A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Penha
Penha Circular
Bras de Pina
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Leopoldina (c.1920- 1975)
RFFSA (1975-1996)
Supervia (1996- )
PENHA CIRCULAR
Município de Rio de Janeiro, RJ
Linha do Norte - km 12,670 (1960)   RJ-1668
Altitude: 13 m   Inauguração: c.1920
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha que unia o centro do Rio de Janeiro a Petrópolis e Três Rios foi construída por empresas diferentes em tempos diferentes. Uma pequena parte dela é a mais antiga do Brasil, construída pelo Barão de Mauá em 1854 e que unia o porto de Mauá (Guia de Pacobaíba) à estação de Raiz da Serra (Vila Inhomerim). O trecho entre esta última e a estação de Piabetá foi incorporada pela E. F. Príncipe do Grão Pará, que construiu o prolongamento até Petrópolis e Areal entre os anos de 1883 e 1886. Finalmente a estação de Areal foi unida à de Três Rios em 1900, já pela Leopoldina. Finalmente, o trecho entre o a estação de São Francisco Xavier, na Central do Brasil, e Piabetá foi entregue entre 1886 e 1888 pela chamada E. F. Norte, que neste último ano foi comprada pela R. J. Northern Railway. Finalmente, em 1890, a linha toda passou para o controle da Leopoldina. Em 1926 a linha foi estendida finalmente até a estação de Barão de Mauá, aberta nesse ano, eliminando-se a baldeação em São Francisco Xavier. O trecho entre Vila Inhomerim e Três Rios foi suprimido em 5 de novembro de 1964. Segue operando para trens metropolitanos todo o trecho entre o centro do Rio de Janeiro e Vila Inhomerim.
 
A ESTAÇÃO: O bairro da Penha Circular é uma extensão do bairro da Penha na cidade do Rio de Janeiro. Existe uma pequena parada - Penha Circular, mesmo nome do bairro - para acesso ao Hospital Getúlio Vargas, que fica entre as estações da Penha e a do bairro de Braz de Pina.

O bairro da Penha Circular surgiu como um extensor da Penha; havia após a estação da Penha uma linha circular que era utilizada para a reversão das locomotivas á vapor que serviam aos subúrbios. Após revertida a posição, era então formada a composição que retornava daquela estação (Penha) á de Barão de Mauá. Com a entrada em circulação das locomotivas bi-direcionais Pacific 4-6-2t Armstrong Whitworth 1140 de 1930, que tornaram-se popularmente conhecidas como "Ramonas", a linha circular tornou-se desnecessária. As Ramonas queimavam óleo pesado e eram equipadas com tender fixo e limpa trilhos atrás e na frente e por não precisarem reverter a posição retornavam de ré.

A linha circular da Penha originou o nome do bairro que se tornou bastante conhecido. Foi também nesta estação que foi construído, desde a estação de Barão de Mauá, o primeiro trecho eletrificado da ferrovia, entregue no final de 1964 já em bitola larga.

O acidente (veja caixa abaixo, de 1959) ocorreu em 16/06/1959 na Penha Circular, uma estação entre Penha e Brás de Pina. O que ve-se ao fundo é essa estação e não a da Penha.

Outro aspecto importante: na época eu morava em um conjunto residencial de funcionários da Light na Penha Circular, mais ou menos a 100 metros do local do acidente. Quando retornei da escola na parte da tarde fui diretamente ao local apreciar o trabalho do Corpo de Bombeiros e funcionários da Leopoldina. O que vi é exatamente o que está mostrado nas fotos anexadas. Na foto abaixo com a estação da Penha Circular (e não Penha), ao fundo veem-se pessoas ao longo de um muro. É possível, mas não certo, que eu estivesse entre os “espectadores” ao longo do muro da via férrea. Eu tinha 11 anos de idade e lembro-me muito bem do acontecimento. Lamentavelmente a foto não é de boa qualidade e sendo assim detalhes, como as faces dos espectadores, não aparece com clareza. (Texto sobre o acidente por Robert Eriksson) em 2020).

ACIMA: Em 1917, a Leopoldina estava sendo "convencida" a construir a estação "Circular da Penha", pela reportagem acima. Infelizmente não consegui a data de inauguração da estação, mas foi após 1917 (A Rua, 23/7/1917).

ACIMA: Desastre junto à estação da Penha Circular em 16/6/1959 (Jornal Última Hora, RJ, acervo Arquivo Público de São Paulo).

ACIMA: Em 1966, a RFFSA anuncia nos jornais a eletrificação dos subúrbios da Leopoldina entre as estações de Francisco Sá e Penha Circular. Trens de meia em meia hora! (Jornal Última Hora, 9/6/1966 - cortesia Ivo Suares, 2008)
ACIMA: Locomotiva "Ramona" que circulava na linha da Penha Circular (Acervo Hugo Caramuru).

(Fontes: Hugo Caramuru; Anderson __; Folha de S. Paulo, 23/11/1964; CBTU; aleopoldinarenascenaarte.blogspot.com; A Rua, 1917; Ultima Hora, 1966; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, sem data, coalhada de gente. Foto do site da CBTU

A estação em 2008. Foto Anderson

A estação em 2008. Foto Anderson
 
     
Atualização: 03.08.2020
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.