A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Lopes de Oliveira
George Oetterer
Varnhagen
...

Tronco EFS-1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
E. F. Sorocabana (1876-1892)
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1892-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
GEORGE OETTERER
(antiga VILLETA)
Município de Iperó, SP
Linha-tronco - km 120,145 (1931)   SP-1964
Altitude: 599 m   Inauguração: 31.12.1876
Uso atual: em ruínas (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1926
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: Foi inaugurada em fins de 1876, com o nome de Villeta. O nome atual da estação, alterado em 1908 (veja destaque

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de rancho para a turma

abaixo), é uma homenagem a George Oetterer, Inspetor Geral da Sorocabana em fins do século XIX. Em 1926, a estação ganhou um

ACIMA: A notícia publicada em 24 de novembro de 1908 no jornal O Estado de S. Paulo mostra, com imensos erros de ortografia em relação ao novo nome, autorização para a mudança de nome da estação (Coluna Há Um Século, 24/11/2008).
Em 1915, a estação de George Oetterer ficava no município de Campo Largo de Sorocaba, hoje Araçariguama: "Dista (a sede) da estação 11 km. Não há serviço regular de transportes. Em Campo Largo existem dois trolys que vão à estação quando pedidos com antecedência" (Almanach para 1916 de O Estado de S. Paulo).

ACIMA: Os limites do mapa são os limites da Fazenda Ipanema no ano de 1928 (CLIQUE SOBRE O MAPA PARA VÊ-LO EM TAMANHO MAIOR). A estação de George Oetterer não teve seu local alterado. Apenas derrubou-se a antiga e construiu-se a atual. O mapa mostra a linha velha (desativada na época) e a linha nova (a atual). (Serviço Geographico Militar, 1928).
novo prédio, com o início das obras de retificação e duplicação da linha. Este é o edifício que sobrevive até hoje. Ela fica, junto com o que restou da vila ferroviária, muito próxima ao bairro rural de George Oetterer, em Iperó. "George Oetterer nos anos 1950 era um lugar com poucas casas, uma oficina de caminhões da EFS onde meu tio trabalhava e praticamente mais nada, mas tinha o chefe e o telegrafista (mais de um, sempre tinha um, dia e noite). O som do telégrafo após mais de 60 anos ainda soa na minha memória: "blein"... era um aparelho que tinha duas teclas e um mostrador com um ponteiro. Conforme a tecla era acionada, ia para a esquerda ou direita emitindo um som. Acho que devia ser em código morse, uma tecla para pontos e outra para traços. Eu tinha só 6 anos de idade
" (Daniel Gentili, 7/2010). O prédio já estava fechado quando lá estive em 1998,
servindo somente como embarque e desembarque de passageiros. Da estação se viam

ACIMA: Estação de George Oetterer, com o menino no balanço no galho da árvore - outros tempos, mesmo. "Quem aparece no balanço é meu primo. Quando pequeno, eu visitava com a minha avó esta família que morava em G. Oeterer, e com os meus primos na estação a gente apostava se o próximo trem vinha com locomotiva elétrica ou 'a fogo' e se o número de vagões era em número ímpar ou par" (Foto Luiz Simonetti; texto Daniel Gentili, data da foto 29/5/1949).

AO LADO: Beleza perdida - a família reunida sob a placa da estação em 1952 (Acervo Daniel Gentili). ACIMA: A cabine da estação totalmente depredada ainda mantém os dados da estação (Foto Tiago Amato, 30/5/2009).
mesma, que permanecia acampado do lado sul da linha, com a vila e o bairro do lado norte. Assim ficou até 1 de março de 2001, quando o último
vários barracos do MST, a poucos metros da trem de passageiros da linha Sorocaba-Apiaí passou por ali. Seis meses depois (foto abaixo), o fim já havia chegado para a estação. Abandonada e depredada, ela, já sem telhas, esperava o seu fim em 2008.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Hugo Augusto Rodrigues; Daniel Gentili; Tiago Amato; Julio W. Durski; Adriano Martins; Eric M. Carvalho; Noventa anos da E. F. Sorocabana, 1960; IBGE, 1960; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1874-1969; O Estado de S. Paulo: seção Há Um Século, 2008; O Estado de S. Paulo: Almanach para 1916; IBGE, 1960; Serviço Geographico Militar, 1928
; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Villeta em 1877. Foto do livro dos 90 anos da EFS, 1960, atribuída a Julio W. Durski

A estação em 02/04/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 02/04/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 02/04/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

E o fim chegou. Em 09/2001, a estação já depredada. Foto Adriano Martins

A estação em julho de 2008. Eric M. Carvalho

A estação em 30/5/2009: mato por fora e por dentro. Foto Tiago Amato

A estação já quase totalmente destruida em 2014. Foto Hugo Augusto Rodrigues
 
     
Atualização: 17.09.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.