A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
(1898-1955)
Eng. Rosa Martins
Bueno de Andrada
Silvânia
...
(1955-2001)
Cezario Bastos
Bueno de Andrada
Silvânia
...

Tronco EFA-1970

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2006
...
 
E. F. Araraquara (1898-1971)
FEPASA (1971-1998)
BUENO DE ANDRADA
(antiga ITAQUERÊ)
Município de Araraquara, SP
Linha-tronco - km 25,451 (1938)   SP-1020
Altitude: 678 m   Inauguração: 01.10.1898
Uso atual: sede de subprefeitura (2011)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 60. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação, aberta em 1898 como ponta de linha e com o nome de Itaquerê. O jornal O Estado de S. Paulo de 01/10/1898 assim descreveu a abertura: "Deve realisar-se amanham a innauguração official do primeiro trecho da E. F. de Araraquara. Com a innauguração desse trecho ficam abertas ao trafego as estações de Araraquara, Cruzes e Itaquerê, compreendendo uma extensão de 25 kilometros". Como se vê, de

ACIMA: Ficha de controle de embarque da Fazenda Baguaçu na estação de Itaquerê, depois Bueno de Andrada (Vladimir Benincasa: Velhas Fazendas, Editora UFScar, 2003)
acordo com a notícia a abertura foi em 2/10 e não em 1/10 como consta oficialmente nos relatórios da EFA... "Residi em Bueno de Andrada até 1.967, na melhor epoca de nossas vidas. A estação e o trem era a nossa vidas, minha e de minha familia. Viajávamos de trem para ir cortar o cabelo, ir ao dentista, fazer compras, ir ao médico etc, e a partir de 1.962 todo dia para fazer o ginásio em Matão, não gastávamos nada, porque meu pai trabalhava na EFA , tínhamos passe gratuito, minha vida era mesmo trem e estação. Conheci a maquina a fogo, porque quando era muito
pequeno, íamos à casa de minha tia que morava em Cândido Rodrigues, e também trabalhava na estrada, aquelas viagens, que pareciam intermináves, eram feitas com maquinas a fogo, e conheci as modernas à oleo cru, dos carros totalmente de madeira, e os modernos de aço inox com ar condicionado (apelidado de Frescão). Uma vez, numa viagem de Araraquara para Bueno, o ar deu defeito, não funcionou, e como os vidros eram lacrados, foi um trabalhão para conter o povo que queria abrir as janelas a qualquer custo. A janelinha que aparece numa das fotos da página da estação era a bilheteria, que antes da restauração tinha uma pesada e linda grade toda ornamentada, como era feito na época" (Anésio Nieto Lopez, 06/2005). "(Abaixo) uma rara foto da estação de Bueno de Andrada no ano de 1961, fotografada por nossos parentes de Mogi Mirim, quando nos

ACIMA: O comboio da ALL. com a locomotiva ainda com a pintura da extinta Ferronorte, chega a Bueno de Andrada, sentido Matão, em novembro de 2007 (Foto Henrique Aparecido). ABAIXO: Locomotiva da RUMO aproxima-se da estação de Bueno de Andrade, em 2/10/2010 (Foto Antonio Britto).
visitaram. Note o telhado original. Hoje, encontra-se preservada, porém parcialmente descaracterizada. Meu pai, Wilson Ravagnani, foi agente da estação no período de fevereiro de 1961 a julho de 1972, quando a estação foi fechada. A casa anexa onde moramos, encontra-se praticamente original. Poucas reformas como: retirada do fogão à lenha da cozinha; pia e do forno no quintal, além das pinturas. Necessita de restauro urgente, pois há muitas infiltrações de água de chuva. Conheço a familia que reside na casa e sempre que passo por Bueno, entro para matar a saudade
" (Antonio Alberto Ravagnani, 03/2007). A estação já estava em mau estado em 1986, segundo o Relatório de Instalações Fixas da Fepasa. Reformada recentemente, está hoje em excelentes condições, abrigando a subprefeitura, um cartório e a polícia militar. Bueno de Andrada é hoje um distrito de Araraquara.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Celso Poli; Helcio Tagliolato; Antonio Alberto Ravagnani; Henrique Aparecido; Antonio Brito; Anésio Nieto Lopez; Vladimir Benincasa: Velhas Fazendas, Editora UFSCar, 2003; O Estado de S. Paulo, 1/10/1898; E. F. Araraquara: listagem oficial de estações, 1938; Fepasa: Relatório de Instalações Fixas, 1986; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1962. Foto Antonio Alberto Ravagnani

A estação de Bueno de Andrada em 16/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Placa da estação em 16/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em maio de 2001. Foto Hélcio Tagliolato

Detalhe de uma das janelas da estação (05/2001). Foto Helcio Tagliolato

A estação em 2011. Foto Celso Poli
     
Atualização: 23.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.