A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Linha da E. F. Goiaz
...
Urutaí
Roncador
Pires do Rio
...
Saída para o ramal de Brasília (até 1980): Eng. Amorim
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
 
E. F. Goiaz (1914-1965)
V. F. Centro Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-c.1980)
RONCADOR
Município de Urutaí, GO
Linha-tronco - km 207,199 (1960)   GO-3611
  Inauguração: 15.11.1914
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da E. F. Goiaz foi aberta a partir de Araguari, onde já estavam os trilhos da Mogiana desde o ano de 1896, em seu primeiro trecho em 1911, até a ponte sobre o rio Paranaíba, na divisa entre os Estados de Minas Gerais e Goiás. A partir de então, foi aquela demora de sempre: avançando lentamente, atingiu Goiânia, capital do Estado de Goiás desde o início dos anos 1940, somente em 1950, e alguns anos mais tarde a linha foi prolongada em dois quilômetros até Campinas de Goiás. Aí parou. Com a entrada em operação da linha para Brasilia, a partir da estação de Roncador, o trecho até Goiânia perdeu em importância. Hoje boa parte da linha está em operação para trens cargueiros: trens de passageiros acabaram nos anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Roncador foi inaugurada em 1914. Tomou o nome de um córrego das proximidades da estação. Permaneceu como ponta de linha por 8 anos, de 1914 a 1922 até ser aberta a estação seguinte, Pires do Rio. Isso fez com que se desenvolvesse uma movimentada povoação, surgida das atividades de um porto fluvial, dinamizadas pela presença da ferrovia e ameaçadas com a construção da ponte Epitácio Pessoa. Após a conclusão da ponte, o porto perdeu a sua utilidade e a povoação do Roncador desapareceu completamente. "(Como ponta de linha) Roncador chegou a ser uma verdadeira cidade. Hoje (1987) não passa praticamente de uma vila tão pequena que simplesmente não podemos reconhecer nada do seu esplendor. Roncador chegou a ter, às vezes, mais de duzentas toneladas de mercadorias embarcadas ou desembarcadas por dia" (Depoimento de Délio M. de Araújo para o Boletim Goiano de Geografia, vol. 7/8- n. 1/2 - janeiro/dezembro 1987/1988). A estação foi muito descaracterizada, restando apenas alguns cômodos internos originais e sua plataforma. Serve hoje de moradia para um ferroviário aposentado da RFFSA. Dali saía o ramal para Brasília até por volta de 1980, quando novo trecho foi construído, deixando a estação fora da linha. Uma nova estação com o mesmo nome foi construída para a bifurcação. A estação original ficava a cerca de 1 km antes da nova e também antes do rio Corumbá; a nova à

ACIMA: (CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR) Posição das estações nova e velha de Roncador e também das linhas antigas e nova (Glaucio H. Cunha, 02/2009).
esquerda da foto acima. A Roncador original ficava na margem esquerda do rio Corumbá (atualmente município de Urutaí) enquanto que a estação Roncador Novo (e não Roncador Nova, como deveria se esperar) é a que foi inaugurada em 14/03/1967, juntamente com todo o trecho até Bernardo Sayão, nas proximidades de Brasília. A estação também foi demolida (incluindo sua última parede). Hoje resta somente a plataforma, aproveitada como alicerce de um rancho de veraneio. Coordenadas: 17°21'44.37"S 48°15'8.41"W (Veja também RONCADOR-NOVA)
(Fontes: Glaucio Henrique Chaves, 2009; Roberto Fonseca Dias, 11/2006; Depoimento de Délio M. de Araújo: Depoimento, 1987; Boletim Goiano de Geografia, 1987/1988; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-1980)
     


A estação em 11/2006. Foto Roberto Fonseca Dias


A estação em 11/2006. Foto Roberto Fonseca Dias

A estação em 11/2006. Foto Roberto Fonseca Dias
     
     
Atualização: 28.09.2009
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.