A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
(1940)
Baixo Guandu
Aimorés
Itueta
...
(1976)
Baixo Guandu
Aimorés
Ot. Almeida
...
(2002)
Baixo Guandu
Aimorés
Itueta
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Vitória a Minas (1907-)
AIMORÉS
Município de Aimorés, MG
EFVM - km 180 (1960)   MG-0202
Altitude: 78 m   Inauguração: 08.08.1907
Uso atual: estação de passageiros   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Vitoria a Minas foi aberta em 1904 num pequeno trecho a partir do porto de Vitória e tinha como objetivo principal transportar as culturas da região ao longo do Rio Doce, especialmente a produção de café. Com enormes dificuldades ela foi avançando no sentido da cidade mineira de Diamantina; em 1910, empresãrios ingleses a compraram para eletrificá-la e transportar minério da região de Itabira. O seu objetivo pasava a ser agora atingir Itabira e se encontrar com a futura linha da EFCB que partindo de Sabará atingiria São José da Lagoa (Nova Era). Em 1919 o empresário americano Percival Farquhar a comprou e depois de inúmeras reviravoltas políticas, a estrada, afinal nunca eletrificada, foi encampada pela recém-fundada Cia. Vale do Rio Doce (CVRD) em 1942, a qual maneja a ferrovia até hoje. Modernizou-a nos anos 1940, alterando o traçado acidentado na região de Vitória, isto depois de a linha ter finalmente se ligado à EFCB em Nova Era em 1937, Em 2002, o antigo ramal de Nova Era foi totalmente modificado e a EFVM passou a comandar a linha desde Vitória até a região de Belo Horizonte, depois de passar por Itabira, região do minério de ferro. É a ferrovia mais rentável do Brasil e uma das pouquíssimas ferrovias a manter no País até hoje os trens de passageiros.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Aimorés foi inaugurada em 1907.

"A única coisa que eu sei da revolução de 30 é que o coronel Amaral desceu aqui nessa estação (Figueira do Rio Doce). E pegou a polícia de Minas Gerais e passou... Chegou e tomou conta da estrada de ferro. E aqui ele andou arranjando muita gente pra estrada também e levou para Aimorés. Lá em Aimorés, parece-me que tinha uma meia dúzia de soldados, ele prendeu os soldados, e botaram num carro de boi e mandaram para cá. A única coisa que eu me lembro aqui foi dos sujeitos no carro de boi. O coronel Amaral, pra entrar no Espírito Santo, fizeram uma conexão na divisa do Espírito Santo com Aimorés e eles se renderam. Mas os capixabas fizeram uma barreira em Baixo Guandu, deram tiro pra desgraçar lá. O coronel Amaral com a força mineira cortaram na bala até... Eles prenderam todos. Eles vieram presos no carro de boi. foi a única coisa que eu vi com os meus olhos, foram eles presos no carro de boi" (Sizenando Ribeiro, empalhador de móveis, 84 anos).


ACIMA: A estação e o pátio inundados em 1979 (Autor desconhecido). ABAIXO: A estação de Aimorés e os carros novos da linha em 1914 (Autor desconhecido).

ACIMA: Vista aérea da estação de Aimorés em 2017 (Foto Felipe Rodrigues).

(Fontes: Felipe Rodrigues; Sizenando Ribeiro; Silvio Rizzo; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102- 46982008000100014)
     

A estação em 1956. Foto da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1958, IBGE

A estação em 2003. Autor desconhecido

A estação em 2005. Foto Silvio Rizzo
     
     
Atualização: 15.07.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.