A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
(1878-2001)
Aguaí
Engenheiro Mendes
Orindiúva
...

Tronco CM-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1878-1971)
FEPASA (1971-1998)
ENGENHEIRO MENDES
(antiga CALDAS)
Município de Aguaí, SP
Linha-tronco original - km 132,566   SP-0300
Altitude: 590 m   Inauguração: 21.01.1878
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da Mogiana teve o primeiro trecho inaugurado em 1875, tendo chegado até o seu ponto final em 1886, na altura da estação de Entroncamento, que somente foi aberta ali em 1900. Inúmeras retificações foram feitas desde então, tornando o leito da linha atual diferente do original em praticamente toda a sua extensão. Em 1926, 1929, 1951, 1960, 1964, 1972, 1973 e 1979 foram feitas as modificações mais significativas, que tiraram velhas estações da linha e colocaram novas versões nos trechos retificados. A partir de 1971 a linha passou a ser parte da Fepasa. No final de 1997, os trens de passageiros deixaram de circular pela linha.
 
A ESTAÇÃO: Um relatório assinado por J. Pinto Gonçalves em 15 de novembro de 1877 dizia, em "condições relativamente à terminação das obras: (...) Construir a Companhia mais uma estação entre as do Sertãozinho e a do Mato Seco, que mais facilite o trânsito dos viajantes às Águas de Caldas" (Sertãozinho, no caso, era uma estação que teve curtíssima duração, menos de um ano - aberta e fechada em 1878 - e que ficava próxima onde depois se constuiu a estação de Orindiúva. Não confundir com a estação de Sertãozinho, no ramal do mesmo nome, aberta em
1899).

A estação de Caldas foi inaugurada em 1878, para passageiros, em 21 de janeiro, e para mercadorias, em 1° de fevereiro (ref. Relatório da Mogiana, 1878). Tinha esse nome porque era a estação mais próxima a Poços de Caldas e também a Caldas, hoje um município mineiro próximo e que nada mais tem a ver com Poços de Caldas), e para ali seguiam e chegavam os carros (não havia o ramal ainda) com cargas e passageiros vindos daquela cidade. O Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil dá a data de abertura como tendo sido em 14 de janeiro de 1878.

O prédio original da estação de Caldas era provisório: "Todas as estações (do prolongamento de Mogi-Mirim a Casa Branca) foram feitas de armações de trilhos usados, cobertas de zinco, e fechadas com taboas de pinho, e todas convenientemente pintadas e possuindo internamente as accommodações necessarias (...) ficaram à companhia em 2:000$000 cada uma (...) mais ou menos" (ref. Relatório da Mogiana, 10/03/1878).

Em 1886, foi aberto o ramal da Mogiana para Poços de Caldas, cuja estação recebeu o nome também de Caldas, fato que fez com que a estação do tronco tivesse o nome alterado para Engenheiro Mendes, em homenagem a M. S. Mendes, inspetor-geral da Mogiana. No mesmo ano, foi criada nesta estação uma agência de correios, já com o nome de Eng. Mendes (APSP, 14/9/1886) e também um hotel (ver abaixo caixa de 1883). No relatório da Cia. Mogiana de 7/4/1889 o nome da estação também já constava como Engenheiro Mendes (e Poços de Caldas ainda era Caldas.

O ramal só não passou a sair de Engenheiro Mendes porque os fazendeiros da região não chegaram a um acordo com a cessão de terras para a linha entre a estação e São João da Boa Vista. O ramal acabou saindo de uma nova estação construída para esse fim, no vilarejo de Bom Jesus de Cascavel, lugar para o qual se mudou o comerciante de Engenheiro Mendes, Major Braga, construindo em Cascavel (mais tarde chamada de Aguaí) um hotel que ajudou o povoado este se desenvolver. Engenheiro Mendes perdeu, então, muito de sua importância inicial.

Ainda assim, em 1895, Jones Fichmann e Nicolao Primavera pediram uma concessão para construir uma ferrovia entre a estação e a cidade de Vargem Grande (hoje do Sul) (Ref. OESP, 13/9/1895). Não saiu; o ramal saiu mais tarde (1909), mas de Lagoa Branca e foi adquirido logo em seguida pela Mogiana.

Em 1963, a estação foi fechada e transformada em parada (*RM-1963). Isso significava abandono praticamente total do prédio. Interessante notar que o "Horário oficial dos trens de passageiros e mistos a partir de 3-1-1967" da Mogiana informava que "os trens P1 param na ex-estação de Engenheiro Mendes".

Em 1986, já havia sido demolida. Até hoje, sua localização é ao lado da linha. A plataforma ainda sobrevivia em 2016.

1883
AO LADO: A estação de Caldas já tinha um hotel, mesmo quando nem o local não tinha ligação por trem com Poços de Caldas, nem a estação de Cascavel (Aguaí) existia (A Provincia de S. Paulo, 1/4/1883).
1888
AO LADO: A miséria na estação de Engenheiro Mendes (A Provincia de S. Paulo, 23/10/1888).

ACIMA: Horario de trens das linhas da Mogiana em 1889. Engenheiro Mendes já tinha este nome (A Provincia de São Paulo, 5/10/1889).
1897
AO LADO: Acidente na estação (A Provincia de S. Paulo, 27/5/1897).

ACIMA: Plataforma e muito mato é o que sobrava em Engenheiro Mendes em 2016 (Fernando Marietan, 26/3/2016).

(Fontes: Museu da Cia. Paulista, Jundiaí, SP; Marcelo Tomaz; A Provincia de S. Paulo, 1886 e 1889; O Estado de S. Paulo, 1895; Cia. Mogiana: álbum, 1910; Cia. Mogiana: Relatórios anuais, 1875-1969; Companhia Mogiana: Horário oficial dos trens de passageiros e mistos a partir de 3-1-1967; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Engenheiro Mendes, c. 1910. Foto do álbum da Mogiana

Plataforma e mais nada em 6/4/2012. Foto Marcelo Tomaz
 
     
     
Atualização: 05.03.2021
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.