A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mococa
Canoas
...

ramal de Mococa - 1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2011
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1890-1960)
CANOAS
Município de Mococa, SP
Ramal de Mococa - km 70,585 (1937)   SP-1085
Altitude: 573 m   Inauguração: 18.03.1890
Uso atual: estábulo (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal teve origem na Cia. Ramal Férreo do Rio Pardo, empresa particular aberta em 1884 entre Casa Branca e São José do Rio Pardo, e adquirida em junho de 1888 pela Cia. Mogiana, que a transformou no ramal de Mococa, prolongando os seus trilhos em 1890 para atingir Canoas, estação 11 km à frente de Mococa e terminal do ramal. A partir de 1903, da estação de Ribeiro do Vale passou a sair o ramal de Guaxupé, que seguia até essa cidade. Em 31/12/1960, o trecho final do ramal entre Mococa e Canoas foi extinto, e em 7/11/1966, o trecho entre Ribeiro do Vale e Mococa também o foi. O que sobrou do ramal, de Casa Branca até 1977, quando a queda de uma ponte entre S. J. Rio Pardo e Ribeiro do Valle interditaram definitivamente a linha. Em 1986 o trecho entre Casa Branca e S. J. Rio Pardo foi reativado por um curtíssimo espaço de tempo. Por volta de 1992 os trilhos foram retirados.
 

A ESTAÇÃO: A estação teria sido inaugurada em 1890, nas margens do rio Canoas, na divisa com o Estado de Minas Gerais. A estação foi aberta ao tráfego, entretanto, somente em 15/04/1891 (relatórios da Mogiana de 1890 e 1891; O Estado de S. Paulo, 1/11/1891).

Uma das fazendas ali existentes era a de Conceição (também chamada de Antonina), de acordo com notícia de 1898 (O Estado de S. Paulo, 6/11/1898).

De Canoas, na divisa com Minas Gerais, deveria continuar o ramal até Cajuru, mas o plano foi abandonado. Outro plano era se construir dali uma linha para Muzambinho, em Minas Gerais, mas esta também gorou. O relatório referente a 1913 da Mogiana cita também o projeto do chamado ramal da Boiada, partindo de Canoas, com 29,7 quilômetros e terminando no ribeirão da Boiada. Projeto abandonado.

Mais tarde, a Mogiana chegou a Cajuru partindo de Santos Dumont, passando por Santa Rosa de Viterbo (1912).

A estação de Canoas permaneceu como ponta do ramal até 31/1/1960, quando foi desativada (*RM-1961 e OESP, 1/1/1961) juntamente com o trecho final do ramal. Em 28/2/61, o mesmo jornal anunciava o desmonte da linha.

Hoje está adaptada para estábulo, na fazenda Angico, ficando a cerca de duzentos metros a leste da estrada Mococa-Canoas. Na verdade, o único detalhe que lembra a estação é o frontão, típico das estações da Mogiana. O bairro ainda hoje é uma área sem ruas asfaltadas, um bairro de sítios e chácaras com baixíssima concentração de habitantes. O bairro se limita com Minas Gerais, no município de Arceburgo.

AO LADO: Em 1913, abriram uma linha de veículos automotores (algum tipo de jardineira?) ligando Mococa a Canoas - era a concorrência ao trem entre as duas localidades (O Estao de S. Paulo, 18/4/1913).

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1890 a 1966. Na foto à esquerda, o trem do ramal está deixando a estação de Mococa em 1961. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1948 (Guias Levi).

ACIMA: Armazém da antiga ferrovia ou de particulares no extremo do que um dia foi o pátio de Canoas. Está do outro lado da rodovia municipal de terra (que liga Mococa à divisa com Minas passando por Canoas) em relação à antiga estação e seu pátio - que não era pequeno. ABAIXO - Ponte sobre o rio Canoas e que liga o estado de São Paulo (do lado de cá) a Minas Gerais no município de Arceburgo. As duas placas de ferro oxidado, uma em cada lado da ponte, assinalam a divisa no meio do rio, mas nada dá para se ler nelas hoje em dia. A ponte está a cerca de 2 km da estação ferroviária (Fotos Ralph M. Giesbrecht em 26/8/2011).


ACIMA: O trecho final da linha do ramal de Mococa aparece na parte baixa do mapa de 1939 - CLIQUE SOBRE ELE PARA VER UMA AREA MAIOR (Arquivo Publico Mineiro).

ACIMA: Fim do ramal (OESP, 31/12/1960). AO LADO: Críticas à agência dos Correios em Canoas em 1904 (OESP, 29/3/1904).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Hermes Y. Hinuy; Adriano Martins; O Estado de S. Paulo, 1891, 1898, 1960 e 1961; Cia. Mogiana: relatórios anuais, 1875-1969; IBGE, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Antiga estação de Canoas, em 30/12/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 17/04/2002...

...em fotos de Hermes
Y. Hinuy

A ex-estação em 26/8/2011. Foto Ralph M. Giesbrecht

A ex-estação em 19/9/2016. Foto Adriano Martins
 
     
Atualização: 21.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.