A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Manduri
Batista Botelho
Bernardino de Campos
...

Tronco EFS - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2010
...
 
E. F. Sorocabana (1908-1971)
FEPASA (1971-1998)
BATISTA BOTELHO
Município de Óleo, SP
Linha-tronco - km 451,483 (1924); km 438,785 (1934); km 394,248 (1960) (*)   SP-0989
Altitude: 670 m   Inauguração: 03.04.1908
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Batista Botelho foi inaugurada em 1908, e deu origem ao atual bairro do mesmo nome, pertencente ao município de Óleo, situado ao norte da linha.

Em 1986, os prédios já estavam abandonados e depredados. Em 2011 nada mais restava no local, a não ser uma pequena cobertura erigida sobre o que restou da plataforma da estação original.

Como os trens de passageiros deixaram de passar por lá em 16/01/1999, não tem mais função.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1926 - Extensão dos desvios para 220 m


ACIMA: Planta do distrito de Batista Botelho, com a estação ao sul, em 1950 (CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VER EM TAMANHO MAIOR) (IGG-SP). ABAIXO: A linha da Sorocabana nos anos 1950. A estação de Batista Botelhoestá bem longe da sede do município de óleo (IBGE: Enciclopedia dos Municipios Brasileiros, vol. XI, 1960).


(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Daniel Gentili; Carlos R. Almeida; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1875-1969; IGG, 1950; IBGE: Enciclopedia dos Municipios Brasileiros, vol. XI, 1960; FEPASA: Relatório de instalações fixas, 1986; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1986, ainda de pé. Foto do relatório de instalações fixas da Fepasa desse ano

A "estação" em 1999. Apenas uma plataforma com cobertura, ao fundo, à esquerda. Foto Ralph M. Giesbrecht

A "estação" em 09/2001. Foto Carlos R. Almeida

A coberturazinha sobrevive no local em 6/3/2011. Foto Daniel Gentili
   
     
Atualização: 08.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.