A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
São João das Três Barras
Ibitinga
Warnicanga
...

Ramal de Rib. Bonito-1950
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2000
...
 
Cia. E. F. Dourado (1910-1949)
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1949-1969)
IBITINGA
Município de Ibitinga, SP
Ramal de Ribeirão Bonito - km 148,117   SP-2030
Altitude: 453 m   Inauguração: 14.11.1910
Uso atual: moradia (2015)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1910
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em maio de 1894, foi entregue o ramal de Ribeirão Bonito pela Cia. Paulista, saindo da estação de São Carlos, no tronco, e com ponto terminal em Ribeirão Bonito, em bitola métrica. Em 1900, a Cia. E. F. do Dourado (Douradense) abriu uma linha que unia Ribeirão Bonito a Dourado, com bitola de 60 cm. Em 1910, o tronco da Douradense atingiu Ibitinga e no mesmo ano sofreu modificações, aumentando-se a bitola para métrica e alterando a ligação Ribeirão Bonito-Trabiju, colocando a estação de Dourado como ponta de um curto ramal. Somente em 1939 a Douradense prolongou a linha, chegando até Novo Horizonte. Em 1949, a Paulista adquiriu a Douradense, adicionando a sua linha-tronco ao ramal de Ribeirão Bonito, que agora ligaria São Carlos a Novo Horizonte diretamente. Em 1966, a linha entre Ibitinga e Novo Horizonte foi suprimida, e em 3 de janeiro de 1969, todo o ramal de Ribeirão Bonito foi desativado. Os trilhos foram retirados pouco tempo depois.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Ibitinga foi construída em 1910, e serviu como ponta de linha do tronco da Douradense até 1936, quando a linha foi prolongada. Em 1949, passou a servir à Cia. Paulista, nova

ACIMA: Virador em Ibitinga, na época em que o pátio ainda era ponta de linha. Fotografia possivelmente dos anos 1930 (Acervo Alberto del Bianco).

AO LADO: Ibitinga, assim como todas as cidades que faziam parte da E. F. do Dourado, ficaram satisfeitas e esperançosas quando a Companhia Paulista adquiriu a ferrovia. O artigo, publicado em 1949, mostra já um desalento dos cidadãos por já ter se passado algum tempo desde a aquisição e nada ter sido feito para melhorar a situação do "pardieiro" com que designavam o prédio da estação. Apesar de, nos anos 1950, a Paulista ter investido uma soma de dinheiro bastante vultosa para recuperar a linha São Carlos-Borborema, onde estava Ibitinga, com a estatização da Paulista, a Douradense foi novamente abandonada e depois, fechada.
dona da ferrovia. Em 1966, voltou a ser ponta de linha, com a desativação do trecho que seguia para Novo Horizonte, e foi finalmente desativada no início de 1969, com a supressão do ramal. "Agradeço-lhe por esse seu site. Causou-me vivas emoções, sobretudo quando revi os degraus da escada da estação de Ibitinga, por onde subi com meu pai em uma inesquecível viagem de trem" (Claudemir Belintane, 5/1/2010)". Em fins de 2015, a ex-estação funcionava como moradia e pouco havia mudado nos últimos quinze anos, pelo menos externamente (ver fotografias abaixo).
(Fonte: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Alberto del Bianco; Silvio Rizzo; C. E. F. Dourado: relatórios oficiais; Cia. Paulista: relatórios anuais, 1949-69; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Ibitinga, em 15/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Estação de Ibitinga, em 15/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Estação de Ibitinga, em 15/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

Estação de Ibitinga, em 15/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht

A ex-estação em 30/11/2015. Foto Silvio Rizzo
 
     
Atualização: 18.03.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.