A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Itaquira
Conde de Araruama
Dores do Macabu
...
Saída para o ramal de Santa Maria Madalena: Macabuzinho
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Macaé a Campos (1874-1887)
E. F. Leopoldina (1887-1975)
RFFSA (1975-1996)
CONDE DE ARARUAMA
Município de Quissamã, RJ
Linha do Litoral - km 266,276 (1960)   RJ-1917
Altitude: 11 m   Inauguração: 1875
Uso atual: restaurada (2013)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1918
 
 
HISTORICO DA LINHA: O que mais tarde foi chamada "linha do litoral" foi construída por diversas companhias, em épocas diferentes, empresas que acabaram sendo incorporadas pela Leopoldina até a primeira década do século XX. O primeiro trecho, Niterói-Rio Bonito, foi entregue entre 1874 e 1880 pela Cia. Ferro-Carril Niteroiense, constituída em 1871, e depois absorvida pela Cia. E. F. Macaé a Campos. Em 1887, a Leopoldina comprou o trecho. A Macaé-Campos, por sua vez, havia constrtuído e entregue o trecho de Macaé a Campos entre 1874 e 1875. O trecho seguinte, Campos-Cachoeiro do Itapemirim,foi construído pela E. F. Carangola em 1877 e 1878; em 1890 essa empresa foi comprada pela E. F. Barão de Araruama, que no mesmo ano foi vendida à Leopoldina. O trecho até Vitória foi construído em parte pela E. F. Sul do Espírito Santo e vendido à Leopoldina em 1907. Em 1907, a Leopoldina construiu uma ponte sobre o rio Paraíba em Campos, unindo os dois trechos ao norte e ao sul do rio. A linha funciona até hoje para cargueiros e é operada pela FCA desde 1996. No início dos anos 80 deixaram de circular os trens de passageiros que uniam Niterói e Rio de Janeiro a Vitória.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Conde de Araruama foi inaugurada em 1875, de acordo com o relatório do Presidente da Província do Rio de Janeiro, de 1876.

Em 1879, foi aberto o primeiro trecho do ramal de Santa Maria Madalena, que saía dessa estação.

A estação teria se chamado também Entroncamento e Santa Fé de Macabu, nos anos 1880. Uma das fontes diz, no entanto, que a estação de Conde de Araruama teria sido, em algum momento, sido construída em local diferente das duas outras citadas. Paulo Novais, no entanto, crê que houve apenas substituição de nomes.

O ramal fechou para operações de passageiros em 1967, sendo que a parte inicial da linha, que seguia até Conceição de Macabu, onde estava a Usina Victor Sence, seguiu operando até os anos 1990, justamente para transportar material para esta usina.

A estação de Conde de Araruama ainda está de pé, mas em estado deplorável, segundo Marcelo Abreu Gomes, de Conceição de Macabu, RJ. "Nessa estação existia um outro ramal que ligava a Leopoldina à Usina de Quissamã, lembro-me da vaporosa rodando até final dos anos 1970. A estação está em péssimo estado e o armazém foi recuperado pela FCA, ambos datam de 1918 e estão um de fente para o outro. A comunidade local, que parece uma vila - aproximadamente 60 pessoas com umas 23 casas, estão tentando com a prefeitura e a empresa criar um centro cultural na estação, sem êxito por enquanto" (Ricardo Quinteiro de Mattos, 07/2006).

Em julho de 2007, a Prefeitura afirmava estar concluindo um acordo com o IPHAN e o DNIT, atuais administradores do espólio da RFFSA, para um projeto de restauro que previa a integração do antigo armazém Ribeiro & Filhos, um prédio histórico de 1879 que foi desapropriado em 2006 pela Prefeitura de Quissamã, além da área do entorno da antiga estação e do armazém. "Com isto, o restauro, manutenção e a conservação do imóvel, que atualmente encontra-se em ruínas e sob risco de desabamento e de invasões, ficará a cargo da municipalidade" (www.quissama.rj. gov.br).

Em 2013 estava restaurada, mas pintada de amarelo, destoando completamente das cores típicas das antigas estações ferroviárias, assim como as janelas eram novas, não coincidindo com o tipo comum de antigamente. Enfim: intenção boa, reforma mal feita.


(Fontes: Ricardo Quinteiro de Mattos; Antonio Pastori; Marcelo Abreu Gomes;Hugo Caramuru; Luiz Antonio Mathias Netto; www.quissama.rj.gov.br; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, ao fundo, em 1979. Foto Ricardo Quinteiro de Mattos

A estação em 1982. Foto Hugo Caramuru

A estação, à direita, e o armazém, à esquerda, em dezembro de 1993. Foto Luiz Antonio Mathias Netto

O armazém da estação em 07/2006. Foto Ricardo Quinteiro de Mattos

A estação em 07/2006. Foto Ricardo Quinteiro de Mattos

A estação em 07/2006. Foto Ricardo Quinteiro de Mattos

A estação em 9/2010. Foto Antonio Pastori

A estação em 10/2/2017. Foto Leandro Santos
 
     
Atualização: 22.08.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.