A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Neves
Sete Pontes
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Leopoldina (1900-1964)
NEVES
Município de São Gonçalo, RJ
E. F. Maricá/Ramal de Cabo Frio - km 1,033 (1960)   RJ-0677
Altitude: 3 m   Inauguração: 1900
Uso atual: arquivo da polícia (2009)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Maricá teve o seu primeiro trecho aberto em 1888, ligando as estações de Alcântara e Rio do Ouro. Em 1889 chegou a Itapeba e somente em 1894 a Maricá. Em 1901, chegava a Manuel Ribeiro. Nilo Peçanha, como Presidente da Província do Rio e também da República, conseguiu a união da linha com a Leopoldina na estação de Neves, construída para esse entroncamento, e do outro lado prolongou a linha até Iguaba Grande. Em 1912, entretanto, o capital dos empresários da região acabou e a linha foi vendida à empresa francesa Com. Generale aux Chemins de Fer. Em 1933, o Governo Federal encampou a ferrovia e a prolongou, em 1936, até Cabo Frio, onde se embarcava sal das salinas das praias. Em 1943, a E. F. Marica foi passada para a Central do Brasil. Em fins dos anos 1950, passou para a Leopoldina. Os trens passaram a sair da estação de General Dutra, em Niterói, entrando no ramal em Neves. Em janeiro de 1962, parou o trecho Maricá-Cabo Frio. Em 1964, parou o trecho Virajaba-Maricá. Em 1965, somente seguiam trens de subúrbio ligando Niterói a Virajaba, com o resto do ramal já desativado. A ferrovia foi finalmente erradicada em 31/01/1966.
 
A ESTAÇÃO: A partir de 1900, era da estação de Neves que saía o ramal rumo a Maricá e Cabo Frio. Estava localizada à beira mar, com os escritórios e instalações para passageiros e cargas. Por muito tempo, a estação ficava muito próxima, alguns metros, de uma enseada na baía de Guanabara. Anos mais tarde, esta enseada foi aterrada.

Durante décadas, Neves foi uma estação isolada das outras ferrovias - da Leopoldina, especificamente, cuja linha de Niterói a Itaboraí passava ao seu lado, cruzando a linha da Maricá ao lado da estação de Neves.

Ao sair da estação, o trem percorria um pequeno trecho da linha Niterói-Itaboraí até um desvio, onde seguia até Maricá. Na foto abaixo, o trem de subúrbio ainda passava ao lado de Neves, onde ele não parava.

Neves não fazia parte da linha do litoral, ficava apenas perto dela. Era Neves o ponto inicial da E. F. Maricá: somente muito mais tarde foi que a Leopoldina e a Maricá fizeram um acordo de tráfego mútuo e os trens para Cabo Frio passaram a sair da estação de General Dutra.

"Segundo me contaram, o trem partia de Neves, seguindo o que hoje é a rua Oliveira Botelho, paralela à linha que vinha de Niterói, fazendo isso por mais ou menos 1 km e, chegando em Vila Lage, virava para a vidreira, cruzando a linha de Niterói e seguindo pela av. Dr. Lúcio Tomé Feiteira até o Barro Vermelho, seguindo pelo que hoje é a rua Jurumenha e já no bairro de Santa Catarina pega a atual av. Maricá (que mantém no nome o destino do trem que passava por ali), até sair de S.Gonçalo e daí em diante eu não sei mais qual era o trajeto dela" (Carlos Eduardo Soares da Cruz, Niterói, RJ, 02/2004).

Próximo à estação de Neves, ficava o desvio ferroviário para a E. F. Maricá, hoje rodoviário, em Vila Lage. Não há ali vestígios da ferrovia. Foi tudo asfaltado (Carlos Latuff, 06/2003).

Com a desativação da linha de Maricá em 1962, o prédio passou a servir de quartel e depois abrigou a 73ª DP, servindo de arquivo e carceragem para a polícia. Existiam até marcas de bala nas paredes.

Já a linha que vinha de Niterói e cruzava com a Maricá em Neves foi uma das linhas operadas, no caso até 2006, precariamente pela Flumitrens/CENTRAL. Só Deus sabe como esta linha ainda funcionava. Os horários eram irregulares. Havia dias em que o trem circulava, havia dias que não. O passageiro jogava com a sorte. Pagava 60 centavos e comia poeira nos vagões mal conservados. Só a obstinação dos funcionários e dos passageiros mantinha a linha funcionando. E muitas eram as pessoas que ainda se utilizavam desse trem, na sua totalidade, carentes.

A ferrovia fechada (linha Niterói-Itaboraí, da ex-Leopoldina) tornou-se o leito da linha 3 do metrô do Rio de Janeiro.


ACIMA: Licença para a E. F. Maricá, através da Companhia Lavoura e Colonização em São Paulo, para ligar a estação de Neves à avenida Visconde do Rio Branco, em Niterói. Pelo que se sabe, esta ligação nunca foi construída. (Jornal do Brasil, 23/9/1904)..

ACIMA: Mapa parcial de São Gonçalo mostrando o antigo Porto das Neves em 1914. A estação de Neves está assinalada na esquina da Estrada dos Neves com a rua da Cavanca. A linha da Leopoldina segue em rosa entre o sudoeste e o leste do mapa; a linha da E. F. Maricá aparece saindo da estação e seguindo para leste, também em rosa, acompanhando a rua do Casino - CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA VER A ÁREA TOTAL DO MAPA (Mapa de 1914).
ACIMA: Fundos da estação de Neves em 1936. Esta enseada ao fundo foi posteriormente aterrada (A Formação das Estradas de Ferro no Rio de Janeiro).

ACIMA: A estação de Neves nos anos 1950 . Notar as linhas da E. F. Maricá e da Leopoldina cruzando-se em frente à estação (Acervo Arquivo Público do Estado de São Paulo).

ACIMA: Linha da Leopoldina em Neves (IBGE: Enciclopedia dos Municipios Brasileiros, anos 1950).

(Fontes: Carlos Latuff; Cleiton Pieruccini; Carlos Eduardo Soares da Cruz; Helio Suêvo Rodrigues: A formação das estradas de ferro no Rio de Janeiro: o resgate de sua memória, 2004; IBGE: Enciclopedia dos Municipios Brasileiros, anos 1950; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Neves, anos 1930. Acervo Cleiton Pieruccini

Trem de subúrbio próximo à estação de Neves, em 06/2003. Foto Carlos Latuff

Antiga estação de Neves, em 06/2003. Foto Carlos Latuff

Próximo à estação de Neves, era aqui que saía a linha da E. F. Maricá. Hoje nada sobra ali da ferrovia. Foto Carlos Latuff

Antiga estação de Neves, em 06/2003. Foto Carlos Latuff

Estação de Neves, em 9/2009. Foto Cleiton Pieruccini
     
Atualização: 21.10.2019
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.