A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Roça Grande
São João Nepomuceno
Furtado de Campos
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Cia. União Mineira (1880-1884)
E. F. Leopoldina (1884-1975)
RFFSA (1975-1994)
SÃO JOÃO NEPOMUCENO
Município de São João Nepomuceno, MG
Linha de Caratinga - km 224,601 (1960)   MG-1797
Altitude: 346 m   Inauguração: 12.1880
Uso atual: estação rodoviária (2011)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Este trecho da Leopoldina na verdade era uma junção de várias linhas isoladas originalmente, construídas em épocas diferentes. O trecho entre Entre Rios (Três Rios) e Silveira Lobo foi aberto em 1903 e 1904; o seguinte, até a estação de Guarani, ficou pronto em 1883 e havia sido construído e operado pela Cia. União Mineira, até a entrega à Leopoldina, em 1884; o trecho entre esse ponto e Ligação ficou pronto em 1886, enduanto daí para a frente, até Ponte Nova, foi entregue entre os anos de 1879 e 1886. Entre 1912 e 1926, entregou-se a linha até Matipoó (Raul Soares) e finalmente, em 1931, a linha chegou a Caratinga, de onde não passou. Havia um trem de Barão de Mauá, no centro do Rio de Janeiro, para Caratinga, via Petrópolis, todos os dias, desde que a linha completa foi entregue, em 1931. Sem trens de passageiros desde os anos 1980 (em 1980 ainda existiam trens mistos fazendo o serviço de passageiros entre Ubá e Caratinga, vindo de Recreio, na antiga linha-tronco da EFL), a linha foi erradicada em 1994 nos trechos Três Rios-Ligação e Ponte Nova-Caratinga; o trecho intermediário consta até hoje como tendo "tráfego suspenso".
 
A ESTAÇÃO: A estação de São João Nepomuceno foi inaugurada em 1880 pela Cia. União Mineira, e incorporada, com a linha, pela E. F. Leopoldina em 1884. Ela fazia parte originalmente do ramal de Serraria, desativado em 1904 e com esse trecho da linha incorporado à linha Três Rios-Ubá. Dom Pedro II andou na União Mineira até São João Nepomuceno, em 1881: -"(...) 5 ½ Acordei. Vou ler. Saio às 7h. Caminho conhecido até Serraria. Cheguei às 8

ACIMA: Acidente da Leopoldina em São João Nepomuceno, em 1934. "Tombaram locomotiva e composição, tendo ardido cinco carros. Morreu no local o foguista José Pereira Godinho e, um dia depois, o machinista (A Noite Illustrada, 2/10/1934).
¾ a Juiz de Fora. A cidade tem aumentado muito. Bela avenida com bonitas casas que devem arborizar. Almocei numa destas que é do barão de Cataguazes. Partida do trem às 11h 10'. Nada de novo até Serraria. Aí entramos no trem da estrada de ferro da União Mineira. Percorremos 84 km até o arraial - vila ainda não instalada de S. João de Nepomuceno. A estrada para subir parte da serra do Macuco tem 2 ziguezagues com plataformas. Tem 7 estações pequenas porém bem construídas conforme a aparência. Vista muito bela assim como mato viçoso de Bicas para diante. Descobre-se amplo vale fechado por altas montanhas, e perto de S. João avista-se a alta serra do descoberto de contorno original.

ACIMA: Embarque de leite na plataforma de São João Nepomuceno, provavelmente anos 1960. Notar que os latões de leite foram deixados longe do vagão (Foto Tibor Jablonsky). Fábrica de tecidos de São João Nepomuceno em 1971 (VEJA, 15/12/1971).



ACIMA: Trilhos do ramal ainda se encontravam dentro da fábrica em 2012, bem como na rua (Fotos Pedro Leal em 2012).

Grande número de quilômetros a começar da Serraria passa a estrada por fazendas de café muito bem plantadas e algumas com casas feitas com bom gosto. Há interrupção de terras tão boas para voltarem estas. Vim conversando com o engenheiro Betim cuja direção inteligente e ativa revela-se no modo porque a estrada foi construída e tendo trilhos de aço, e com o desembargador Pedro de Alcântara Cerqueira Leite a cuja influência se deve sobretudo a estrada que é de bitola de um metro. (...)
" (Trecho do Diario de Dom Pedro II vol.25, 27 de abril de 1881 (4a fa), copiado de José Carlos Barroso - cessão Marcus

ACIMA: A estação em 2012 (Foto Jorge Alves Ferreira). ABAIXO: Como em diversas outas cidades servidas pela Leopoldina, o trem passava na rua em São João (http://www. sjnepomuceno.mg.gov.br/).
Granado
). Na linha que passava por São João Nepomuceno rodaram trens de passageiros até a primeira metade dos anos 1970, e foi suprimida oficialmente somente em 1994, depois de anos sem uso. Em 2011 a estação era rodoviária. Além disso, ela abrigava, além de algumas lojas particulares, uma Biblioteca Municipal, cursinhos de informática, sala de exposições de artezanato, etc. Quanto À fábrica de tecidos, aberta em 1895: "(Havia) um ramal ferroviário que se localizava na antiga Fábrica de Tecidos de São João Nepomuceno. Segundo um habitante antigo que trabalha no local, havia na fábrica um ramal da Leopoldina que buscava materiais da fábrica para a estação e da estação para a fábrica. Essa atividade era feita com um tróleibus pequeno, devido ao tamanho da bitola da linha. Segundo esse habitante local, hoje funciona na primeira parte da antiga fábrica uma lavanderia" (Pedro Leal, 10/12/2012). Ver fotos dos trilhos mais acima nesta página.
(Fontes: Pedro Leal; Jorge Alves Ferreira; Honor Pacheco; Marcus Granado; http://www. sjnepomuceno.mg.gov.br; Diario de Dom Pedro II, vol. 25; A Noite Illustrada, 1934; Cyro Deocleciano Pessoa Jr.: Estudo Descriptivo das Estradas de Ferro do Brasil, 1886; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-82)
     

A estação desativada em 02/2002. Foto Jorge Alves Ferreira

A estação como rodoviária em 9/2011. Foto Honor Pacheco

A estação como rodoviária em 9/2011. Foto Honor Pacheco

A estação como rodoviária em 9/2011. Foto Honor Pacheco
   
     
Atualização: 12.04.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.