A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Serrinha
Agenor de Freitas
Salgadalia
...

Linha tronco e Centro (1940)
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
V. F. F. Leste Brasileiro (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
AGENOR DE FREITAS
Município de Barrocas, BA
Linha Centro - km 247,864 (1960)   BA-3866
Altitude: 359 m   Inauguração: 1942
Uso atual: vivlioteca (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que ligou efetivamente a estação de São Francisco, em Alagoinhas, ao rio São Francisco, em Juazeiro, foi aberta entre 1880 e 1896 pelo Governo brasileiro, que deu a concessão a, segundo algumas fontes, Miguel Argolo. Em bitola métrica, seus trens partiam da estação de São Francisco, onde chegava uma linha em bitola larga (1m60), a E. F. Bahia ao São Francisco. Em 1911, essa linha teve a bitola reduzida e as duas linhas foram unidas sob a concessão dos franceses da Cia. Chemins de Fer Federaux du L'Est Brésilien. Em 1935, tudo virou parte da VFFLB, estatal, e a linha passou a se chamar Linha Centro. Em 1957, foi uma das formadoras da RFFSA. Em 1975, deixou de existir o nome VFFLB. Ainda circulavam trens de passageiros entre Alagoinhas e Senhor do Bonfim até 1989. Em 1996, passou a ser concessão da Ferrovia Centro-Atlântica. Tem tráfego de cargueiros até hoje.
 
A ESTAÇÃO: "No primeiro semestre de 1882, a construção chegou às terras da Fazenda Espera, no município de Serrinha, de propriedade do senhor José Alves Campos, conhecido como José da Espera. Com a continuação da estrada de ferro, foi instalado o canteiro de obras que recebeu o nome de "barracamento" - localizado aproximadamente a 100 metros acima do tanque, hoje conhecido como Barracamento Velho. Esse tanque surgiu com a retirada da terra que servia para o aterro sobre o qual passariam os trilhos da ferrovia (...) Não existe data de inauguração da primeira Estação de Barrocas. Sabe-se que na construção da ferrovia foi utilizada uma pedreira para retirada do material usado na construção de bueiros, tendo sido improvisado uma plataforma de embarque para os transportes dos respectivos materiais, em pranchas e troles. Essa pedreira ficava localizada na atual Praça São João. Com a passagem da linha férrea, os fazendeiros de Serrinha que tinham suas fazendas próximo à plataforma de embarque de materiais, solicitaram a construção de um "ponto de parada" para embarque e de desembarque de passageiros e mercadorias. Foi então construída uma casa, tendo como base madeira sobre trilhos, com paredes de tábuas e teto de zinco. Foram sugeridos alguns nomes para aquele ponto de parada que, em breve, seria um próspero povoado: Ibingatu, Ibiçoroca, Barrocas e outros. Dentre os nomes sugeridos, a Comissão das Estradas escolheu Barrocas - designativo de terras rasgadas feitas pelas enxurradas. E assim ficou sendo chamada (conforme documentos fornecidos pela Lesta Brasileiro). Posteriormente, com o desvio de cruzamento de trens, foram designados agentes (funcionários responsáveis pelo ponto e que autorizavam as paradas, partidas e cruzamentos dos trens). Os agentes, de início, passaram a morar na referida casa de madeira coberta de zinco. Em 1941, por determinação do então Diretor da VFFLB, Dr. Lauro Farani Pedreira de Freitas, foi enviada de Salvador para Barrocas uma empresa construtora que colocou, ao noroeste da estação, um vagão fechado com portas laterais, para que nele funcionassem os aparelhos de telégrafo. A primitiva casa onde morava o agente foi demolida, sendo erguida em seu lugar a atual estação com o nome de Barrocas gravado nas laterais e no piso da plataforma. A inauguração aconteceu em 13 de maio de 1943, conforme placa afixada na parede externa da estação (...) (João Gonçalves Pereira Neto e Tiago de Assis Batista). A estação de Barrocas, portanto, foi inaugurada em 1942, segundo o Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil de 1960. "Posteriormente o nome Barrocas foi substituído pelo nome de Agenor de Freitas, em homenagem a um membro da família do então Diretor da VFFLB, Dr. Lauro de Freitas. Essa denominação não foi aceita pela população que continuou chamando de Barrocas. Vindo a tornar-se município, conservou o nome primitivo" (João Gonçalves Pereira Neto e Tiago de Assis Batista). Nos anos 1950 já se chamava Agenor de Freitas. A estação fica no centro de Barrocas, município baiano, mas continua tendo o nome de Agenor de Freitas. Em 2014, serve como biblioteca municipal.
(Fontes: João Gonçalves Pereira Neto; Paulo Roberto Fragoso; Tiago de Assis Batista; Philippe Cunha; Roosevelt Reis; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-1984; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Agenor de Freitas em 03/2008. Foto Philippe Cunha

Estação de Agenor de Freitas em 03/2008. Foto Philippe Cunha

Estação de Agenor de Freitas em 03/2008. Foto Philippe Cunha

A estação, já restaurada, em 2009. Foto Tiago de Assis Batista

A estação em 2014. Foto Paulo Roberto Fragoso
 
     
Atualização: 30.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.