A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Acauã
Paulistana
...

A linha no Piauí - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Petrolina-Teresina (1938-1941)
V. F. F. Leste Brasileiro (1941-1972)
PAULISTANA
Município de Paulistana, PI
Linha Centro - km 775,988 (1960)   PI-3312
E. F. Petrolina-Teresina - km 204   Inauguração: 25.12.1938
Uso atual: oficina mecânica   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1938
 
 
HISTORICO DA LINHA: HISTORICO DA LINHA: A linha da E. F. Petrolina a Teresina foi aberta em 1923 para ligar Petrolina à capital do Piauí, passando pelo extremo oeste do Estado de Pernambuco e subundo pelo sul do Piauí. Como diversas ferrovias no Brasil, suas obras avançaram lentamente. Em 1923 os trilhos levavam até Rajada, vilarejo no meio de nada. Somente em 1926 avançaram até Afrânio. Em 1928, até Mafrense, outro vilarejo e já no Piauí. Em 1936 a Acauã e em 1938 até Paulista (hoje Paulistana). Jamais passou dali. Em 1941, a ferrovia foi incorporada à VFFLB, mas seus trens continuavam partindo de Petrolina: quam vinha de Salvador por Juazeiro tinha de atravessar o rio São Francisco por barcos para pegar o outro trem. A ponte sobre o rio ficou pronta em 1965 e aí os trens passaram a correr direto até Paulistana, vindos de Salvador; mas em 1972 foram desativados a partir de Petrolina, e logo os trilhos da antiga VVFLB foram arrancados. Foi o fim do sonho de se chegar a Teresina pela Bahia.
 
A ESTAÇÃO: A cidade teria se originado de uma fazenda de gado estabelecida no local pelo bandeirante paulista Domingos Jorge Velho, por volta de 1663. Daí o nome Paulista, em homenagem à terra de Domingos. A cidade tornou-se município em 1889. A estação de Paulista foi inaugurada pela E. F. Petrolina-Teresina somente em 1935 (segundo o Guia Geral de 1960) ou 1938 (segundo José Teles), como ponta de linha da ferrovia. Em 1941, foi incorporada à VFFLB e passou a fazer parte da Linha Centro.
ACIMA: Mapa publicado em 1942 mostrando o projeto da ligação entre Paulistana (então Paulista) e Teresina (Correio Paulistano, 8/2/1942). ABAIXO: O passado ainda existe no prédio maltratado da ex-estação: o dístico ainda impressiona. Era a referência da cidade, mas, hoje, quem notaria? Quem saberá, hoje, mais de 30 anos depois que o último trem passou por ali, que ela um dia foi uma estação ferroviária, onde tantas alegrias da chegada e tantas tristezas de despedidas puderam ser contadas? (Foto Tarcisio Vilarinho, agosto de 2007).

Apesar do nome original da estrada, ela jamais chegou a Teresina, parando mesmo na cidade. Em 1943, a cidade e a estação foram renomeadas como Paulistana. Aparentemente, o que estancou a ferrovia por ali foi a difícil subida da serra piauiense que teria de galgar para atingir Teresina, além de passar por uma zona praticamente deserta. Em 2007 servia como oficina, estava em péssimo estado e pertencia a um senhor que a comprara da Rede e alugara para o dono da oficina. "O trecho de Paulistana a Teresina chegou a ser terraplenado e construído todas as obras de arte. Quem passa pela Policia Rodoviária Federal rumo a Floriano e Picos, pode observar três casas construídas pela RFFSA, para ser pátio de manobras. Hoje, o trecho Petrolina-Paulistana de 240km está abandonado" (Norbelino Lira de Carvalho: As mazelas nas estradas de ferro do Piauí, sem data).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1938 a 1972. Ao lado, o trem da EFPT na estação de Petrolina, nos anos 1920. Veja aqui horários em 1963 e em 1972 (Guias Levi).
(Fontes: Tarcisio Vilarinho; José Teles; Norbelino Lira de Carvalho: As mazelas nas estradas de ferro do Piauí, sem data; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XV, 1959; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Paulistana em 1956. Foto da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XV, IBGE, 1959

Acima, a linha parava em Paulista, em mapa provavelmente dos anos 1940. Para o norte, era a serra.

O maltratado prédio da estação de Paulistana, em 08/2007. Foto Tarcisio Vilarinho

A estação em 2012. Autor desconhecido
   
     
     
Atualização: 25.11.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.