A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Hospedaria dos Imigrantes
Braz
Pari
...

SPR-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2017
...

 
São Paulo Railway (1867-1946)
E. F. Santos-Jundiaí (1946-1975)
RFFSA (1975-1983)
CBTU (1983-1992)
CPTM (1992-)
BRAZ
Município de São Paulo, SP
Linha-tronco - km 76,332 (1935)   SP-1036
Altitude: 726 m   Inauguração: 16.02.1867
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A São Paulo Railway - SPR ou popularmente "Ingleza" - foi a primeira estrada de ferro construída em solo paulista. Construída entre 1862 e 1867 por investidores ingleses, tinha inicialmente como um de seus maiores acionistas o Barão de Mauá. Ligando Jundiaí a Santos, transportou durante muito anos - até a década de 30, quando a Sorocabana abriu a Mairinque-Santos - o café e outras mercadorias, além de passageiros de forma monopolística do interior para o porto, sendo um verdadeiro funil que atravessava a cidade de São Paulo de norte a sul. Em 1946, com o final da concessão governamental, passou a pertencer à União sob o nome de E. F. Santos-Jundiaí (EFSJ). O nome pegou e é usado até hoje, embora nos anos 70 tenha passado a pertencer à RFFSA, e, em 1997, tenha sido entregue à concessionária MRS, que hoje a controla. O tráfego de passageiros de longa distância terminou em 1997, mas o transporte entre Jundiaí e Paranapiacaba continua até hoje com as TUES dos trens metropolitanos.
 
A ESTAÇÃO: A estação do Braz foi inaugurada em 1867, com a linha, para atender o bairro do mesmo nome. Ela é anterior à estação Roosevelt, também chamada originalmente de Braz, ponto terminal da linha da Central do Brasil.

As linhas da SPR e da Central se juntavam ali, o que ainda hoje ocorre.

Em 1978, foi aberta a estação Brás (agora com s) do metrô, junto às duas, e aos poucos as três estações foram se fundindo. Hoje praticamente não há diferença entre as estações Brás da Santos-Jundiaí e a Roosevelt, as plataformas são comuns, e se entra ou pela Roosevelt, no largo da Concórdia, ou pela estação Brás do metrô, onde se cruza as linhas por passarelas e se atingem as linhas da CPTM, as quais a estação Brás e a Roosevelt hoje atendem. O prédio da estação Brás da antiga SPR está hoje tombado pelo Condephaat.

(Veja também ROOSEVELT)


ACIMA e ABAIXO: A estação do Braz, supostamente em 1900. Na foto de baixo, à esquerda, a estação do Norte, depois chamada de Roosevelt (Autor desconhecido).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo da Corte; Wilson de Santis Jr.; Alexandre L. Giesbrecht; Militão Augusto Azevedo; Wanderley Duck; Ricardo Koracsony; CONDEPHAAT: Patrimônio Cultural Paulista, 1998; SPR: Relação oficial de estações, 1935; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação original do Braz, em 1867. Foto Militão A. Azevedo

A segunda estação do Braz, sem data. Autor desconhecido

A estação do Braz, face lateral, em 1998. Foto do livro Patrimônio Cultural Paulista, 1998

A estação do Braz e suas plataformas novas, 2003. Foto Ricardo da Corte

A estação do Braz e suas plataformas novas, 2003. Foto Ricardo da Corte

Plataforma antiga da estação do Braz, em 11/2004. Foto Wilson de Santis Jr.

A fachada da estação em 09/2005. Foto Alexandre L. Giesbrecht

Entrada da esstação em 1/2014. Foto Ricardo Koracsony
 
     
Atualização: 08.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.