A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mailaski
Gabriel Piza
São Roque
...

Tronco EFS-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
E. F. Sorocabana (1928-1971)
FEPASA (1971-1998)
GABRIEL PIZA-NOVA
Município de São Roque, SP
Linha-tronco - km 58,300 (1931)   SP-0849
Altitude: 838 m   Inauguração: 1928
Uso atual: em ruínas (2010)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: Aberta em 1919 como Taboão, a partir de 1921 passou a ser chamada de Gabriel Piza.

Em 1934, foi classificada como posto telegráfico de categoria A (*).

O prédio da estação, provavelmente dos anos 1930, ainda sobrevive, abandonado e depredado, perto da vila de Taboão, a cerca de 1 km da estrada que leva a Sorocamirim.

"Um senhor que mora perto dela me contou quando lá estive que o pessoal derrubou a estação pra roubar o material, ele disse que via a turma enchendo carrinhos de mão com tijolos, telhas, janelas... O interessante é que os tijolos tem a logomarca EFS" (Eric Mantuan, 12/2008).

(veja também GABRIEL PIZA-VELHA)

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de cobertura na plataforma da estação


ACIMA: Loteamento de Guairacá, próximo à estação, usou em 1950 a proximidade da estação para alavancar a venda de lotes (Folha da Manhã, 18/6/1950). ABAIXO: A estação de Gabriel Piza ainda estava inteira quando os Toshibas da Fepasa vinham de Mairinque para Itapevi, nesta foto tomada em 31 de maio de 1992. Os "montinhos" eram para permitir o embarque nas portas mais altas dos Toshibas. Até 1998, a linha Mairinque-Itapevi ainda funcionou. Hoje eles rodam apenas no trecho Itapevi-Amador Bueno, em mau estado de conservação. Alguns foram rodar em Salvador, tendo sido totalmente reformados há cerca de 2 anos pela CBTU (Foto Carlos Roberto de Almeida, 1992).



ACIMA: Linhas de Gabriel Piza a partir de 1928 (azul) e até 1928 (linha amarela). Onde estaria situada a estação velha? - CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VER EM TAMANHO MAIOR (Google Maps - desenho Adriano Martins).

* Segundo o Relatório Anual de 1934 da EFS, "À categoria A ficaram pertencendo os diversos postos que funccionavam como si fossem estações de 4a classe, isto é, onde, além do serviço de trens, havia venda de bilhetes, despachos de encommendas, bagagens, mercadorias, animaes, valores e serviços telegraphico, em trafego proprio e mutuo, com os fretes calculados pela propria distancia".

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Carlos Roberto de Almeida; Eric Mantuan; Ricardo Koracsony; Adriano Martins; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1900-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Em 21/05/1998, o abandono da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 21/05/1998, o abandono da estação. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 09/2001, o abandono é maior ainda. Foto Adriano Martins

A estação, em 09/2002, cada vez mais abandonada. Foto Ricardo Koracsony

A estação já em ruínas, em 01/2005. Foto Ricardo Koracsony

Da estação somente sobrou a parede traseira, em 12/2008. Foto Eric Mantuan

Em agosto de 2010, somente a fachada sobrevive. Foto Eric Mantuan
 

 

     
Atualização: 17.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.