A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Ipaussu
Chavantes
Canitar
...

Tronco EFS - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2010
...
 
Sorocabana Railway (1909-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
CHAVANTES
Município de Chavantes, SP
Linha-tronco - km 492,459 (1924); km 479,636 (1934); km 431,703 (1960) (*)   SP-1156
Altitude: 544 m   Inauguração: 01.01.1909
Uso atual: Museu Histórico (2010)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1927
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Xavantes, ou Chavantes, aberta em 1909, teve sempre o nome escrito das duas formas, até que, nos anos 1940, se convencionou para ela a letra X.

Nos relatórios da Sorocabana até os anos 1940 pelo menos, o nome sempre apareceu como Chavantes. Em 1964, o município trocou para X de acordo com a norma da revisão ortográfica que obrigava nomes indígenas a serem escritos sempre com X.

Em 1982, o nome volta a ser com CH, segundo alguns, de forma a aparecer no início e não no fim das listas de nomes do Governo Estadual (!!!).

Segundo S. A. Cyrillo, nascido em Chavantes, mesmo antes de a cidade ser grafada com "ch", já se questionava se realmente existiram os índios Xavantes por aquela região. A verdade é que o relatório de exploração do rio Paranapanema de 1886, de Teodoro Sampaio, mostra claramente a existência de índios xavantes na região, e não Coroados, como muita gente na cidade hoje afirma. De qualquer forma, a cidade teria se originado de um distrito, Irapé, próximo ao rio Paranapanema onde hoje se encontra a usina Xavantes - esta com "x", mesmo, mas hoje, já com Ch.

Por ali havia uma chave ferroviária (início de desvio) e, ainda segundo Cyrillo, essa linha foi mais tarde desviada, ainda em projeto, daquele ponto para o centro de Chavantes, seguindo dali para Canitar e Ourinhos. E a existência da chave justificaria em tempos antigos o "ch" de Chavantes, a mistura de "chave" com "Xavantes".

Segundo outras fontes, o nome derivaria de "uma chave antes" de Canitar.

A linha cruza a cidade de Chavantes bem no centro, passando apertada entre várias edificações e cortando a rua principal numa passagem de nível. O edifício que hoje está lá foi construído em 1927. Bem conservado, abrigava, no final de 2000, em parte dele um escritório da Polícia Militar. Mais tarde serviu para a Assistência Social do Município, e depois o Museu Histórico da cidade. Em 2010 estava mal cuidada.

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE
(gentileza Adriano Martins)

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1926 - Extensão dos desvios para 80 m; 1934 - Aumento da plataforma da estação; calçamento do pátio da estação; ligação dos armazéns


ACIMA E ABAIXO: Trem de passageiros da FEPASA à noite na plataforma de Chavantes (Museu Histórico de Chavantes). MAIS ABAIXO: O armazém da estação de Chavantes, em 2002 (Foto Adriano Martins).




ACIMA: Trem PS-2 em Chavantes em 1996 (Foto Cristiano Bueno).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Cristiano Bueno; Adriano Martins; Reinaldo Mortari Junior; Maria Helena Cadamuro; S. A. Cyrillo; Stenio Gimenez; Cristiano Bueno; Sorocabana: Relatórios oficiais, 1909-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação original de Chavantes em 1909. Autor desconhecido. Acervo Reinaldo Mortari Junior

A estação em 1954. Foto Museu Histórico de Chavantes. À direita, a entrada principal da estação em 22/10/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Plataforma da estação de Chavantes, em 22/10/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Fachada da estação de Chavantes, em 22/10/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 01/2007. Foto Cristiano Bueno

Plataforma da estação em 01/2007. Foto Cristiano Bueno

Plataforma da estação em 26/10/2009. Foto Daniel Gentili

Hall de entrada da estação em 26/10/2009. Foto Daniel Gentili
     
Atualização: 08.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.