A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Ibiapaba
Oiticica
Tamanduá
...

Linha Norte - 1950
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Rede de Viação Cearense (1932-1975)
RFFSA (1975-1997)
OITICICA
Município de Crateús, CE
Linha Norte - km 500,077 (1960)   CE-3624
Altitude: 261 m   Inauguração: 30.11.1932
Uso atual: desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A origem da linha Norte foi o trecho da E. F. de Sobral que ligava Sobral a Ipu (havia o trecho inicial, de Camocim a Sobral, que virou ramal). Em 1909, toda a E. F. de Sobral (Camocim-Ipu) foi juntado com a E. F. de Baturité para se criar a Rede de Viação Cearense, imediatamente arrendada à South American Railway. Em 1915, a RVC passa à administração federal. A linha da antiga E. F. de Sobral chega a seu ponto máximo em Oiticica, na divisa com o Piauí, em 1932, dezoito anos antes de Sobral ser unida a Fortaleza pela E. F. de Itapipoca (1950). Esses dois trechos passam então a constituir a linha Norte. Em 1957 passa a ser uma das subsidiárias formadoras da RFFSA e em 1975 é absorvida operacionalmente por esta. Em 1996 é arrendada juntamente com a malha ferroviária do Nordeste à Cia. Ferroviária do Nordeste (RFN). Trens de passageiros percorreram a linha Norte até o dia 12 de dezembro de 1988, sobrando depois disso apenas cargueiros e trens metropolitanos no trecho Fortaleza-Boqueirão.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Oiticica foi inaugurada em 1932. Foi ponta de linha por muitos anos, até o final da década de 1960, quando a linha foi estendida até encontrar a cidade de Altos, na antiga E. F. Central do Piauí. "Partindo de Camocim, a ferrovia atingiu a cidade de Crateús em 1912, inaugurando-se a estação
a 12 de dezembro. Outras estações construíram-se no município: Poti (1916), Ibiapaba (1918) e Oiticica (1932)
" (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XVI, IBGE, 1959). "Dr. Luciano Veras, em segunda gestão, inaugurou a estação de Oiticica para servir
de apoio aos trabalhos de construção e prolongamento entre os dois Estados nordestinos (CE e PI). Por escassez de recursos, o serviço foi paralisado
" (J. H. Pereira e F. A. S. Lima: Estradas de Ferro no Ceará, 2009). Com a união desta com a linha vinda de

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1932 a 1988. Na foto, trem Fortaleza-Crateús em Amanaiara (1956). Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1954 (Guias Levi).

ACIMA: Casas da vila ferroviária em Oiticica, em 2015. As pedras por onde passa o rapaz e seu jegue seria o piso e a plataforma da antiga estação ferroviária (Foto Antonio Camocim Ribeiro).
Fortaleza
em 1950, passou a ser parte da linha Fortaleza-Crateús. Oiticica hoje é um bairro rural do município de Crateús. O bairro
fica numa região até hoje contestada entre os Estados do Piauí e do Ceará. Pouco além de Oiticica, a ferrovia entra no Estado do Piauí. Por ali passam os cargueiros que ligam o Nordeste oriental
ao Maranhão. É também um distrito do município: vive numa

ACIMA: "A mãe natureza se revela em todo o seu explendor, ao fazer florescer em pleno (quase deserto). em lugares onde o vento fez a curva, nos confins do estado do Ceará, fronteira com o vizinho estado do Piauí, um dos lugares mais isolados que já conheci. Como se observa na foto, não tem água nem por perto e nem a quilometros de distância. Nessa localidade, o Rio Poty, afluente do Parnaíba, atravessa (corta) a serra da Ibiapaba, formando um canyon de rara beleza, desconhecido até mesmo por cearenses. Lá não existe estrada de rodagens, nem mesmo as chamadas estradas vicinais, muito comuns nos municípios pobres dos sertões. A estrada de ferro acompanha esse canyon "pendurada" nas rochas dos paredões, de onde se avista o rio Poty serpenteando a centenas de metros abaixo. Uma paisagem deslumbrante. Foto do Diário do Nordeste, acompanhada de outras tantas que mostram o lugar chamado de Oiticica, município de Crateús. Estrada de ferro Crateús a Castelo, PI, percurso que fiz muitas vezes e não me dava conta da beleza do lugar. Apesar de distante e inóspito, desabitada, desprezado pelos governantes, ainda assim temos flores e alguns moradores que ainda persistem em viver num lugar onde só vai quem tem algum negócio, ou por curiosidade" (http://antonidaniel.blog.uol. com.br, entrada em 16/10/2010). ABAIXO: O povoado de Oiticica no início de 2009, sem trens de passageiros já havia 21 anos. Só cargueiros passam por aí hoje (Foto Diário do Nordeste).
pobreza infinita, em 2009 moravam ali apenas 20 famílias: "saneamento básico e água encanada são sonho. A cacimba feita pela Prefeitura tem líquido salobro. Para beber, é preciso ir à
fonte natural mais próxima, o que significa 20 minutos de serra com a lata d’água na cabeça. Políticos não aparecem nem em época de eleição. Eles enviam cabos eleitorais. Até os padres só celebram missa uma vez por ano no local
" (Renê Belo, 2/2009).
Já da estação, não sei nada.
(Fontes: Antonio Camocim Ribeiro; Renê Belo; Diário do Nordeste; José Hamilton Pereira e Francisco de Assis Silva de Lima: Estradas de Ferro no Ceará, 2009; http://antonidaniel.blog.uol. com.br, entrada em 16/10/2010; Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XVI, IBGE, 1959; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     
 
 
     
Atualização: 02.02.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.