A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Senador Camará
Santíssimo
Augusto Vasconcellos
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Central do Brasil (1890-1975)
RFFSA (1975-1997)
Supervias (1997-)
SANTÍSSIMO
Município do Rio de Janeiro, RJ
Ramal de Mangaratiba - km 35,883 (1928)   RJ-3444
Altitude: 47 m   Inauguração: 1890
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Angra, posteriormente chamado de ramal de Mangaratiba, foi inaugurado em 1878, partindo da estação de Sapopemba (Deodoro) até o distante subúrbio de Santa Cruz. Somente foi prolongado em 1911 até Itaguaí, e em 1914 chegou a Mangaratiba, de onde deveria ser prolongado até alcançar Angra dos Reis, onde, em 1928, a E. F. Oeste de Minas havia atingido com sua linha vinda de Barra Mansa. Tal nunca aconteceu, e o ramal, com trechos belíssimos ao longo da praia, muito próximo ao mar, transportou passageiros em toda a sua extensão até por volta de 1982, quando foi desativado. Antes disso, em 1973, uma variante construída pela RFFSA e que partia de um ponto próximo à estação de Japeri, na Linha do Centro, permitia que trens com minério alcançassem o porto de Guaíba, próximo a Mangaratiba, encontrando o velho ramal na altura da parada Brisamar. A variante, entretanto, deixava de coincidir com o ramal na altura da ponta de Santo Antonio, onde desviava para o porto; com isso, em 30/06/1983, o trecho original entre esse local e Mangaratiba foi erradicado e os trens passaram a circular somente entre Deodoro e Santa Cruz, de onde voltavam. Hoje, esse trecho ainda é usado pelos trens de subúrbio, o trecho entre Santa Cruz e Brisamar está abandonado e o restante, Brisamar-porto, é utilizado pelos trens de minério apenas.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Santíssimo foi aberta em 1890.

Hoje é uma estação dos trens metropolitanos da Supervias. Porém, a estação, de madeira, foi incendiada em 1963: o prédio atual deve ter substituido este incendiado.

Uma semana depois, outro quebra-quebra na estação fez com que o agente (chefe) da estação, Geraldo Barbosa de Souza, fugiu ante a ameaça de linchamento.

O prédio atual parece ser dos anos 1970 ou 1980. Teria havido outro prédio depois do incêndio, provisório ou não?


Notícias de 2009 dão conta que, em 6 de março, a estação foi novamente depredada por passageiros revoltados com a paralisação dos trens, causada por troca de tiros na estação seguinte, de Senador Camará, que acertaram os cabos de energia.


ACIMA: A estação no dia seguinte ao incêndio provocado por usuários descontentes com os atrasos (Folha de S. Paulo, 13/3/1963).

1963
AO LADO: Sete dias depois do incêndio, um acidente grave em Santissimo parou o ramal (Folha de S. Paulo, 19/3/1963)
(Fontes: CBTU; Max Vasconcellos, Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; O Estado de S. Paulo, 7/3/2009; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     
À esquerda a estação de Santíssimo, em foto provavelmente dos anos 1980. Foto do site da CBTU  
     
     
Atualização: 04.11.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.