A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice - estações da linha
...
Barra Mansa
Volta Redonda
Rademaker
...

...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 2008
...
 
E. F. Dom Pedro II (1871-1889)
E. F. Central do Brasil (1889-1975)
RFFSA (1975-1996)
VOLTA REDONDA
Município de Volta Redonda, RJ
Ramal de São Paulo - km 144,482 (1928)   RJ-0447
Altitude: 374 m   Inauguração: 16.09.1871
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em 1869, foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da linha da SPR no Brás, em São Paulo, e chegando até a Penha. Em 12/05/1877, chegou a Cachoeira (Paulista), onde, com bitola métrica, encontrou-se com a E. F. Dom Pedro II, que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial, constituída em 1855 e com o ramal, que saía do tronco em Barra do Piraí, Província do Rio, atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1,60m). A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas. As cidades da linha se desenvolveram, e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as "Cidades Mortas"... O custo da baldeação em Cachoeira era alto, onerando os fretes e foi uma das causas da decadência da produção de café no Vale do Paraíba. Em 1889, com a queda do Império, a E. F. D. Pedro II passou a se chamar E. F. Central do Brasil, que, em 1896, incorporou a já falida E. F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificar as 2 linhas. O primeiro trecho ficou pronto em 1901 (Cacheoira-Taubaté) e o trecho todo em 1908. Em 1957 a Central foi incorporada pela RFFSA. O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 1980, pois a construção da variante do Parateí, mais ao norte, foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 31 de outubro de 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha. O transporte de subúrbios, existente desde 1914 no ramal, continua hoje entre o Brás e Estudantes, em Mogi e no trecho D. Pedro II-Japeri, no RJ.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Volta Redonda foi aberta em 1871 no primeiro trecho aberto do ramal de São Paulo.

Não consegui uma foto da estação original, mas sim da que veio depois.

Tudo foi supostamente demolido. As fotos abaixo sugerem alguma explicação. Está hoje tudo dentro da usina da CSN, construída na primeira metade dos anos 1940.

ACIMA: Ao fundo, a estação de Volta Redonda em 1905. Seu estilo parecia ser o de diversas outras estações da Dom Pedro II abertas nessa mesma época: Porto Novo, Simplicio, Engenheiro Passos, Juparanã, Cachoeira Paulista (Revista da Semana, 6/8/1905).
O escritor e historiador cearense José Capistrano de Abreu viajava por todo o Brasil visitando seus amigos. Em abril de 1905 esteve, ou pretendia estar, numa fazenda em Volta Redonda. Uma das raras referências que se faziam a Volta Redonda, local deserto antes da siderúrgica: "Sexta-feira, 21, pretendo seguir para Volta Redonda, fazenda do Dr. Peixoto, onde ficarei até domingo. (...) Ponte Alta, 17-4-1905" (carta a Pandiá Calógeras).
À DIREITA: A Estação de Volta Redonda localizava-se no estado do Rio de Janeiro e pertencia em 1898 ao município de Barra Mansa. Era servida pela E. F. Central do Brasil - Ramal de São Paulo, por onde eram expedidas as malas postais (Márcio Protzner, 23/3/2009).










AO LADO: Acidente na estação em 1939 (O Estado de S. Paulo, 22/1/1939).
(Fontes: Osmary Avelar; Braz de Oliveira Coura; Max Vasconcellos, 1928; Antonio Gorni; Wanderley Duck; Carlos Latuff; Simone Viana; Juliana Luscher; O Estado de S. Paulo, 1939; Revista da Semana, 1905; José Honório Rodrigues: Correspondência de Capistrano de Abreu, volume 1, Rio de Janeiro, 1954; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 12/02/1943. Foto Braz de Oliveira Coura, cedida por Osmary Avelar

A estação em 1944, no início da demolição. Foto Braz de Oliveira Coura, cedida por Osmary Avelar

A antiga estação, demolida em 1944. Foto de dezembro de 1943, estraída de uma propaganda da Esso

Durante a construção da usina da CSN, anos 1940, o armazém de cargas aparece ao fundo. A estação estaria à direita, mas mais ao fundo, fora da fotografia. Foto cedida por Antonio Gorni

Aqui, em 1972, o armazém aparece à esquerda, no limite da foto, e a estação, no lado oposto da linha, um pouco acima, pouco visível. Foto Wanderley Duck

Um pouco abaixo do centro da foto, o armazém de cargas, em 2003. A estação já tinha sido demolida.

O armazém em 2008 Foto Carlos Latuff, para o estudo das arquitetas Simone Viana e Juliana Luscher para o IPHAN
     
Atualização: 20.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.