A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Pedras Pretas
Poiri
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. de Ilhéus (1931-1964)
POIRI
Município de Aurelino Leal, BA
E. F. Ilhéus (ramal de Poiri) - km 96,000 (1960)   BA-3918
Altitude: -   Inauguração: 26.06.1931
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco Ilhéus-Itabuna foi aberta em 1910 em seu primeiro trecho, por investidores ingleses da The State Of Bahia South Western Railway Company Limited, com a idéia de alcançar Conquista (Vitória da Conquista). O primeiro ramal, o de Água Preta (Uruçuca), que partia da estação de Rio do Braço, foi aberto ao tráfego em 1914 e estendido até Poiri em 1931. Em 1918 um outro ramal tem iniciada a sua construção, estendendo-se até Itajuípe, aonde chegou em 1934. Foram as máximas extensões da ferrovia, que jamais se comunicou com outras do estado da Bahia ou com a Bahia-Minas, apesar de diversos projetos nesse sentido que jamais saíram do papel. Em 1950, os ingleses repassaram a estrada ao Governo, que mudou o nome para E. F. de Ilhéus. A estrada jamais chegou a Conquista, pelo que se diz, pelo fato de os ingleses já estarem satisfeitos com o que arrecadavam somente com a linha já existente. Em 1963, já estava decadentíssima a ferrovia, que em 1965 já não mais funcionava.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Itapira foi inaugurada em 1931 como ponta do ramal de Itapira, depois ramal de Poiri, mantendo-se nesta condição até o final do funcionamento da ferrovia, em 1964. "Em 1930, existia nesse local sòmente uma fazenda de cacau pertencente a Ramiro Teixeira. Com a chegada da ferrovia, formou-se em torno da estação (nota: ainda em construção), ainda em 1930, o povoado de São Miguel. A passagem dos trilhos, pelo seu território, muito influiu para o rápido desenvolvimento da localidade que logo foi promovida à categoria de distrito. Ganhou autonomia administrativa em 1961, passando a denominar-se Aurelino Leal, em homenagem ao (jurista baiano) Dr. Aurelino de Araújo Leal (1877-1924)" (IBGE). Antes dos trilhos alcançarem Itapira (Poiri), o cacau de Barra do Rocha, Ubatã, Piraúna e Conceição do Oricó descia o rio de Contas até Ubaitaba (na outra margem do rio de Contas, à frente de Poiri). Daí seguia de tropa até Taboquinhas, onde novo embarque nas canoas era feito, dirigindo-se, por fim, para Itacaré, em busca do transporte marítimo que o levasse para Salvador. A chegada dos trens a Itapira afetou a navegação no rio de Contas. A produção cacaueira passou, então, a convergir para a ferrovia, acarretando grande diminuição no movimento portuário de Itacaré, que passou a contar somente com a produção do Taboquinhas e vizinhança. Nos anos 1940, a estação teve seu nome alterado para Poiri. Curioso: em nenhum histórico consultado aparece o nome de Itapira. O local, na construção da estação, chamava-se São Miguel, como visto acima. Parece que Itapira era o nome da estação em si: esse é o nome que consta nos guias de trens de 1931 até meados dos anos 1940. O nome seguinte, Poiri, manteve-se nos guias até o fim, em 1964. Sem os trilhos, a cidade entrou em decadência, com o crescimento dando-se do outro lado do rio de Contas, em Ubaitaba, à sua frente na outra margem. A estação não existe mais. Veja também os trens da E. F. de Ilhéus
ACIMA: Mapa do município de Poiri em 1958. A estação aparece na sede do município, bem ao norte, em frente à sede de outro município, Ubaitaba, do outro lado do rio de Contas. O município chega até o litoral, a leste (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume VI, 1958).
(Fontes: Paulo Miled; Roberto Rabat Chame; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação e o carro de administração da E. F. Ilhéus. Acervo Roberto Rabat Chame
   
     
Atualização: 04.07.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.