A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Birigüi
Guatambu
Araçatuba
...

Tronco NOB - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1922-1975)
RFFSA (1975-1996)
GUATAMBU
Município de Birigüi, SP
Linha-tronco - km 256,319 (1960)   SP-0974
Altitude: 397 m   Inauguração: 07.08.1922
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 1960 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até 13/1/1993, no trecho Bauru-Campo Grande e até 3/3/1995 no trecho até Corumbá, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Guatambu foi aberta em 1922. Foi fechada e transformada em parada em 1969, devido ao baixo movimento. Parece ter sido desativada em 1971, devido à retificação da linha entre Lins e Araçatuba. A estação de Guatambu foi demolida. Marcio Catarin, em 2008, afirma que somente sobrevivia ali uma velha casa de ferroviário, mais

ACIMA: Plataforma de Guatambu em novembro de 2013. Ao lado dela, árvores em lugar de trilhos (Foto Odilio Pereira de Queiroz Neto).
precisamente do antigo chefe da estação, mostrada em fotografia abaixo. A plataforma da estação demolida está coberta de mato e fica em frente a essa casa, do lado oposto; trilhos não existem mais por ali, a linha está em outro local, mas não foi construída uma estação nova para o bairro. Fica em propriedade particular; da vila ferroviária, sobrevive apenas uma velha casa de empregados da ferrovia.
(Fontes: Odilio Pereira de Queiroz Neto; Ismael Gobbo; Marcio Catarin; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Casa de ferroviário em Guatambu-velha, em 04/2006. Foto Ismael Gobbo

Plataforma de Guatambu, em 2008. Foto Marcio Catarin
 
     
     
Atualização: 16.11.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.