A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Gustavo da Silveira
Curvelo
Capitão Evaristo
...

Linha do Centro - 1931
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Central do Brasil (1905-1975)
RFFSA (1975-1996)
CURVELO
Município de Curvelo, MG
Linha do Centro - km 797,297 (1928)   MG-0423
Altitude: 632,900 m   Inauguração: 05.08.1905
Uso atual: espaço cultural (2003)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Primeira linha a ser construída pela E. F. Dom Pedro II, que a partir de 1889 passou a se chamar E. F. Central do Brasil, era a espinha dorsal de todo o seu sistema. O primeiro trecho foi entregue em 1858, da estação Dom Pedro II até Belém (Japeri) e daí subiu a serra das Araras, alcançando Barra do Piraí em 1864. Daqui a linha seguiria para Minas Gerais, atingindo Juiz de Fora em 1875. A intenção era atingir o rio São Francisco e dali partir para Belém do Pará. Depois de passar a leste da futura Belo Horizonte, atingindo Pedro Leopoldo em 1895, os trilhos atingiram Pirapora, às margens do São Francisco, em 1910. A ponte ali constrruída foi pouco usada: a estação de Independência, aberta em 1922 do outro lado do rio, foi utilizada por pouco tempo. A própria linha do Centro acabou mudando de direção: entre 1914 e 1926, da estação de Corinto foi construído um ramal para Montes Claros que acabou se tornando o final da linha principal, fazendo com que o antigo trecho final se tornasse o ramal de Pirapora. Em 1948, a linha foi prolongada até Monte Azul, final da linha onde havia a ligação com a V. F. Leste Brasileiro que levava o trem até Salvador. Pela linha do Centro passavam os trens para São Paulo (até 1998) até Barra do Piraí, e para Belo Horizonte (até 1980) até Joaquim Murtinho, estações onde tomavam os respectivos ramais para essas cidades. Antes desta última, porém, havia mudança de bitola, de 1m60 para métrica, na estação de Conselheiro Lafayete. Na baixada fluminense andam até hoje os trens de subúrbio. Entre Japeri e Barra Mansa havia o "Barrinha", até 1996, e finalmente, entre Montes Claros e Monte Azul esses trens sobreviveram até 1996, restos do antigo trem que ia para a Bahia. Em resumo, a linha inteira ainda existe... para trens cargueiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Curvelo foi inaugurada em 1905 para atender uma cidade já existente na época. A antiga vila de Santo Antonio da Estrada, fundada no século XVIII, acabou mudando de nome para homenagear o seu fundador, um açoriano de nome Antonio José da Silva Curvello.

Na verdade, parece ter havido uma pré-inauguração da estação, em 1904, quando o presidente Rodrigues Alves visitou a cidade já se utilizando do trem. Os registros oficiais, no entanto, dão a data de agosto de 1905 para a inauguração - entendo que a linha não funcionou oficialmente desde a "inauguração" da estação em junho de 1904 até agosto de 1905.

Desde 1997, os trilhos foram retirados da estação e do centro da cidade. A nova variante construída passa por fora da cidade.

Em 2003, a velha estação, já sem trilhos, teve instaladas um centro cultural com um novo sistema de iluminação.

(Veja também CURVELO-NOVA)

ACIMA: O trem presidencial chega à estação de Curvelo em junho de 1904 trazendo o Presidente da República, Rodrigues Alves (O Malho, 20/6/1904).

ACIMA: A foto acima mostra a locomotiva e o primeiro carro do trem S6 no acidente próximo à estação de Curvelo em 1908 (Revista da Semana, 22/3/1908).
1923
AO LADO:
Porteiras na cidade (O Estado de S. Paulo, 13/4/1923).

ACIMA: Casa do agente (chefe) da estação em Curvelo. A Central do Brasil podia ser muito mal administrada, mas sabia construir belos prédios em seus pátios (Foto Gutierrez L. Coelho, 11/4/2009).
(Fontes: Pedro Paulo Resende; Jorge A. Ferreira; Gutierrez L. Coelho; Jonathan Sobral; Antonio A. Gorni; Revista da Semana, 1908; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; Revista Eletricidade Moderna, 2003; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80)
     

A estação, talvez anos 1960. Acervo Jorge A. Ferreira

A estação, ainda com trilhos, pouco antes da erradicação do trecho, em 1997. Foto Pedro Paulo Resende

A estação, ainda com trilhos, pouco antes da erradicação do trecho, em 1997. Foto Pedro Paulo Resende

A estação, ainda com trilhos, pouco antes da erradicação do trecho, em 1997. Foto Pedro Paulo Resende

A estação, ainda com trilhos, pouco antes da erradicação do trecho, em 1997. Foto Pedro Paulo Resende

A estação em 2003. Foto Pedro Paulo Resende

A estação, em 2003. Foto Revista Eletricidade Moderna

A estação em 11/4/2009. Foto Gutierrez L. Coelho
 
     
Atualização: 31.01.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.