A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Quilômetro 460
Conselheiro Lafayette
Gagé
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

Linha do Centro - 1931
...
 
E. F. Dom Pedro II (1883-1889)
E. F. Central do Brasil (1889-1975)
RFFSA (1975-1996)
CONSELHEIRO LAFAYETTE
(antiga QUELUZ)
Município de Conselheiro Lafayette, MG
Linha do Centro - km 462,583 (1928)   MG-0409
Altitude: 931 m   Inauguração: 15.12.1883
Uso atual: desconhecido   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Conselheiro Lafayette, nome dado em homenagem ao ministro do Império, Lafayette Rodrigues Pereira, foi inaugurada em 1883 com o nome de Queluz, cidade à qual atendia.

Mais tarde o nome da estação, não da cidade, foi alterado para Lafayette, e nos anos 1940 tanto a estação quanto a cidade alteraram seu nome para o atual.

Em 1898, construiu-se o depósito
de locomotivas da estação para substituir o antigo, "de proporções acanhadas" (Memória Histórica da EFCB, 1908, p. 478).

Em Conselheiro Lafayette começava a bitola mista na Linha do Centro, que seguia até a estação de Burnier, e daí para a frente, apenas a bitola métrica continuava. Os trens da métrica de passageiros partiam, entretanto, de Lafayette e não de Burnier.

Para a frente, era o chamado sertão.

1909 - ACIMA: : Hermes da Fonseca na estação Queluz em campanha eleitoral em 1909 (Creditos: LAETI IMAGES - Luiz Alberto Jr.).
1923
AO LADO: Manobras do ramal da Ponte Nova deixam de ser feitas em Miguel Burnier e passam a ser feitas em Lafayette (O Estado de S. Paulo, 18/7/1923).
1923
AO LADO: Manobras do ramal da Ponte Nova voltam a ser feitas em Miguel Burnier e deixam da ser feitas em Lafayette (O Estado de S. Paulo, 5/8/1923).
1926
AO LADO: Acidente com morte em 28/11/1926 (O Estado de S. Paulo, 1/1/1927).

1927 - ACIMA: A estação de Conselheiro Lafaiette, da E. F. Central do Brasil, situava-se a 1 km de Queluz, então sede do município. Curiosamente, o entorno da estação foi crescendo em importância até que a antiga Queluz mudou de nome, assumindo a denominação da estação, Conselheiro Lafaiete. A agência postal da estação foi criada em 4 /6/1884. As malas postais seguiam para a administração regional em Belo Horizonte através da EFCB, por dois trajetos: até a estação de General Carneiro de onde saía um ramal ao destino; ou até a estação de Joaquim Murtinho, de onde seguia, pela Linha do Paraopeba (Marcio Protzner, 25/7/2009).
1931
AO LADO: Trens só chegam á estação pelo norte, ou seja, pela bitola estreita, a Conselheiro Lafayette (O Estado de S. Paulo, 12/2/1931).
1933
AO LADO: Descarrilamento em Lafayette (O Estado de S. Paulo, 2/12/1933).
1938
AO LADO: Acidente no pátio de Conselheiro Lafayette (O Estado de S. Paulo, 25/5/1938).
anos 1950 - ACIMA: O pátio e a estação (Autor desconhecido).

1970 - ACIMA: Parte do pátio de Conselheiro Lafayette (Fotografia publicada na revista VEJA na sua edição de 28/10/1970).

2009 - ABAIXO: Pátio de Lafaiette, em maio (Foto Julio Cesar da Silva).

(Fontes: LAETI IMAGES - Luiz Alberto Jr.; Manoel Marcos Monachesi; Sebastião Ferreira Dos Anjos; Jorge A. Ferreira; Julio Cesar Silva; Marcio Protzner; Albino Esteves: O Estado de S. Paulo, 1938; VEJA, 1970; Álbum de Juiz de Fora, 1915; Memória Histórica da EFCB, 1908; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1915. Foto do Álbum de Juiz de Fora de Albino Esteves, 1915. Reeditado pela FUNALFA em 1989. Foto cedida por Manoel Marcos Monachesi

Chegada de Ruy Barbosa a Conselheiro Lafayette, anos 1910. Ao fundo, a estação e os trens. Autor desconhecido

A estação de Lafayette, em 1928. Foto Max Vasconcellos

A estação, sem data. Foto Sebastião Ferreira Dos Anjos

A estação de Conselheiro Lafayette, em 09/2001. Foto Jorge A. Ferreira

A estação de Conselheiro Lafayette, em 09/2001. Foto Jorge A. Ferreira

A estação em 2008. Foto Julio Silva
   
     
Atualização: 24.05.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.