imprensa se revoltaram com o descaso da prefeitura (cujo prefeito estava no final de 2008 deixando a mesma). Falta de respeito com o patrimônio histórico nacional.

Estive na estação em 9/1/2009: ela foi toda pintada, inclusive o saguão, onde com a pintura e emassamento desapareceram os tijolos de cerâmica que haviam sido colocados pela FEPASA nos anos 1980. A escada de ferro e a
armação do elevador estavam lá e a grade de madeira do segundo andar realmente havia sido serrada e retirada para o encaixe da escada. Havia um balcão no saguão, com o vigilante e o recepcionista do museu. O acervo do museu ainda não estava lá porque a iluminação não está ainda completada. No segundo andar, alguns quadros de um pintor local e o piso de madeira tinha sido substituído por madeira nova; existe ainda uma parte do antigo piso hidráulico. Pelo pátio inteiro, ainda estavam lá diversas locomotivas diesel depredadas, carros de passageiros e vagões, além da V-8. Tudo largado. Em agosto de 2009, já estava tudo remodelado: a escada de metal foi retirada, a amurada de madeira foi consertada no andar superior e o elevador do saguão foi levado para a sala da bilheteria, onde compromete menos a arquitetura. O acervo do museu já está colocado.

O museu somente foi inaugurado em 2011 pela ABPF. CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE (gentileza Antonio Carlos Mussio)


ACIMA: Chegada do primeiro trem da Rio-Clarense em Araraquara, em 1885. À frente da locomotiva está escrito: "Viva o Visconde do Pinhal, Digno Presidente da Cia. Rio Claro - Viva Araraquara!" (Acervo Arquivo Histórico do Município de Rio Claro). ABAIXO: (direita) Casa ao lado da estação de Araraquara, à direita de quem olha de frente para ela. Atrás está o armazém. (direita) Piso hidráulico em parte do segundo andar da estação de Araraquara - o resto é madeira (Fotos Ralph M. Giesbrecht em 9/1/2009).



ACIMA: A G-9 da Fepasa, oriunda da E. F. Araraquara, em 1977, tracionando um trem de passageiros provavelmente para Santa Fé do Sul.

DUAS BITOLAS E ENTRONCAMENTO - A estação de Araraquara é uma estação de entroncamento desde 1898, quando a E. F. Araraquara iniciou suas atividades tendo-a como ponto inicial a partir dos trilhos da Cia. Paulista. O fato de ser o encontro de duas ferrovias diferentes ajudou a cidade a crescer bastante, tendo pessoal técnico e administrativo das duas empresas empregados no pátio. Até 1922, foram trilhos de uma bitola apenas, a métrica. Daí até 1955, duas bitolas: larga para a CP (1,60 M) e métrica para a EFA. Em 1955, esta última abriu sua linha de bitola larga e o entroncamento dos trilhos voltou a ter a mesma bitola. Até 1971, manteve as duas empresas na cidade, quando, neste ano, foi criada a FEPASA, que unificou 5 ferrovias paulistas. O entroncamento continua até os dias de hoje.
ACIMA: A saudosa V-8 com pintura Fepasa, tendo atrás dela uma outra elétrica ainda com pintura azul, na gare de Araraquara, em 1979 (Fotos João Pires Barbosa Filho).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Geraldo Godói; Domingos Carnesecca; João Pires Barbosa Filho; Alberto del Bianco; Filemon Peres; João Carlos R. Pinto; Hermes Hinuy; Alexandre Negri; Folha da Manhã, 1952; O Estado de S. Paulo, 16/10/1932; Cia. Paulista: Álbum dos 50 anos, 1918; Acervo Arquivo Histórico do Município de Rio Claro; Cia. Paulista: relatórios oficiais, 1892-1969; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Araraquara original, em c. 1910, construída pela Rio-Clarense. Foto cedida por Alberto del Bianco

A plataforma da estação, em 1916. Foto Filemon Peres

A estação, sem data. Foto coleção Alberto del Bianco

Em 21/08/1998, a fachada da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 21/08/1998, a fachada da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação e sua plataforma, em 05/05/2000. Foto João Carlos R. Pinto

A plataforma da estação em 12/04/2001. Foto Hermes Hinuy

A plataforma da estação em 06/08/2002, com um cargueiro estacionado junto a ela. Foto Hermes Hinuy

A frente da estação em 9/1/2009. Foto Ralph M. Giesbrecht
     
Atualização: 17.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.