Linhas da Leopoldina nesta página (1961)
 
Estado de Rio de Janeiro e Minas Gerais

E. F. Leopoldina - Linha Três Rios-Caratinga
E. F. Leopoldina - Linha do Centro
E. F. Leopoldina - Ramal do Sumidouro
E. F. Leopoldina - Ramal de Pirapetinga
E. F. Leopoldina - Ramal de Mar de Espanha
E. F. Leopoldina - Ramal de Leopoldina
E. F. Leopoldina - Ramal de Juiz de Fora
E. F. Leopoldina - Ramal de Rio Pomba
E. F. Leopoldina - Ramal de Dom Silvério


HISTÓRICO DAS LINHAS:

LINHA TRÊS RIOS-CARATINGA: Este trecho da Leopoldina na verdade era uma junção de várias linhas isoladas originalmente, construídas em épocas diferentes. O trecho entre Entre Rios (Três Rios) e Silveira Lobo foi aberto em 1903 e 1904; o seguinte, até a estação de Guarani, ficou pronto em 1883 e havia sido construído e operado pela Cia. União Mineira, até a entrega à Leopoldina, em 1884; o trecho entre esse ponto e Ligação ficou pronto em 1886, enquanto daí para a frente, até Ponte Nova, foi entregue entre os anos de 1879 e 1886. Entre 1912 e 1926, entregou-se a linha até Matipoó (Raul Soares) e finalmente, em 1931, a linha chegou a Caratinga, de onde não passou. Havia um trem de Barão de Mauá, no centro do Rio de Janeiro, para Caratinga, via Petrópolis, todos os dias, desde que a linha completa foi entregue, em 1931. Sem trens de passageiros desde os anos 80 (em 1980 ainda existiam trens mistos fazendo o serviço de passageiros entre Ubá e Caratinga, vindo de Recreio, na antiga linha-tronco da EFL), a linha foi erradicada em 1994 nos trechos Três Rios-Ligação e Ponte Nova-Caratinga; o trecho intermediário consta até hoje como tendo "tráfego suspenso".
mapa do ramal em 1961

LINHA DO CENTRO: O trecho entre Porto Novo do Cunha, ponta do ramal de Porto Novo da EFCB em 1871, e a cidade de Ubá foi a própria origem da E. F. Leopoldina. O primeiro trecho foi aberto em 1874, de Porto Novo a Volta Grande, e no ano seguinte os trilhos já chegavam a Santa Izabel (Abaíba). Em 1879, a estrada já atingia Ubá, passando por Cataguazes, e tendo um ramal para a cidade de Leopoldina, esta sim, a origem do nome da ferrovia. Em Ubá, a linha do Centro se juntava com a linha Três Rios-Caratinga. A partir daí, com a compra de outras ferrovias e diversos prolongamentos em várias linhas, a Leopoldina se desenvolveu até ter uma das maiores malhas ferroviárias do País, entrando pelo Estado do Rio de Janeiro, atingindo a então capital federal e também chegando a Vitória, no Espírito Santo. A linha-mestra foi chamada de Linha do Centro e vinha da cidade do Rio de Janeiro por Petrópolis, e mais tarde pela Linha Auxiliar da EFCB, que nos anos 60 acabou por ser incorporada à rede da Leopoldina. Em 1971, a Leopoldina desapareceu, incorporada de vez pela Refesa; hoje mais da metade da sua antiga malha viária está desativada. A Linha do Centro somente tem em atividade real para cargueiros basicamente o trecho entre Cataguazes e Porto Novo, enquanto que os trens de passageiros que por ali passavam já não existem desde os anos 70.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DO SUMIDOURO: O ramal de Sumidouro surgiu da compra da Cia. E. F. do Sumidouro pela Leopoldina, em 1885, logo depois da abertura ao tráfego entre Melo Barreto e a fazenda Bella Joana. Com exceção do pequeno trecho inicial, em Melo Barreto, MG, ele corria todo em território fluminense. Em 1886 ele foi prolongado até a estação nova de Sumidouro, e em 1889 ele chegava a Conselheiro Paulino, na linha do Cantagalo. Os trens de passageiros corriam no trecho entre Melo Barreto e Nova Friburgo, percorrendo um trecho da linha do Cantagalo. Em 31/05/1967 o ramal foi suprimido.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DE PIRAPETINGA: Em 1876, foi dada a concessão para o Major Antonio Alves Pereira da Silva construir uma ferrovia ligando a estação de Volta Grande a Santana de Pirapetinga. Em 1879 foi aberto o primeiro trecho e no ano seguinte a estrada chegou a Pirapetinga. Em 1883, a Leopoldina incorporou o trecho, que passou a ser um ramal. Em 12/08/1964, o ramal foi suprimido.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DE MAR DE ESPANHA: Em 1909, o Estado concedeu a concessão para a construção de um ramal ligando a estação de São Pedro (Pequeri), na então linha Três Rios-Ponte Nova, à cidade de Mar de Espanha. O ramal foi aberto ao tráfego em 22/02/1911. Em 31/10/1965, o ramal foi fechado.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DE LEOPOLDINA: O curto ramal foi aberto em 31/07/1877 para que a E. F. Leopoldina atingisse, a partir da estação de Vista Alegre, a cidade que lhe deu o nome, Leopoldina. Em 25/02/1965, o ramal foi extinto.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DE SANTANA DE CATAGUAZES E RAMAL DE MIRAÍ: Os dois ramais, o de Miraí, que partia de Cataguazes, e de Santana de Cataguazes, saindo de Sereno, no primeiro ramal, foram abertos em 1895, pela E. F. Cataguazes, empresa que, com sua falência, foi incorporada à Leopoldina em 26/03/1903. ramal de Santana de Cataguazes foi suprimido em 10/04/1965 e o de Mirai, em 31/03/1967.
mapa do ramal de Santana de Cataguazes em 1961 - mapa do ramal de Miraí em 1961

RAMAL DE JUIZ DE FORA: O ramal de Juiz de Fora teve sua origem em duas ferrovias: a Cia. E. F. Ramal do Rio Novo, constituída em 1882 e arrendada no ano seguinte à Cia. União Mineira, que inaugurou o trecho entre Furtado de Campos, no então ramal de Serraria (Serraria-Guarani, da União Mineira) e a cidade de Rio Novo. Enquanto isto, em Juiz de Fora, constituiu-se em 1881 a Companhia Estrada de Ferro Juiz de Fora a Piau, que em 1884 entregou esse trecho, e, em 1888, o uniu a Rio Novo. Dois meses antes, em agosto, a ferrovia já tinha sido vendida à Leopoldina, que também estava de posse da União Mineira, unindo então o ramal de Rio Novo ao ramal de Piau, formando o ramal de Juiz de Fora. Nesta cidade, o novo ramal se entroncava com a Linha do Centro da E. F. Central do Brasil. A partir de 1896, no entanto, houve uma série de disputas judiciais no antigo ramal do Piau, finalmente só resolvidas em 1913 em favor da Leopoldina. O ramal de Juiz de Fora foi finalmente suprimido pela Refesa em 8/9/1974. Segundo Hugo Caramuru, o último trem de passageiros no ramal saiu em 31/01/1972, dois anos e meio antes da supressão.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DE RIO POMBA: O ramal do Pomba, também chamado de ramal do Rio Pomba, foi autorizado por uma concessão provincial em 1878 e foi aberto ao tráfego em 01/07/1886, saindo da estação de Guarani, na linha Três Rios-Caratinga, e atingindo a cidade de Pomba. Foi fechado em 01/05/1965.
mapa do ramal em 1961

RAMAL DE DOM SILVÉRIO: O ramal de Saúde - depois Ramal de Dom Silvério foi entregue ao trtáfego nos anos de 1886 e 1887, com ponto terminal em Saúde (Dom Silvério). Era a continuação da linha que vinha de Ubá e Ponte Nova, mas com a entrega, em 1916, da linha Ponte Nova-Matipoó (Raul Soares), o trecho Ponte Nova-Saúde passou a ser considerado um ramal. Ele foi suprimido em 30/06/1973.
mapa do ramal em 1961

LINHA DE CARATINGA LINHA DO CENTRO RAMAIS
ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESTADO DE MINAS GERAIS  
Três Rios (entroncamento com a Linha do Centro da EFCB) Porto Novo (entroncamento com a Linha Auxiliar da EFCB, a partir de 1965 da Leopoldina)  
Três Rios-EFL Além Paraíba  
Piracema Melo Barreto >> >> RAMAL DO SUMIDOURO
ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Paquequer
Carmo
Barra do São Francisco
Sumidouro
Barão de Aquino

A Ponte Seca, entre as estações de Barão de Aquino e de Murinelli, no final do século XIX. Acervo Yvan Peixoto Jr.
Murineli
tunel na linha próxima a Murineli
Dona Mariana
Conselheiro Paulino (entroncamento com a linha do Cantagalo)
ESTADO DE MINAS GERAIS Fernando Lobo  
Ericeira Volta Grande >> >> RAMAL DE PIRAPETINGA
Estrela D'Alva
Caiapó
Pirapetinga
Santana do Deserto Trimonte
Silveira Lobo Providência
São Marcos
Sossego São Martinho
Laticínios
RAMAL DE MAR DE ESPANHA << Pequeri << Abaíba
Uricana
Estevão Pinto
Mar de Espanha
Santa Helena Recreio (saída para a Linha de Manhuaçu)
Bicas R. Junqueira
Posto telegráfico
Telhas Vista Alegre >> >> RAMAL DE LEOPOLDINA
Leopoldina
Rochedo de Minas Aracati  
Roça Grande Cataguazes >> >> RAMAL DE MIRAÍ
Cataguazes da E. F. Cataguazes
(1895 - c.1910)
São Diniz
Sereno >> >> RAMAL DE SANTANA DE CATAGUAZES
Costa Sena
Santana de Cataguazes
Joaquim Vieira
Glória
Aldeia
João Resende
Miraí
São João Nepomuceno Barão de Camargos
RAMAL DE JUIZ DE FORA << <<
Furtado de Campos
Sinimbu
Rio Novo
Goianá
Ferreira Lage
Água Limpa
Triquedas
Comendador Filgueiras
Muçungê
Juiz de Fora-Leopoldina (entroncamento com a Linha do Centro da EFCB)
Tupi Dona Eusébia
RAMAL DE RIO POMBA << Guarani << Astolfo Dutra
Passa-Cinco
Pomba
Piraúba Parada Nadir
Sobral Pinto
Tocantins Diamante
Ligação Ligação
(entroncamento das linhas de Caratinga
e do Centro
)
 
Ubá  
Carlos Peixoto Filho  
Capitão Machado  
Visconde do Rio Branco  
São Geraldo  
Mirante  
Coimbra  
Cajuri  
Viçosa-Universidade  
Viçosa  
Silvestre  
Teixeiras  
Roberts  
Vau Assu  
Ponte Nova
(saída para o ramal de Dom Silverio da EFL) >>
(saída para o ramal de Ponte Nova da EFCB)
>> RAMAL DE DOM SILVÉRIO
Pontal
Chopotó
Engenho
Rio Doce
Dom Silvério
ponte sobre o rio Piranga
Palmeiras
Ana Florencia
Bandeiras
Parada Paulista
Bituruna
ponte sobre o rio Casca
Rio Casca
Lindóia
Óculo Pequeno
São Pedro de Ferros
ponte sobre o rio Santana
Raul Soares
ponte sobre o rio Matipó
Capitão Martins
Monsenhor Horta
Cornélio Alves
Vermelho Velho
Flor de Minas
Bom Jesus do Galho
Taquarussu
Dom Lara
Dom Modesto
Caratinga
 
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.