A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Oiti
Imbaúba
Vitoriana
...

Tronco EFS - 1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

 
E. F. Sorocabana (1924-1951)
IMBAÚBA
Município de Botucatu, SP
Linha-tronco original - km 273,336 (1934)   SP-2022
Altitude: 471 m   Inauguração: 1924
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: desconhecido
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: Criada em 1924 como "posto km 285", recebeu o nome definitivo - Imbaúba - em 01/05/1927. O nome teria sido sugerido pelo Professor Luiz Orsini de Castro, então consultor da

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de casa para bombeiro; modificação no encanamento; colocação de caixa sobre coluna de trilhos; pintura da caixa

ferrovia, quando de sua passagem pela zona, percebendo que havia ali uma quantidade muito grande de árvores do mesmo nome (Revista Nossa Estrada, no. 177, março de 1953). Em 1934, foi classificada como posto telegráfico de categoria B (*). A estação

ACIMA: Mapa mostrando a linha nova e a velha da Sorocabana na região de Botucatu e de Avaré. Por ele dá para se ter uma idéia de como Imbaúba e outras saíram da linha e ficaram isoladas. A linha nova (estilizada, pois não mostra todas suas curvas) é a que está com barras (Acervo Ralph M. Giesbrecht). ABAIXO: Onde ficava Imbaúba? O mapa abaixo, com anotações feitas por Adriano Martins, mostra a linha velha (em vermelho) e a distância da estação à de Vitória (Vitoriana) (CLIQUE SOBRE O MAPA PARA VER MAIOR) (Google Maps, 11/2011).
foi desativada em 16 de novembro de 1951 (idem, ibidem), com a entrada em operação da variante de Juquiratiba a Botucatu. Segundo contam velhos ferroviários, em Imbaúba muitas vezes ficava uma locomotiva para ajudar na subida da serra. Foi depois demolida e a única coisa que sobrevive ao redor é a caixa d'água de concreto, segundo Carlos de Campos, em 18/05/1999.

ACIMA: (esquerda) a linha velha ainda tem algum trânsito ferroviário mesmo depois da abertura da linha nova (O Estado de S. Paulo, 15/11/1951). (direita) Já abandonado, a prefeitura de Botucatu diz que vai fazer uma rodovia no lugar dos trilhos. Nunca fez (O Estado de S. Paulo, 23/10/1952).
CLIQUE AQUI PARA VER AS LINHAS VELHA E NOVA DA SOROCABANA NESTA REGIÃO

* Segundo o Relatório Anual de 1934 da EFS, "À categoria B ficaram pertencendo os postos onde havia somente serviço de trens, emissão de CT-11 ou B-1 e B-2, recebimento de despachos de bagagens, encommendas
e mercadorias com frete a pagar, tudo calculado pela distancia das estações collateraes respectivas
".

(Fontes: Carlos de Campos; Adriano Martins; Jorge Luiz Luvizutto; E. F. Sorocabana: Nossa Estrada, 1953; O Estado de S. Paulo, 1951-52; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1875-1956; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Caixa d'água e antigo leito da ferrovia, em 4/2010. Foto Jorge Luiz Luvizutto
   
     
     
Atualização: 06.12.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.